quarta-feira, 30 de setembro de 2009

30 minutos de exercício por dia? Quem diria!

Desde 1995, o governo americano faz campanha para a população se exercitar. Em 2005, ou seja, após 10 anos de veiculações no rádio, na TV, em publicações impressas e na internet, uma pesquisa mostrou que apenas um terço da população sabe da recomendação de que são necessários no mínimo 30 minutos diários de exercícios físicos para a manutenção de uma boa saúde.

Um dos motivos para a desinformação foi identificada: O excesso de informação! Tem tanta coisa na mídia, tanta propaganda, tanto "barulho" que como obviamente não podemos absorver tudo, muita coisa fica perdida no caminho, inclusive informações consideradas importantes o bastante para o governo fazer uma campanha nacional e gastar milhões com isso. De pouco adiantou, ficou perdido no meio da balbúrdia da mídia.

A mídia dos Americanos deve ser mais massiva que a brasileira, mas certamente não estamos muito melhores, já que não temos o mesmo nível de recursos que eles. Sem falar que se o governo brasileiro resolver se comunicar com a população como faz com “a hora do Brasil”, vai ficar bem abaixo dos 33% atingidos nos EUA.

A matéria de onde tirei esta informação era sobre a desinformação, mas achei muito mais interessante o excesso de informação como causa! Então vamos lá, correndo o risco de acrescentar uma voz ao burburinho incompreensível da mídia mundial, recomendo a todos que pratiquem 30 minutos de exercícios diários e tenham uma alimentação balanceada. Estas práticas combinadas podem salvar a sua vida, além de trazer maior conforto físico e mental e menos gastos com médicos.

Ah! Consulte um médico para um exame físico e dicas dos melhores exercícios e alimentos para você, e se precisar de ajuda pra encontrar o médico, busque no Help Saúde.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Atualização: Número de óbitos causados pela gripe suína no Brasil até 12/09/09

O Ministério da Saúde liberou em Nota para a Imprensa, uma atualização para os números da Nova Gripe (H1N1). Os dados agora são atualizados quinzenalmente, e não mais semanalmente.

E abaixo, uma tabela com o número de mortos por estado:

No site do Ministério da Saúde, de onde tiramos as informações atualizadas da gripe suína, como número de mortos, e taxa de mortalidade, eles colocam duas "observações importantes":

• "O acréscimo no número de óbitos em relação ao último boletim (divulgado em 2 de setembro) NÃO SE REFERE A CASOS NOVOS DE PESSOAS QUE MORRERAM NO PERÍODO ANALISADO, mas aos casos que tiveram confirmação laboratorial entre 30 de agosto e 12 de setembro (SE 35 e 36)."

• "Reitera-se que, de acordo com o protocolo, o cálculo da taxa de letalidade em relação ao total de casos de influenza não é mais utilizado como parâmetro para monitorar o comportamento da doença, uma vez que os casos leves não são mais notificados, exceto em surtos. Esta conduta tem sido preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde julho e seguida pela maioria dos países, com priorização para o monitoramento de casos graves por influenza."

Por quê eles não mostram quando as pessoas morreram? Assim teríamos uma análise mais precisa da situação. A informação certamente está lá, por quê não divulgá-la?
E quanto a mostrar a taxa de mortalidade de acordo com o número de habitantes, isso é muito incompleto. Eu gostaria de saber quanto por cento da população teve H1N1, e destes, quantos morreram. Quantos morreram da população total fica uma informação muito pobre. Como é a informação oficial de que dispomos, assim ela está apresentada aqui.

Fonte: Ministério da Saúde

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia.

Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal).

Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações.

Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do milênio, e até mesmo de uma epidemia de gripe H1N1 (uma variação do atual) em 1976, quando o governo americano resolveu vacinar 43 milhões de pessoas e além de não ter havido epidemia, 500 pessoas ficaram doentes por causa da vacina e 25 delas morreram.

Da próxima vez que lermos uma matéria que soe muito sensacionalista, vamos dar uma olhada no quadro geral e tentar analisar a informação em um contexto mais amplo e que coloque a notícia na perspectiva adequada, nem pra mais nem pra menos.

E é bom lembrar que o medo só baixa a nossa imunidade, tome as precauções básicas e fique tranqüilo, assim suas chances de ficar doente serão menores.

Fonte: Health Day

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Cigarro, pressão alta e colesterol alto tiram 15 anos da expectativa de vida

Um estudo feito em homens de meia-idade indica que fumantes que sofrem de pressão alta e alto colesterol tendem a perder de 10 a 15 anos de sua expectativa de vida. O estudo tomou como foco as doenças cardíacas. O Dr. Robert Clarke diz que mudanças de hábitos para uma vida mais saudável podem trazer a expectativa de vida de volta ao normal.

A publicação veio no dia 18 de setembro no British Medical Journal.

Para o estudo, foram coletados dados de cerca de 19.000 homens de idade entre 49 e 69. Os primeiros dados foram coletados entre 1967 e 1970, e os últimos em 1997.

Fonte: Health Day

Para consultar um especialista, procure um cardiologista no Help Saúde

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Vacina contra Hepatite B protege de câncer no fígado

Em um estudo realizado ao longo de 20 anos em pessoas vacinadas contra a Hepatite B, o Departamento Pediátrico da Universidade Nacional de Taiwan acompanharam o aparecimento de câncer no fígado em jovens.

Os pesquisadores viram que poucas pessoas vacinadas desenvolveram câncer no fígado, e a maioria destas tinha alguma explicação adicional, como ter recebido uma dose reduzida da vacina.

Resultados desta pesquisa estão na edição online do Journal of the National Cancer Institute.

Nos Estados Unidos, a vacinação é recomendada para todos os recém nascidos, assim como crianças e adolescentes caso ainda não tenham sido vacinados. Adultos com risco de câncer no fígado também recebem a recomendação para serem vacinados.

Fonte:HealthDay

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Filmagem de cirurgias e investigação em clínicas de reprodução

Tramitou na Câmara Legislativa do Rio de Janeiro, um projeto de lei que, dispondo sobre a filmagem obrigatória dos atos cirúrgicos no estado, o que sugere a possibilidade de utilização do filme como documento para salvaguardar direitos na apuração de responsabilidade (ressalte-se que o CFM aprovou parecer contrário sobre a matéria, o qual foi arquivado).

Será que não seria mais inteligente e seguro se fossem filmados todos os procedimentos, cirúrgicos ou não, que o paciente estivesse desacordado? Não só para o caso de abusos, que esperamos serem muito raros, mas para emergências, mudanças, controle e até casos onde haja dúvida se houve erro médico. Eu sei que me sentiria mais seguro se soubesse que estava sendo filmado e poderia acompanhar posteriormente o que aconteceu durante um procedimento médico, e até ter um segundo parecer se necessário.

Com a exposição dos abusos pelos quais o médico Roger Abdelmassih está sendo acusado, a Assembléia Legislativa de São Paulo decidiu investigar as clínicas de reprodução assistida no estado. As investigações pretendem abordar desde as relações entre médicos e laboratórios a procedimentos médicos polêmicos como a sexagem (definição do sexo do bebê) e a turbinagem (aplicação de citoplasma de óvulos de mulheres jovens em óvulos de mulheres mais velhas).

Esperamos que ao menos esta investigação nos garanta mais segurança em procedimentos realizados nos estabelecimentos em questão.


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Novos números da Gripe A (H1N1)

Segue a atualização segundo os números divulgados semanalmente pelo Ministério da Saúde, em Nota à Imprensa:

- As datas correspondem à confirmação do óbito por H1N1 e não à data do óbito.

- O Brasil é desde a semana passada o país com maior número de mortes, mas é o sexto em taxa de mortalidade entre os 15 países com maior número de óbitos.

- Caiu pela terceira semana seguida, o número de casos graves de gripe causados pelo vírus H1N1.

Fonte: Ministério da Saúde

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Ministério da Saúde lança campanha para a saúde do homem

Veja o VIDEO da campanha.

Os homens brasileiros morrem em média 7 anos mais cedo que as mulheres e têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, colesterol e pressão arterial mais elevadas. O Ministério da Saúde está lançando uma campanha para incentivar e facilitar o acesso do homem aos serviços de saúde.

“Essa política parte da constatação de que os homens, por uma série de questões culturais e educacionais, só procuram o serviço de saúde quando perderam sua capacidade de trabalho. Com isso, perde-se um tempo precioso de diagnóstico precoce ou de prevenção, já que chegam ao serviço de saúde em situações limite”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Bote seus exames físicos em dia: encontre um médico no Help Saúde.