segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Avaliação Neuropsicológica

A Avaliação Neuropsicológica é o estudo detalhado das funções cognitivas, responsáveis pela capacidade de perceber, elaborar e expressar informações. São utilizados testes padronizados com o objetivo de traçar o perfil cognitivo do paciente e compará-lo com o esperado para a idade e escolaridade, evidenciando aspectos indicativos de disfunção.

A partir de que idade pode ser realizada a Avaliação Neuropsicológica?

A Avaliação Neuropsicológica pode ser realizada em crianças, adolescentes, adultos e idosos.

O Que é Avaliado?

Memória; Atenção; Flexibilidade Cognitiva (formular hipóteses e modificá-las); Organização e Planejamento; Percepção; Funções Motoras; Linguagem e Funções Verbais; Humor; Aprendizagem, Inteligência Global e Habilidades Acadêmicas.

Indicações para a Avaliação Neuropsicológica:

- Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH);
- Quadros demenciais;
- Diagnóstico diferencial da Depressão;
- Déficits de memória associados à idade;
-Avaliar e monitorar a capacidade cognitiva após uma desordem neurológica (aneurismas, acidente vascular encefálico, traumatismo crânio-encefálico);
- Uso de drogas e álcool;
- Epilepsia;
- Esquizofrenia;
- Paralisia Cerebral;
-Transtorno Invasivo do Desenvolvimento.

Os resultados da Avaliação Neuropsicológica permitem:

-Avaliar e monitorar lesões e disfunções cerebrais;
-Monitorar e documentar o paciente em tratamento (estimativa da evolução e prognóstico da patologia e avaliar os efeitos do tratamento medicamentoso);
-Auxiliar no diagnóstico diferencial (diferenciar um quadro demencial de um quadro depressivo, por exemplo) e no planejamento do tratamento;
-Detectar o aparecimento de declínio cognitivo no idoso.

REABILITAÇÃO COGNITIVA

Após a Avaliação Neuropsicológica, inicia-se com o paciente a reabilitação cognitiva que consiste em:

-Melhorar o desempenho mnêmico, o nível de atenção e capacidade de aprendizagem do paciente.
-Estimular determinadas funções cognitivas;
-Reorganizar as capacidades adaptativas perdidas;
-Promover melhor adaptação após doença ou lesão;
-Melhorar a qualidade de vida do paciente e de seus familiares.
-Promover avanço na autonomia pessoal.

Fonte: Ana Cristina Reis. CRP: RJ 19262

Psicóloga cadastrada no Help Saúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário