segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Meningite

“O quê está se passando naquela cabeça?”

A meningite é uma doença grave. Em especial, por que a presença dela costuma significar que alguma bactéria ou vírus foi capaz de atravessar a barreira mais importante de defesa do nosso corpo. Esta se chama BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA. É a última defesa do nosso cérebro.

Então, o que ocorre é que chegando ao interior da cabeça, após vencer a BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA, o vírus ou bactéria inflama e infecciona as membranas que revestem nosso cérebro, as MENINGES, ou seja, a meningite é uma inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Pode ocorrer em indivíduos de qualquer idade, mas geralmente são mais vulneráveis crianças menores de 5 anos.

Existem diversos tipos de meningites que podem ser contagiosas ou transmissíveis, pois podem ser causadas por bactérias ou vírus. A meningite é uma doença séria e rara que deve ser tratada logo no início para evitar sequelas e morte.

Existem 2 tipos mais comuns de meningite:

Meningite bacteriana – estas costumam ter sintomas mais intensos, são mais graves e são contagiosas por via respiratória (meningocócica epneumocócica, geralmente);
Meningite viral –são menos graves e o quadro clínico costuma ser mais leve. O tratamento é como o de uma gripe: suporte de hidratação, analgésicos, repouso e observação.

Raramente exitem casos de meningite por outros agentes como a auto imune, por exemplo.

No caso da cantora baiana Ivete Sangalo que foi diagnosticada com meningite benigna não contagiosa, permanece internada sendo tratada com medicamentos intravenosos enquanto realiza outros exames.

Diagnóstico:

O diagnóstico é feito através do exame clínico e posterior exame do líquor ou líquido céfalo raquiano. Este líquido reveste os espaços aonde se encontram o cérebro e a medula espinhal.

Tanto em crianças como nos adultos, devemos procurar um médico para descartar a possibilidade de meningite, quando surgirem os seguintes sintomas:

• Sensação de desânimo;
• Moleza;
• Febre, geralmente alta, mas em idosos, nem sempre;
• Dores fortes de cabeça;
• Vômito, às vezes sem a presença prévia de náuseas;
• Dificuldade de flexionar o pescoço;
• Manchas vinhosas na pele;
• Alterações súbitas de comportamento ( menos comuns).

São sintomas comuns no caso de meningite.

Prevenção:

Alguns tipos de meningite podem ser prevenidos por vacinação, como Haemophilus e Meningococo tipo A e C e em adultos a proteção pode durar de 1 a 4 anos. A higiene ambiental e ambientes ventilados ajudam na prevenção. Devem ser evitados ambientes com aglomerações.

Transmissão:

Há diversas formas de se contaminar, dentre ela através da fala, espirro, tosse e até beijos. Nem todos que adquirem o meningococo ficam doentes, pois o organismo se defende com os anticorpos que cria através do contato com essas mesmas bactérias, adquirindo, portanto, resistência à doença.

Tratamento:

Após a avaliação médica e a análise preliminar de amostras clínicas, o doente permanecerá internado e o tratamento será realizado com antibióticos específicos. Após a alta do paciente não há mais perigo de contágio.

Na presença dos sintomas relatados, busque avaliação médica. Só um médico pode diferenciar tais sintomas de outras infecções e solicitar o exame do líquor quando necessário.

ATENÇÃO:

1. As meningites bacterianas e virais são de notificação compulsória ao Ministério da Saúde.

2. É muito importante manter os bons hábitos de higiene, lavando as mãos , em especial antes das refeições e antes e depois de usar o banheiro para evitar a contaminação;

3. VACINAÇÃO - a vacina da influenza B também protege-nos da meningite


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Foto: Ivete Sangalo - Website Oficial - Copyright Todos os direitos reservados a oficialivetesangalo

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário