sexta-feira, 29 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Urgência > Hemorragia Nasal


A hemorragia nasal é algo mais comum do que muitos pensam. Existem muitas causas para esse sangramento: irritações na mucosa do nariz, espirros freqüentes, gripes e exposição prolongada ao sol ou ambientes muito quentes. Mas a hemorragia nasal também pode ocorrer devido ao aumento da pressão sanguínea, funcionando como um sinal de alerta para algo mais sério.

Paciência, calma e pequenas ações bastam para resolver esse problema que em geral pode ser tratado em casa mesmo (se não há história de hipertensão arterial, por exemplo). Mas é sempre bom procurar atendimento médico para avaliação da causa.


Dicas do Guia Help Saúde para evitar sangramentos nasais:


-Não assoe o nariz violentamente.

- Não fume.

- Evite traumas faciais, utilizando proteção adequada na prática dos chamados “esportes radicais”, como ciclismo, motociclismo, skatismo e luta livre.

-Utilize umidificador (aparelho para tornar o ar mais úmido) se o clima estiver demasiadamente seco.

- Se você for hipertenso: mantenha a pressão arterial controlada.


Dicas do Help Saúde para caso ocorra o sangramento:


- Se a hemorragia acontecer com uma criança procure demonstrar calma e segurança, na maioria das vezes esses sangramentos podem estancar com medidas caseiras.

-Tenha calma, pois mesmo as hemorragias mais sérias são tratadas com procedimentos simples.

- Mantenha a cabeça levemente inclinada para trás e respire pela boca.

- Comprima a parte da frente do nariz por cerca de 5 minutos e, ao mesmo tempo, aplique uma bolsa gelada sobre o dorso nasal.

- Caso o sangramento continue, mantenha a compressão por mais 10 minutos e, depois, observe se o sangramento parou. Se continuar procure atendimento médico.


Procure por um clínico geral em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.

Fonte: Editoria Help Saúde

Começa a portabilidade de planos de saúde

ANS amplia direito à portabilidade de carências

Consumidores de planos de saúde individuais ou familiares e coletivos por adesão passam a contar, a partir desta quinta-feira, dia 28/7, com as normas previstas na Resolução Normativa nº 252, que ampliam as regras de portabilidade de carências. A resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi publicada no Diário Oficial da União de 29 de abril deste ano, concedendo um prazo de 90 dias para as operadoras se adaptarem.

A norma atinge cerca de 13,1 milhões beneficiários, que passam a ter direito a mudar de plano de saúde sem cumprimento de novos prazos de carência. “A medida aumenta o poder de decisão do consumidor, faz crescer a concorrência no mercado e, em consequência, gera melhoria do atendimento prestado ao beneficiário de plano de saúde”, ressalta o diretor-presidente da ANS, Mauricio Ceschin.

A possibilidade de mudar de plano de saúde levando consigo os períodos de carência já cumpridos é uma realidade desde abril de 2009, para os beneficiários de planos contratados a partir de 2 de janeiro de 1999, após a regulamentação do setor. Entre os principais ganhos para o consumidor com a nova resolução estão a extensão do direito para os beneficiários de planos coletivos por adesão e a instituição da portabilidade especial para clientes de operadoras extintas.

Confira abaixo as principais mudanças nas regras de portabilidade:
  • A abrangência geográfica do plano (área em que a operadora se compromete a garantir todas as coberturas contratadas pelo beneficiário) deixa de ser exigida como critério para a compatibilidade entre produtos. Dessa forma, o beneficiário de plano municipal poderá exercer a portabilidade para um plano estadual e os destes para um nacional;
  • O período para o exercício da portabilidade passa de 2 para 4 meses, a partir do mês de aniversário do contrato;
  • A permanência mínima no plano é reduzida de 2 para 1 ano a partir da segunda portabilidade;
  • Ampliação das informações sobre o plano: a operadora do plano de origem deverá comunicar a todos os beneficiários a data inicial e final do período estabelecido para a solicitação da portabilidade de carências. Essa informação deve constar do boleto de pagamento do mês anterior ao referido período ou em correspondência enviada aos titulares dos contratos nos casos em que não lhes seja enviado boleto.

É instituída a portabilidade especial para:

1. beneficiário de operadora que tenha seu registro cancelado pela ANS ou que esteja em processo de Liquidação Extrajudicial, caso a transferência compulsória de carteira tenha sido frustrada;

2. beneficiário de plano de saúde em que tenha ocorrido a morte do titular do contrato;

O direito à portabilidade é estendido aos beneficiários de planos coletivos por adesão novos ou adaptados, que hoje contam com pouco mais de 5 milhões de beneficiários. Entende-se por plano coletivo por adesão aquele que é contratado por pessoa jurídica de caráter profissional, classista ou setorial, tais como: conselhos profissionais e entidades de classe, nos quais seja necessário o registro para o exercício da profissão; sindicatos, centrais sindicais e respectivas federações e confederações; associações profissionais legalmente constituídas, entre outras organizações previstas na Resolução Normativa nº 195/2009.

Além de valer para mudança entre planos individuais, a portabilidade para planos novos ou adaptados passa a ter os seguintes fluxos:

Plano Coletivo por Adesão Plano Individual
Plano Individual - Plano Coletivo por Adesão
Plano Coletivo por Adesão - Plano Coletivo por Adesão

Portabilidade Especial

Para o exercício do direito à Portabilidade Especial, será fixado caso a caso um prazo de até 60 dias, a contar da publicação de Resolução Operacional da Diretoria Colegiada da ANS (no caso de alienação compulsória frustrada, quando caberá prorrogação).

No caso de morte do titular do contrato de plano de saúde, o prazo de 60 dias para exercício da portabilidade especial se inicia no dia do falecimento. Nesse caso, não há a necessidade de publicação de Resolução Operacional pela ANS.

Os critérios da Portabilidade Especial são parcialmente flexibilizados:
  • Não há a restrição do mês do aniversário do contrato para efetuar a portabilidade;
  • Não é exigida a permanência mínima no plano, nestes casos pode haver cobrança de períodos de carência remanescentes;
  • São exigidos adimplência, tipo compatível e faixa de preços igual ou inferior.
Participação da sociedade

A norma de ampliação da portabilidade de carências é resultado da participação da sociedade no processo de elaboração. Inicialmente, a ANS promoveu reuniões de Câmara Técnica com representantes de entidades como: Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon SP), Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste), Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Ministério da Fazenda, Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (Sinog) e Unimed do Brasil.

Em seguida foi realizada uma consulta pública no período de 21/10 a 20/11/2010 e toda a sociedade pôde enviar críticas e sugestões para a redação final da norma. A ANS recebeu 295 contribuições.

Guia ANS de planos de saúde

Para auxiliar o beneficiário que deseja exercer a portabilidade de carências e facilitar o acesso a informações daqueles que pretendem contratar um plano de saúde, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) desenvolveu o Guia ANS de Planos de Saúde, um sistema eletrônico que permite o cruzamento de dados para consulta e comparação dos planos de saúde individuais ou familiares e coletivos por adesão comercializados por aproximadamente 1.400 operadoras em atuação no mercado brasileiro.

A ampliação das regras de portabilidade de carências é uma meta já cumprida da Agenda Regulatória da ANS, que reúne os temas prioritários para a Agência em 2011 e 2012.

Fonte: ANS

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ainda contando calorias? Seu plano para perder peso pode estar ultrapassado!



Não é segredo que os americanos são mais gordos hoje do que nunca. E não apenas aquelas pessoas que tem uma maior propensão genética de engordar ou sempre foram gordas. Muitas que foram magras quando mais jovens vem ganhando alguns quilos a mais à medida que chegaram à meia idade. Por isso, pesquisas sobre quais comidas que deveriam ser mais consumidas e quais deveriam ser evitadas para não engordarem ao longo dos anos, é de grande interesse de mais de 10 milhões de americanos.

Uma nova pesquisa, feita por especialistas em saúde na Universidade de Harvard mostrou uma detalhada análise sobre os fatos que influenciam o ganho de peso. Participaram da pesquisa 120.877 homens e mulheres saudáveis e não obesos até o início da pesquisa. Além da dieta também seria levado em consideração: atividades físicas, o sono, as horas assistindo TV e o consumo de álcool e tabaco.

“As cobaias” da pesquisa - que incluía enfermeiras, médicos, dentistas, veterinários e outros profissionais da área da saúde – foram analisados por 12 a 20 anos e a cada 2 anos eles respondiam questionários sobre sua alimentação e outros hábitos além de serem pesados.
A análise examinou os fatores que influenciam o ganho ou a perda de peso, durante um período de 4 anos. A média de ganho de peso foi de 1,5 kg a cada 4 anos e com um total de 7,6 kg em 20 anos.

“Esse estudo mostra que a noção de que comer tudo em moderação, ingerir poucas calorias e evitar comidas gordurosas, não é a melhor solução”, afirma o médico Dariush Mozaffarian, cardiologista e etimologista de Harward e autor do estudo. “O que você come faz uma diferença, apenas contando as calorias não importa muito ao menos se você prestar atenção no tipo de calorias que você está ingerindo”.

Detalhes têm seu valor

As pessoas não se tornam obesas de uma hora para outra. Diferente do ganho de peso ao longo dos anos que acontece mais lentamente. E a pessoa só se dá conta quando as roupas não entram mais tranquilamente como antes.

Além do efeito do ganho de peso no corpo e nas roupas, o mais perigoso é para a saúde. O estudo revelou que com apenas algumas mudanças na alimentação, atividades físicas e outros hábitos é possível se manter no peso ao longo dos anos.

As comidas que contribuem para um ganho de peso em excesso não são surpresa: em primeiro lugar batatas fritas, o consumo em demasia delas foi relacionado o um ganho de 1,5 kg a cada período de 4 anos. As batatas fritas de “saquinho” (700g), bebidas açucaradas (450g), carnes vermelhas e carnes processadas (430g e 421g respectivamente), outros tipos de batatas (250g), doces e sobremesas (185g), outras comidas fritas (145g), sucos de frutas (140g) e manteiga (136g).

E as comidas que contribuem para o emagrecimento também não foram nenhuma surpresa: frutas, vegetais, legumes e cereais.

Ao contrário do que muitos acham: o consumo diário de produtos ricos em gordura como leite integral e o queijo tem um efeito neutro na dieta.

Apesar da noção convencional de se evitar comer gordura para conseguir emagrecer, de acordo com a pesquisa a perda de peso esteve ocorreu mais em pessoas que comiam: iogurtes e nozes (alimentos ricos em gordura vegetal) ao longo de um período de 4 anos.

Nozes são ricos em gordura vegetal e a ingestão delas pode ajudar as pessoas a perder peso, provavelmente porque esse alimento ajuda na saciedade, não promovendo a fome tão rapidamente.

O iogurte foi alimento que esteve mais ligado a perda de peso devido a uma bactéria saudável presente na sua composição que aumenta a produção de hormônios intestinais que aumentam a saciedade e conseqüentemente diminuem a fome. Os participantes que comiam iogurte regularmente perdiam 0,365kg em 4 anos.

Outras influências

Em alguns estudos também foi questionado se a quantidade de horas de sono por noite influenciava no peso das pessoas. Em geral, pessoas que dormem menos de 6 horas ou mais de 8 horas por noite tendem a engordar.

As explicações seriam que os efeitos de curtas noites de sono causam ao organismo em relação à saciedade dos hormônios.

Assistir TV também foi outro hábito analisado na pesquisa, que afirmou que pessoas que passam mais horas em frente à TV engordavam mais principalmente porque são influenciados por anúncios publicitários de fast food e guloseimas.

O consumo de álcool também tem uma interessante relação com as mudanças de peso, principalmente nos diferentes tipos de álcool. A pesquisa afirmou que a ingestão de dois copos de vinho ao invés de um não causa nenhum efeito significante, porém a ingestão em demasia de vodka e outros tipos de álcool pode garantir uns números a mais na balança. O cigarro também tem sua influência no peso: ao comparar pessoas que nunca fumaram com aquelas que pararam de fumar nos últimos 4 anos, as que desistiram do vício engordaram cerca de 2,3kg.

Aqueles que continuaram fumando perderam 0,3 kg a cada período de 4 anos, os pesquisadores suspeitaram que essa perda de peso veio de uma doença não diagnosticada, especialmente porque os que continuaram fumando não tiveram nenhuma mudança no peso.

Fonte: Ny Times

Temas relacionados no Help Saúde: Nutrição, Endocrinologia, Cardiologia

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com


terça-feira, 26 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Guia do bebê - Hora de domir

O sono é um fator de muita importância no desenvolvimento dos bebês, pois isso é tão valorizado por médicos. É importante que seu bebê nos primeiros meses durma a maior parte do tempo, porém é preciso destacar que eles não devem passar de 5 horas de sem alimentar. O ideal é que sejam amamentados de 3 em 3 horas.

O bebê desde pequeno deve entrar numa rotina com os horários bem estipulados como: a hora de comer, hora do banho e hora de dormir. Para que ele se acostume e aprenda as regras da casa.

Dicas do Help Saúde para o bebê dormir tranqüilo:

- Evite deixá-lo dormir de bruços; pode sufocá-lo e causar morte subida. De barriga para cima é mais seguro.

- Nunca o deixe só na cama, existe um grande risco de queda. Utilize cercadinhos ou grades.

-Para fazer com que o bebê relaxe antes de dormir cante músicas calmas e certifique-se de que ele está sequinho com a fralda trocada e alimentado.

- Deixe os bracinhos do bebê para fora das cobertas para que não deslize e fique debaixo das cobertas.

-Evite agasalhá-lo demais na hora de dormir.

-Não deixe pelúcias, paninhos, almofadas, travesseiros ou outros brinquedos no berço. Isso pode sufocar o bebê durante o sono.


Links relacionados: Dicas para amamentação

Cuidados com a mama durante a amamentação

Cólicas

Hora do Banho

Procure por um pediatra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Alguns dos sintomas de depressão

Você está com queda de cabelo? Você tem tido dificuldade para conciliar o sono, dor nas costas, prisão de ventre? Cuidado: você pode estar com depressão!

A tristeza e o desânimo são os sintomas mais conhecidos da depressão. Contudo, a depressão pode levar você a não ter mais vontade de fazer coisas simples e banais, como, por exemplo, assistir a TV, trabalhar naquilo que você sempre gostou fazer as coisas do dia a dia, passear com o seu animal de estimação, etc.

Mas a depressão pode se manifestar com sinais de que o paciente nem se apercebe, nem desconfia, ou seja, as lombalgias, problemas dermatológicos como alergias, queda no desejo sexual ou mesmo mudanças no hábito intestinal como ter freqüentemente prisão de ventre.É como se o paciente estivesse com uma baixa energia vital, como se a carga da bateria estivesse fraca, ou seja, falta de vontade, de ânimo, de motivo, de empenho, etc.

Então veja alguns dos sintomas e verifique se você está com alguns deles por mais de duas semanas. Busque ajuda se assim for!A terapia medicamentosa juntamente com uma psicoterapia traz um grande benefício ao paciente.

1.Alteração dos hábitos orgânicos

A depressão pode levar a um aumento ou a uma diminuição do apetite alimentar, prisão de ventre, dores de cabeça principalmente na região das têmporas e na região frontal, nas costas, alta freqüência em apresentar torcicolos no pescoço, gastralgias, etc. e sem causa aparente e que não melhoram ou melhoram pouco com o uso de analgésicos e outros remédios. Sudorese, palpitações com a sensação de que se vai falecer, tremores, vertigens, também podem fazer parte do quadro, etc.

2. Pensamentos ruins

O paciente com humor deprimido pode ter idéias pessimistas e insistentes com bastante freqüência. Ele não consegue parar de pensar nas coisas tristes e impuras e nem tampouco se livrar de tais pensamentos, ele vê o mundo de forma negra!

3. Diminuição da libido

Diminui a vontade de fazer sexo, e o paciente apresenta um desinteresse por coisas que antes eram agradáveis, como sair com amigos, passear, ler livros, ver novela, ouvir música.


4. Manias estranhas

O paciente passa a apresentar um comportamento diferenciado, ou seja, ele confere se fechou bem as portas e janelas. Ou acha que pode fazer mal a si mesmo ou a alguém, com pensamentos do tipo: Será que eu posso me ferir com esta faca de cozinha, e o que aconteceria comigo?Como será ver o sangue escorrer pela perna de minha mãe? Essas atitudes também podem indicar TOC, o transtorno obsessivo-compulsivo.

5. Falta de concentração

O paciente não consegue se fixar numa leitura ou guardar na memória o que leu. Parece que os seus pensamentos e sua memória se diluem rapidamente, não se fixam.

6. Alterações estéticas e físicas

Pele envelhecida e seca e boca constantemente amarga, olheiras, unhas quebradiças, cabelos fracos e sem brilho.

7. Sentimentos adormecidos

A depressão deixa transparecer um comportamento apático no indivíduo, como se o paciente não expressasse sentimento e sensação, ou de prazer ou de desprazer.

8. Volta ao passado.

As atitudes do passado voltam a interferir nos pensamentos do paciente com forte tendência de culpabilidade e de arrependimento. São pensamentos que invadem constantemente o intelecto do indivíduo, que passa a se tornar refém de tais interferências. Tudo passa a ter um enorme peso para ser resolvido.

9. Depressão sazonal

Pacientes vulneráveis a fotofase (período de luminosidade) podem ser acometidos pela depressão climática ou sazonal.

Tratamento:
Existe o tratamento medicamentoso concomitantemente a uma psicoterapia com profissional habilitado para lidar com estes sintomas. O suporte psicológico é fundamental para reequilibrar o status psíquico do paciente com depressão.


Fonte: Suely Bischoff Machado de Oliveira. Psicóloga cadastrada no Help Saúde.

Temas relacionados no Help Saúde: Psicologia, Psicoterapia

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Guia do bebê - Hora do banho

Chegou a hora do banho! Esse momento tão gostoso pode se tornar estressante para os pais de primeira viagem, principalmente se tratando de recém-nascidos. Essa insegurança é algo compreensível, pois é uma experiência completamente nova e diferente que exige certas habilidades. Mas seguindo as dicas do Guia Help Saúde, com certeza esses medos irão ir embora e a hora do banho será a parte mais divertida do dia.



Dicas do Help Saúde para um banho tranqüilo com o seu bebê:

-Escolha um ambiente tranqüilo e sem correntes de ar para montar a banheira. O ideal é que seja no próprio quarto do bebê. Escolha um horário que tenha uma temperatura mais elevada como das 11h até as 15h.A banheira deve ficar na altura da cintura da mãe e a água não deve ultrapassar 15 cm de altura.

-Uma dica interessante também é dar banho antes da mamada para evitar que o bebê regurgite.

-Prepare o trocador que deve ficar perto da banheira. O trocador deve ser forrado com a toalha para enxugar o bebê logo em seguida do banho, xampu e sabonete neutros (ou aqueles feitos especialmente para bebês, pois não ardem os olhos), a fralda (separe duas para o caso de imprevistos) e as roupinhas que serão usadas (por ordem de colocação).

-Prepare também uma cestinha ao lado do trocador com os produtos mais usados: algodão, pomada contra assaduras, óleos perfumados, escovinha de cabelo.

-Antes de dar banho cheque se a água está quente ou fria demais usando o cotovelo ou pulso. Se preferir use um termômetro que deve acusar 36 °. Comece o banho com a criança ainda vestida usando um chumaço de algodão molhado em água morna e limpando o rostinho, olhinhos (do canto externo ou interno) e nariz. E depois seque delicadamente.

-Na hora de lavar a cabeça sustente o corpo do seu filho com o braço, segurando a nuca com uma das mãos. Chegue perto da banheira e com a outra mão molhe os cabelos dele devagar. Em seguida passe o xampu, massageia e enxágüe.

-No trocador seque os fios delicadamente e atrás das orelhas. Agora com o bebê sem roupa limpe suas partes íntimas com um chumaço de algodão molhado com água morna e sabonete depois descarte.

Agora que já foram limpas as partes que ficam mais sujas, chegou a hora que o bebê mais gosta: entrar na banheira. Leve seu filho até a banheira e mergulhe o seu corpinho até a água alcançar a altura da barriga. Segure-o com firmeza apoiando as costas dele no seu braço e se o bebê chorar o distraia cantando músicas tranqüilas ou deixando que ele aperte seu dedo. Comece limpando a parte da frente: barriguinha, bracinhos e perninhas. O corpo todo precisa ser lavado: do pescoço até os dedos do pé. Como os bebês mantêm as mãos fechadas, você deve abri-las para lavá-las.

Terminada a parte da frente, chega a hora mais temida pelos pais: a hora de lavar as costas. É um momento mais tenso por muitos pais terem medo de um acidente como deixar o filho escorregar ou se afogar. Um dica é apoiar o bebê no seu antebraço, deixando ele bem erguido sem riscos de acidentes e jogar a água por suas costas. Limpe com sabonete depois enxágüe bem.

Tire o bebê do banho, direto para a toalha e seque todas as parte do seu corpo com cuidado pois a pele do bebê ainda é muito sensível.

Não se esqueça de secar bem as dobrinhas para evitar as assaduras e para finalizar passe um creme hidratante (exclusivo para a pele do bebê) e faça massagens.

Links relacionados: Dicas para amamentação

Cuidados com a mama durante a amamentação

Cólicas

Procure por um obstetra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Guia do bebê - Cólicas



Choro constante, o bebê já está alimentado e sua fralda está limpinha então por que o pequeno chora tanto? As mães de primeira viagem sempre se fazem essa pergunta, então siga as dicas do Help Saúde para resolver esse conflito.

Preste atenção se seu bebê tem os seguintes sintomas: vermelhidão na pele, corpo encolhido e barriga tensa e distendida, se confirmar a presença desses sintomas a criança provavelmente está com cólica. Muito comum nos primeiros 3 meses de vida, as cólicas se devem em geral à ausência de enzimas necessárias para uma digestão adequada, causando gases.


Dicas do Help Saúde para prevenir as cólicas:

- As dores das cólicas acontecem devido aos gases que o bebê precisa liberar. Por isso o ideal é fazê-lo arrotar durante a mamada uma ou duas vezes. E uma vez quando terminar de mamar.

-Para facilitar o arroto, a mãe deve colocá-lo de pé sobre o colo e com a cabeça em seus ombros ou se preferir, pode também deitá-lo atravessado no colo, com a face voltada para baixo.

-É normal que o bebê dê uma ou outra golfada enquanto arrota.


Dicas do Help Saúde para aliviar as cólicas:

- O calor ajuda na liberação dos gases que provocam a cólica. Fazer compressas mornas na barriga do bebê como colocar uma fralda aquecida ou bolsa com água morna (verifique a temperatura para não causar queimaduras)

-Fazer ginástica com as perninhas do bebê como se ele estivesse "pedalando" e massagear a barriga do bebê com as mãos aquecidas com movimentos circulares durante 2 minutos.

-Para evitar o estresse, procure manter o ambiente calmo e quieto enquanto alimenta o bebê ou nos horários mais freqüentes da cólica e descubra formas de confortá-lo, cada bebê se sente seguro e amado do seu jeito.

-Como os homens têm a temperatura do corpo um pouco mais elevada que as mulheres pode ser que as cólicas se resolvam mais rápido quando o bebê é colocado na barriga ou no antebraço do papai ou quando é o papai quem faz as massagens.

Não use chá: Muitas mães por acreditarem nos poderes calmantes dos chás , o utilizam para aliviar as cólicas do seu filhos. Mas o uso desses calmantes naturais não vão resolver o problema da cólica e sim piorá-lo. O chá pode provocar ainda mais cólica, já que o intestino do bebê ainda está imaturo. Só use remédios com prescrição médica.


Links relacionados: Dicas para amamentação

Cuidados com a mama durante a amamentação

Procure por um obstetra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

terça-feira, 19 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Mulher > Guia do bebê - Cuidados com a Mama durante a Amamentação

Para evitar machucados ou fissuras nos mamilos na fase da amamentação o blog do Help Saúde realizou esse Guia do Bebê e buscando ajudar as mães, principalmente as de primeira viagem:

Na hora de amamentar procure colocar a boca do bebê na posição correta para sugar, de modo a evitar o surgimento de rachaduras e fissuras nas mamas. É interessante também expor de vez em quando as mamas ao ar livre e ao sol para assim prevenir tais inconvenientes e até mesmo acelerar o processo de cicatrização.

Realize sempre que possível, a higiene com apenas água, sem óleos ou sabonetes, pois podem causar alergia. E em seguida massagear os mamilos com o próprio leite materno, pois essa substância ajuda a hidratar e a lubrificar.

Dicas do Guia Help Saúde para cuidar das mamas durante a amamentação:


-Use sempre sutiãs.

-Massagear os mamilos durante o banho e após o banho com toalha macia, sem óleos ou cremes, para evitar alergias da pele.

-Fazer exercícios para fortalecer a aréola e papila (partes da mama)

-Expor as mamas ao sol durante 15 minutos a cada dia, porém sempre antes das 10h da manhã ou depois das 3h da tarde.



Links relacionados: Guia do bebê- Dicas para amamentação

Procure por um obstetra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Guia do bebê - Dicas para Amamentação


Chegou gente em nova em casa! Os primeiros dias do bebê é um momento de muita alegria, mas também muito delicado para a maioria dos pais. É uma fase de adaptação, tanto para a família quanto para o bebê que acabou de chegar ao mundo.

As principais dúvidas das mães são em relação à alimentação. Até que mês amamentar? Posso oferecer outros alimentos além do leite materno? Quais são as principais vantagens do aleitamento? Entre tantas outras, por isso o blog do Help Saúde preparou o Guia do Bebê com algumas dicas e sempre lembrando que visitas ao pediatra são importantíssimas.

Todos sabem da importância do aleitamento materno, o ideal é que a criança tenha uma dieta exclusiva com o leite materno até os 6 meses de idade. Ele reduz o risco de infecções, alergias, problemas de fala, oclusão dentária, cáries, otite, obesidade e doenças cardiovasculares. A partir do sexto mês é indicada a introdução de outros alimentos na dieta do bebê, como papinhas de legumes, frutas e carnes.

As principais vantagens do aleitamento para mãe e para o bebê:

- Atende ao instinto de sucção do bebê, que é mais forte na primeira hora pós-parto.

- Agiliza a ingestão do colostro, substância presente no leite materno e que constituí a primeira forma de imunização.

- Estimula o corpo da mãe a produzir mais leite, que será importante para o bebê nas semanas seguintes.

- Reduz a hemorragia pós-parto.

O bebê mama muito e a qualquer distante no primeiro mês, mesmo durante a noite, e esse comportamento não significa que o leite seja fraco: sempre tem os nutrientes necessários. É importante também que o bebê esvazie a mama, pois o leite do final da mamada possui mais gordura, gerando mais saciedade e ganho de peso.

O Guia Help Saúde indica para as mamães que no momento da amamentação elas escolham um lugar tranqüilo e usem roupas confortáveis, para que o momento seja ainda mais especial.

Nos primeiros dias o bebê pode parecer relutante em mamar. Às vezes, ele e a mãe ainda precisam de um tempo para “aprender” como interagir um com o outro.

As principais dificuldades são:

- Posição desconfortável para o bebê: nada de empurrar sua cabeça por trás em direção à mama, pois o obriga a esticar-se ou virar o pescoço para manter o peito da mãe na boca, dificultando assim a respiração.

- Muita manipulação por estranhos.

- Bicos artificiais ou chupetas que confundem o bebê no momento de sucção.
- O bebê está com dores.

- Abertura da boca insuficiente

- Mamilos planos, devido a mamas ingurgitadas (cheias de mais)

- Mamilos invertidos, impedindo o bebê de pegar a aréola da mama com a boca.

- Fluxo excessivo de leite

- Sono ou ausência de fome

- Fraqueza por baixo peso.

Para reduzir esses problemas siga as orientações do Guia Help Saúde:

- Segure calmamente o seu bebê próximo ao peito e coloque-o sentado de lado, mantendo a cabeça apoiada na sua mão, para controlar movimentos sem fazer pressão; não flexione a cabeça dele, para não empurrar o nariz contra o peito.

- Retire um pouco de leite, espalhe no mamilo e provoque o bebê com o mamilo até que ele abra bem a boca, antes de pegar a auréola.

- Não use bicos artificiais ou chupetas; se necessário, ofereça leite materno no copinho, até que o bebê mame no peito; não dê mamadeiras de água ou leite artificial.

- Levante o seio e aponte o mamilo para o céu da boca, ajudando assim o bebê a iniciar o reflexo de sucção.

- Não insista além de alguns minutos: se ele não mamar, tente novamente mais tarde.

- Não pressione pontos doloridos.

-Não limite as mamadas, para que as mamas não fiquem cheias demais; se o fluxo inicial for excessivo, use só um seio por mama (até o fluxo se normalizar) e esvazie o outro.

Quando for impossível o aleitamento materno, o pediatra deve decidir como substituí-lo. Hoje em dia, existem leites com fórmulas desenvolvidas para cada fase do bebê que podem a ser tão bons e completos como o leite materno.

Procure por um pediatra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Mulher >TPM


O Guia Help Saúde aborda um tema muito recorrente que pode atrapalhar um pouco a vida das mulheres. Trata-se da TPM, que começa entre mais ou menos 10 dias antes da menstruação, é uma fase em que os hormônios entram em conflito causando os sintomas mais variados em cada mulher. Os sintomas são: irritabilidade, ansiedade, tensão, insônia, depressão, vontade de chorar (sem motivo aparente), dor de cabeça e dor das mamas.

O mais complicado é quando esses sintomas começam a atrapalhar o dia-a-dia da mulher, fazendo com que as coisas mais simples se tornem praticamente um sacrifício.

Dicas do Help Saúde para evitar o estresse na TPM

- Reduzir o consumo de cafeína e álcool

- Comer alimentos ricos em cálcio

- Evite comer doces, caso a vontade não passe, coma uma fruta

- Cancele os compromissos chatos e estressantes, se puder

- Fazer exercícios aeróbicos e atividades como ioga e meditação

A maioria das mulheres sente os sintomas de uma forma mais leve e com apenas as dicas do Help Saúde deve ser o suficiente para aliviar esses sintomas. Mas algumas que sentem mais
intensamente esses sintomas devem procurar ajuda médica e saber que a tensão pré-menstrual tem cura sim através de remédios e pequenas atitudes.



Procure por um ginecologista em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Urgência > Queimaduras

Queimaduras é um assunto muito sério para muitos pais e preveni-las com certeza é a melhor solução. Buscando sempre orientar o leitor do blog do Help Saúde fizemos uma lista de pequenas ações que podem ser feitas para evitar esse acidente tão doloroso.

Dicas do Help Saúde para evitar queimaduras:

- Para dificultar o acesso das crianças à cozinha, devido a fogões e fornos: utilize um portãozinho ou cerca para impedir a passagem das crianças para essa parte da casa.

- Panelas e outro recipientes com líquidos quentes devem estar longe do alcance dos pequenos.

-Caixas de fósforos, isqueiros ou acendedores para fogão devem ser aguardados em local seguro.

-Produtos químicos corrosivos (soda cáustica, ácido muriático, aguarrás, tíner, etc) ou de fácil combustão (álcool, querosene, gasolina etc) não devem estar perto de onde elas circulam.

Dicas do Help Saúde sobre como agir em caso de queimadura:

-A primeira providência, seja a vítima criança ou adulto, é resfriar o local o mais rápido possível. Mergulhando em água fria ou ficando durante, no mínimo, 20 minutos debaixo de uma torneira aberta.

- Se as roupas estiverem em chamas, estenda imediatamente a pessoa no chão, com o lado do fogo para cima. Se possível, apague-o abafando as chamas com um cobertor, lona ou pano grosso, iniciando pela cabeça e indo em direção dos pés. Caso necessário use água.Se as roupas estiverem grudadas na pele, evite removê-las.

- Não aplique qualquer pomada ou creme, nem fure as bolhas que eventualmente venham a se formar na pele.

- Após resfriar a queimadura, procure socorro médico imediato, evitando ao máximo mexer a área queimada.

-Mantenha a parte queimada elevada em relação ao resto do corpo, para reduzir o inchaço. Dê goles de água fria à vítima enquanto aguarda ajuda médica.

- Em caso de acidentes com queimaduras causadas por corrente elétrica, não toque na vítima até que se desligue a energia. Tome cuidado com fios soltos e água no chão.

-Para vítimas de corrente elétrica, observe se há parada cardiorrespiratória. Em caso afirmativo, e antes de qualquer procedimento, entre em contato com o serviço de emergência disponível. Só então se você tiver treinamento para isso, inicie as manobras de reanimação cardiopulmonar. (Veja no Guia Help Saúde sobre Parada Cardiorrespiratória)

Procure por um dermatologista em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.

Fonte: Editoria Help Saúde.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O método SODIS

A água pode ser desinfetada e dessa maneira se tornar própria para consumo através dos raios solares. A desinfecção solar da água ou SODIS (a sigla, em inglês, para “Solar Water Disinfection”) oferece uma solução para prevenir a diarréia, uma das maiores causas de morte nos países em desenvolvimento.

Água limpa para beber em seis horas

O método SODIS é o ideal para o tratamento da água em países em desenvolvimento. Para realizar esse processo é preciso apenas luz solar e garrafas pets. Como ele funciona? Coloque a água nas garrafas pets limpas e deixa no sol por seis horas. O raio UV-A da luz do sol mata germes como viroses, bactérias e parasitas. O método também funciona quando as temperaturas do ar e da água estão baixas.

As pessoas podem usar o método SODIS para tratar sua água. O método é muito simples e sua aplicação é segura. É adequado para tratar quantidades relativamente pequenas de água.

A pesquisa

Muitos estudos científicos confirmam a efetividade do método SODIS. O processo mata os germes que estão na água e até mesmo se confirmou a melhora da saúde da população. A pesquisa sobre as estratégias de treinamento deu uma visão de quais métodos são mais adequados. E também foi provado que o uso de garrafas PET no SODIS método é inofensivo.

Reconhecimento Internacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS), a UNICEF e a Cruz Vermelha recomenda o uso do método SODIS como uma maneira de tratar a água potável nos países em desenvolvimento.

“O processo solar de tratar a água é um exemplo de mais uma medida de baixo impacto que requer pouco capital de investimento dos seus usuário e portanto apropriada para os mais pobres.” OMS, 2007

“A UNICEF promove uma variedade de métodos de tratamento como de filtração, o SODIS e a cloração caseira. Todos esses processos são de baixo custo, eficazes e podem ser realizados em casa.”UNICEF, 2009

Prêmio da Cruz Vermelha, 2006: “O júri considera a SODIS uma forma impressionante de contribuir pelo um meio mais simples de se fazer o abastecimento de água melhor e mais seguro e com isso diminuindo a incidência da diarréia e outras doenças e assim a mortalidade em países em desenvolvimento.” Cruz Vermelha, 2006

Fonte: SODIS

Temas relacionados no Help Saúde: Médico, Imunologista

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Família > Estresse


Estresse é a mais nova doença do milênio, devido à correria do dia-a-dia e problemas pessoais, muitas pessoas não dedicam um tempo para si mesmas.

O estresse é a reação do corpo a qualquer situação que envolva tensão física ou psicológica. Ele provoca descarga do hormônio adrenalina, que afeta principalmente os aparelhos: circulatório e respiratório. Por isso, o coração e a respiração aceleram em um momento de estresse.

Os primeiros sinais costumam ser tensão exagerada, irritabilidade e alterações no humor. Com o passar do tempo podem surgir sintomas mais sérios, como cansaço mental, tristeza, frustração, falta de apetite, agitação na hora de dormir e ansiedade. Outros são palidez, suor frio nas extremidades do corpo, suor em excesso e aumento da pressão arterial. As pessoas podem notar que estão sob forte pressão quando fatos rotineiros do trabalho, em casa e até mesmo no lazer causam certa reação.

O estresse é cumulativo, isto é, se você não o extravasa, ele continua em você. Sabe-se também que o acúmulo de estresse está associado a muitas doenças.

Dicas do Help Saúde para aliviar o estresse:

-No trabalho, faça pequenas pausas em momentos de intenso estresse. Afaste-se de sua mesa, beba água, respire fundo por alguns instantes e concentre-se em algo agradável, para voltar renovado.

-Tenha pelo menos duas vezes na semana um lazer ou passatempo que traga alegria(se praticado junto com a família ou amigos ainda melhor!).

- Pratique regularmente esportes e exercícios.

- Melhore a alimentação, pare de fumar e reduza o consumo de bebidas alcoólicas.



Procure por um psicólogo em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Saúde Bucal


A saúde bucal ensinada no início da vida garante uma menor chance de doenças orais no futuro. Por isso o Help Saúde dá dicas de como desenvolver o hábito da higiene nos seus filhos desde pequenos.

Para motivá-los é interessante você escovar os dentes na frente de seus filhos e comprar escovas infantis com cores diferentes para despertar o interesse deles.

É fundamental cuidar desde os de leite, nos bebês os dentes devem ser limpos com gaze, ou fralda úmida, embebida de soro fisiológico. Não esfregue, pois os resíduos de leite materno equilibram a flora da cavidade bucal da criança. Escove sem pasta de dente ou com pouca pasta.
Quando estiverem mais crescidos é necessário que escovem a língua e usem o fio dental. Hoje em dia existem escovas pequenas que encaixam no dedo da mãe ou do pai para auxiliar na escovação dos pequenos.

Os pais precisam ficar de olho, pois aos seis anos nascem os primeiros molares permanentes. Ficar atento na escovação é muito importante, pois as crianças ainda estão desenvolvendo sua capacidade motora e não sabem fazer a higiene adequada sozinhas. É importante também ficar atento quanto à ingestão de pasta de dente.

A partir dos 12 anos, a crianças já devem escovar os dentes como adulto, pois ela já é capaz de fazer movimentos circulatórios, por dentro e por fora dos dentes.Também é importante a escovação da língua e o uso do fio dental.

Algumas crianças tem dificuldades na hora de escovar a língua, mas já existem escovas especiais que facilitam a tarefa. Enquanto ao fio dental, talvez seja preciso a ajuda dos pais. O fio dental completa a higienização dentária removendo resíduos entre os dentes que só ele consegue. A sujeita que fica entre os dentes é a base para a formação da placa bacteriana que gera a cárie e o tártaro. Os fios com flúor são os mais recomendados e devem ser utilizados ao menos uma vez ao dia, de preferência na última escovação.

Visitar o dentista regularmente também deve ser um hábito a ser adquirido pelas crianças e dessa maneira preservando a saúde bucal delas.


Procure por um dentista em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.

Fonte: Editoria Help Saúde.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Mulher > Alimentação e Nutrição






A alimentação é algo mundo importante, principalmente no universo feminino onde há espaço para neuras de emagrecer. Mas muito mais importante do que emagrecer é ter saúde e como conseqüência perder o sobrepeso.

Então qual é o segredo de emagrecer com saúde? Está em comer mais e melhor, fazendo de 4 a 5 refeições leves por dia em horários regulares. Além de reduzir alimentos agressores como os excessos de açúcar, sal e gordura.

Dicas do Help Saúde simples para alimentar-se bem e obter o peso ideal:

- Mastigar devagar, saboreando a textura e o gosto dos alimentos;

- Incluir grãos (arroz,feijão), legumes e verduras (contém fibras) e proteínas (carnes, peixes e queijo) e finalizar com frutas;

- Deixar o prato o mais colorido possível;

- Evitar carnes gordurosas, frituras ou alimentos com muito sal;

- Evitar misturar dois carboidratos (massa e arroz) ou duas proteínas (carne vermelha/frango);

- Substituir o refrigerante por água ou sucos naturais

Não se esqueça também de consumir fibras que podem ser encontradas em cereais (farelos de um modo geral), hortaliças, nas cascas de frutas, nas leguminosas, na aveia, na cevada, nas frutas cítricas, na goiabada e em certas gomas. O seu consumo ajuda no controle da diabetes e da pressão sanguínea, bem como na redução do colesterol total dos problemas crônicos de prisão de ventre.



Fonte: Editoria Help Saúde.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Urgência > Parada Cardiorrespiratória

A parada cardiorrespiratória é caracterizada pela parada abrupta da função cardíaca e da respiratória nas pessoas. Também é conhecida como PCR e tem como causa primária a falta de oxigenação do coração.
Para saber identificar se algum parente seu ou amigo está passando por uma parada cardiorrespiratória, veja os principais sintomas
  • Inconsciência ou ausência de resposta à chamada verbal
  • Ausência de movimentos respiratórios;
  • Ausência de pulso;
  • Palidez;
  • Pele fria e úmida;
Dicas do Help Saúde para reanimação:
Depois de identificada a parada cardíaca, antes de qualquer outro procedimento entre em contato telefônico com um serviço de emergência médica da sua cidade. Enquanto espera a chegada de ajuda profissional, inicie uma série de manobras de ressuscitação cardiopulmonar da vítima. Uma delas é a massagem cardíaca, que tem como finalidade estabelecer a circulação e a oxigenação cerebral e dos demais órgãos.
Algumas Dicas do Help Saúde sobre a massagem cardíaca:
O passo-a-passo para ajudar a vítima até o socorro chegar:
1)Coloque a vitima deitada de costas sobre uma superfície dura.
2) Sem interromper a respiração boca-a-boca, comece a massagem.
3) Para determinar o local em que a massagem deve ser feita, encontre, no meio do tórax, o osso esterno. Ele começa acima do estômago. Sua mão deve ser posicionada na metade inferior (isto é, entre a metade e a base) do osso.
4) Abra suas mãos e coloque uma sobre a outra. Você vai usar só a palma, mantendo os dedos esticados para cima. Em crianças pequenas, ao contrário, use os dedos, apenas. Meça a força de acordo com o tamanho da vítima.
5) Aperte o tórax da vítima, pressionando seu coração, e solte em seguida. Mantenha o ritmo de uma compressão por segundo.
6) Para ajudar a colocar pressão na massagem, deixe seu braços esticados.
7) A cada parada para fazer a respiração boca-a-boca, verifique se o pulso voltou. Para sentir a pulsação, coloque as pontas dos dedos indicador e médio na virilha ou no pescoço da vítima, ao lado da traquéia.

Resolução Normativa ANS/DC nº 259





Dispõe sobre a GARANTIA DE ATENDIMENTO dos beneficiários de planos privados de saúde

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA ANS/DC Nº 259, DE 17 DE JUNHO DE 2011

Dispõe sobre a garantia de atendimento dos beneficiários de plano privado de assistência à saúde e altera a Instrução Normativa - IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos - DIPRO.

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS, em vista do que dispõe os incisos II, XXIV, XXVIII e XXXVII do art. 4º e o inciso II do art. 10, ambos da Lei nº 9.961, de 28 de janeiro de 2000; e a alínea "a" do inciso II do art.86 da Resolução Normativa - RN nº 197, de 16 de julho de 2009; em reunião realizada em 15 de junho de 2011 adota a seguinte Resolução Normativa e eu, Diretor Presidente, determino a sua publicação.

CAPÍTULO I - DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR

Art. 1º Esta Resolução Normativa - RN dispõe sobre a garantia de atendimento dos beneficiários de plano privado de assistência à saúde e altera a Instrução Normativa - IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos - DIPRO.

CAPÍTULO II - DAS GARANTIAS DE ATENDIMENTO AO BENEFICIÁRIO

Seção I - Dos Prazos Máximos Para Atendimento ao Beneficiário

Art. 2º A operadora deverá garantir o acesso do beneficiário aos serviços e procedimentos definidos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS para atendimento integral das coberturas previstas nos arts. 10, 10-A e 12 da Lei n° 9.656, de 3 de junho de 1998, no município onde o beneficiário os demandar, desde que seja integrante da área geográfica de abrangência e da área de atuação do produto.
Art. 3º A operadora deverá garantir o atendimento integral das coberturas referidas no art. 2º nos seguintes prazos:

I - consulta básica - pediatria, clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia: em até 7 (sete) dias úteis;
II - consulta nas demais especialidades médicas: em até 14 (quatorze) dias úteis;
III - consulta/sessão com fonoaudiólogo: em até 10 (dez) dias úteis;
IV - consulta/sessão com nutricionista: em até 10 (dez) dias úteis;
V - consulta/sessão com psicólogo: em até 10 (dez) dias úteis;
VI - consulta/sessão com terapeuta ocupacional: em até 10 (dez) dias úteis;
VII - consulta/sessão com fisioterapeuta: em até 10 (dez) dias úteis;
VIII - consulta e procedimentos realizados em consultório/clínica com cirurgião-dentista: em até 7 (sete) dias úteis;
IX - serviços de diagnóstico por laboratório de análises clínicas em regime ambulatorial: em até 3 (três) dias úteis;
X - demais serviços de diagnóstico e terapia em regime ambulatorial: em até 10 (dez) dias úteis;
XI - procedimentos de alta complexidade - PAC: em até 21 (vinte e um) dias úteis;
XII - atendimento em regime de hospital-dia: em até 10 (dez) dias úteis;
XIII - atendimento em regime de internação eletiva: em até 21 (vinte e um) dias úteis; e
XIV - urgência e emergência: imediato.

§ 1º Os prazos estabelecidos neste artigo são contados a partir da data da demanda pelo serviço ou procedimento até a sua efetiva realização.
§ 2º Para fins de cumprimento dos prazos estabelecidos neste artigo, será considerado o acesso a qualquer prestador da rede assistencial, habilitado para o atendimento no município onde o beneficiário o demandar e, não necessariamente, a um prestador específico escolhido pelo beneficiário.
§ 3º O prazo para consulta de retorno ficará a critério do profissional responsável pelo atendimento.
§ 4º Os procedimentos de alta complexidade de que trata o inciso XI são aqueles elencados no
Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, disponível no endereço eletrônico da ANS na internet.
§ 5º Os procedimentos de que tratam os incisos IX, X e XII e que se enquadram no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS como procedimentos de alta complexidade, obedecerão ao prazo definido no item XI.

Seção II - Da Garantia de Atendimento na Hipótese de Ausência ou Inexistência de Prestador no Município Pertencente à Área Geográfica de Abrangência e à Área de Atuação do Produto

Subseção I - Da Ausência ou Inexistência de Prestador Credenciado no Município

Art. 4º Na hipótese de ausência ou inexistência de prestador credenciado, que ofereça o serviço ou procedimento demandado, no município pertencente à área geográfica de abrangência e à área de atuação do produto, a operadora deverá garantir o atendimento em prestador não credenciado no mesmo município.

§ 1º O pagamento do serviço ou procedimento será realizado diretamente pela operadora ao prestador não credenciado, mediante acordo entre as partes.
§ 2º Na impossibilidade de acordo entre a operadora e o prestador não credenciado, a operadora deverá garantir o transporte do beneficiário até o prestador credenciado para o atendimento, independentemente de sua localização, assim como seu retorno à localidade de origem, respeitados os prazos fixados no art. 3º.
§ 3º O disposto no caput e nos §§ 1º e 2º se aplica ao serviço de urgência e emergência, sem necessidade de autorização prévia.

Subseção II - Da Ausência ou Inexistência de Prestador no Município, Credenciado ou Não

Art. 5º Na hipótese de ausência ou inexistência de prestador, credenciado ou não, que ofereça o serviço ou procedimento demandado, no mesmo município e nos municípios limítrofes a este, desde que pertencentes à área geográfica de abrangência e à área de atuação do produto, a operadora deverá garantir o transporte do beneficiário até o prestador credenciado para o atendimento, assim como seu retorno à localidade de origem, respeitados os prazos fixados pelo art. 3º.

Parágrafo único. A operadora ficará desobrigada do transporte a que se refere o caput caso exista prestador credenciado no mesmo município ou nos municípios limítrofes.

Art. 6º Na hipótese de ausência ou inexistência de prestador, credenciado ou não, que ofereça o serviço de urgência e emergência demandado, no mesmo município pertencente à área geográfica de abrangência e à área de atuação do produto, a operadora deverá garantir o transporte do beneficiário até o prestador credenciado para o atendimento, assim como seu retorno à localidade de origem, respeitado o disposto no inciso XIV do art. 3º.

Parágrafo único. O disposto no caput prescinde de autorização prévia.

Subseção III - Das Disposições Comuns Referentes à Ausência ou Inexistência de Prestador no Município

Art. 7º A garantia de transporte prevista nos arts. 4º e 5º não se aplica aos serviços ou procedimentos previstos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS que contenham diretrizes de utilização que desobriguem a cobertura de remoção ou transporte.
Art. 8º A garantia de transporte prevista nos arts. 4º, 5º e 6º estende-se ao acompanhante nos
casos de beneficiários menores de 18 (dezoito) anos, maiores de 60 (sessenta) anos, pessoas portadoras de deficiência e pessoas com necessidades especiais, estas mediante declaração médica.

Parágrafo único. A garantia de transporte prevista no caput se aplica aos casos em que seja obrigatória a cobertura de despesas do acompanhante, conforme disposto no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS.

Art. 9º Se o beneficiário for obrigado a pagar os custos do atendimento, na hipótese de descumprimento do disposto nos arts. 4º, 5º ou 6º, a operadora deverá reembolsá-lo integralmente no prazo de até 30 (trinta) dias, contado da data da solicitação de reembolso, inclusive as despesas com transporte.

Parágrafo único. Para os produtos que prevejam a disponibilidade de rede credenciada mais a opção por acesso a livre escolha de prestadores e não ocorrendo as hipóteses de que tratam os arts. 4º, 5º ou 6º, o reembolso será efetuado nos limites do estabelecido contratualmente, caso o beneficiário opte por atendimento em estabelecimentos de saúde não participantes da rede assistencial.

CAPÍTULO III - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 10 A autorização para realização do serviço ou procedimento, quando necessária, deverá ocorrer de forma a viabilizar o cumprimento do disposto no art. 3º.
Art. 11. Respeitados os limites de cobertura contratada, aplicam-se as regras de garantia de atendimento dispostas nesta RN aos planos privados de assistência à saúde celebrados antes da vigência da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, salvo se neles houver previsão contratual que disponha de forma diversa.
Art. 12. O descumprimento do disposto nesta RN sujeitará a operadora às sanções administrativas cabíveis previstas na regulamentação em vigor.
Art. 13. O inciso III do art. 2º; e o parágrafo único do art. 7º-A, ambos da Instrução Normativa
- IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos - DIPRO, passam a vigorar com as seguintes redações:
"Art. 2º ........................
I - ..........................
II - .......................
III - O Planejamento Assistencial do Produto, conforme artigo 7º-A e na forma do Anexo V da presente Instrução Normativa, exceto para os produtos que irão operar exclusivamente na modalidade de livre acesso a prestadores.

Parágrafo único. .............." (NR)
"Art. 7º-A. .......................

Parágrafo único. A operadora deverá informar o Ajuste de Rede, que consiste na proporção mínima de prestadores de serviços e/ou leitos a ser mantida em relação à quantidade de beneficiários do produto, visando ao cumprimento dos prazos para atendimento fixados em Resolução Normativa específica editada pela ANS." (NR)

Art. 14. O anexo V da IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da DIPRO, passa a vigorar nos termos do anexo desta resolução.
Art. 15. Ficam revogados os §§ 1º ao 5º do art. 7º; e os incisos I e II do parágrafo único do art. 7º-A, todos da IN nº 23, de 1º de dezembro de 2009, da DIPRO.
Art. 16. Esta RN entra em vigor 90 (noventa) dias após a data de sua publicação.


MAURICIO CESCHIN
Diretor-Presidente

Fonte: Diário Oficial da União; Poder executivo; Brasília, DF, 20 jun. 2011, Seção 1, p.96

Íntegra

Fonte: CREMESP


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Guia Help Saúde > Família >Outras Doenças de Inverno


Além de gripes e resfriados existem outras doenças muito comuns no inverno. O Guia Help Saúde vai mostrar os principais sintomas e tratamentos para ajudar as pessoas que sofrem com elas nesse período do ano:

A Asma acontece devido à inflamação, inchaço e estreitamento dos brônquios, dificultando a passagem do ar. A asma é considerada uma doença inflamatória, com vários fatores desencadeantes, como substâncias ou produtos que irritam as vias aéreas, infecções viraise até atividade física intensa. Seus principais sintomas são tosse, o chiado na respiração, a falta de ar e a sensação de aperto no peito. As crises tendem a piorar no inverno se tornando mais intensos e demorados, podendo até se tornarem contínuos.

Dicas do Help Saúde: Consultas freqüentes com seu pneumologista, usar corretamente os medicamentos nos momentos de crise e também os preventivos. Exercícios supervisionados e evitar lugares muito fechados também são atitudes aconselháveis para o asmático.

A Bronquite é facilmente confundida com a asma, pois também é uma inflamação dos brônquios e bronquíolos, que provoca um inchaço na mucosa e dificulta a passagem de ar. Por isso produz-se um chiado à inspiração e expiração que são característicos da doença. Os sintomas mais comuns da bronquite são a tosse e a produção crônica de secreção.

Dicas do Help Saúde: Consultas freqüentes com seu pneumologista, evitar contato com cigarro, poluição e inalação de gases tóxicos e usar corretamente os remédios indicados pelo seu médico. E importante cuidar da bronquite para que ela não se torne crônica; a bronquite crônica se caracteriza por expectoração em pelo menos três meses por ano, em dois anos consecutivos.

A Rinite Alérgica é normalmente causada depois do contato com poeira, mofo, cheiros fortes, produtos químicos, cigarro, mudanças de temperatura e umidade. O quadro de rinite tem evolução crônica, com períodos de melhora e piora. Os sintomas são coriza, espirros (principalmente pela manhã), coceira no nariz e até mesmo obstrução nasal.

Dicas do Help Saúde: Uso de antialérgicos, corticosteróides e lavagem nasal com soro fisiológicos podem melhorar a qualidade de vida do alérgico. Porém algumas simples atitudes podem melhorar ainda mais o quadro de rinite alérgica como: manter a casa sempre limpa livre de poeira, evitar acúmulo de objetos (principalmente no quarto de dormir) e deixar os ambientes abertos e para que a luz solar entre neles o máximo possível.

A Pneumonia tem origem a partir de infecções virais, bacterianas ou alérgicas. A metade dos quadros de pneumonia é causada por vírus que ataca o aparelho respiratório superior causando um processo inflamatório e o espaço ocupado pelo ar é preenchido por líquido e pus. Dessa maneira o oxigênio encontra dificuldade em atingir o sangue e dependendo da gravidade, a pneumonia pode causar falta de ar. Seus principais sintomas são febre alta, a tosse com fortes dores no peito, catarro e dificuldades para respirar.

Dicas do Help Saúde: Uso de antibiótico caso a pneumonia for bacteriana, além da medicação existe também a fisioterapia respiratória que pode auxiliar o tratamento através de exercícios para expelir o muco dos pulmões e assim agilizando o tratamento. Vacinas contra a influenza também podem ser utilizadas para prevenir a pneumonia principalmente em grupos de risco como pessoas idosas e imunodeficientes.


Fonte: Editoria Help Saúde.

Médicos decidem paralisar atendimento a dez operadoras

A assembleia estadual dos médicos de São Paulo decidiu suspender o atendimento a 10 operadoras de planos e seguros de saúde que ignoraram as propostas de negociação apresentadas pela Comissão Estadual de Honorários Médicos.

São elas:
Seguradoras: Notredame e Porto Seguro.
Medicina de grupo: Gama Saúde, Green Line e Intermédica.
Autogestões: ABET (Telefônica), Caixa Econômica Federal, Cassi (Banco do Brasil), Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e Embratel.

Àquelas que responderam, mas com propostas aquém das reivindicações (Amil, Golden Cross, Medial, Geap, Marítma e Amico), será dado um prazo de 30 dias para aprofundar as negociações.

Os médicos reivindicam recomposição do valor da consulta para R$ 80,00 e procedimentos atualizados proporcionalmente de acordo com a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), além de regularização dos contratos entre médicos e operadoras com a inserção de cláusula de reajuste anual baseado no índice autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para os planos individuais.

Outra decisão aprovada em assembleia é paralisar o atendimento por 72 horas de forma escalonada, por especialidade, para não prejudicar o atendimento ao usuário.Na primeira semana, parará uma especialidade por três dias - Cardiologia, por exemplo; na segunda, outra ; na terceira, mais uma; e assim por diante. São 53 especialidades médicas, o que significa que, se necessário for, não haverá atendimento aos dez planos escolhidos seguidamente por tempo indeterminado. Entretanto, os médicos permanecem abertos à negociação.

A plenária também legitimou a comissão, que é composta pelas entidades estaduais (Cremesp, APM e Simesp), sociedade de especialidades, Academia de Medicina e sindicatos médicos. Também ficou acordado que sejam divulgados na mídia, de forma ampla e abrangente, todos os valores em relação às consultas e alguns procedimentos.

A assembleia foi realizada na noite desta quinta-feira (30/6),na sede da Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas em São Paulo. A mesa de abertura foi composta por Renato Azevedo, presidente do Cremesp; Jorge Machado Curi, presidente da Associação Paulista de Medicina; Cid Célio Carvalhaes, presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de SãoPaulo (Simesp); Jose Roberto Baratella, vice-presidente da Academia de Medicina de São Paulo; Tatiana Queiroz, da Pro Teste e representantes de entidades de cirurgiões dentistas, que participaram da mobilização em apoio aos médicos e em defesa da saúde da população.

O encontro reuniu cerca de 500 médicos, além de representantes das entidades médicas paulistas, das comissões regionais de negociação, da OAB, do Sindhosp, além de deputados e vereadores, entre eles, o presidente da Frente Parlamentar de Saúde, Eleuses Paiva, os vereadores Jamil Murad e Braz Antunes Mattos Neto, e o deputado estadual Carlos Bezerra Junior.

Foto: Osmar Bustos

Fonte: CREMESP

Temas relacionados no Help Saúde: Médico

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com

Guia Help Saúde > Família > Gripe x Resfriado



A chegada do inverno com baixas temperaturas já anuncia uma temporada muito difícil para algumas pessoas. É nessa época do ano que usamos casacos empoeirados que ficam no fundo do armário, as casas e apartamentos ficam mais fechados aumentando a proliferação de ácaros, o ar fica mais poluído, pois as baixas temperaturas não permitem que a dispersão de elementos poluentes. Enfim o inverno pode ser considerado a melhor época para ficar doente, que deu origem à expressão doenças de inverno.

Com o Guia do Help Saúde você vai saber como se cuidar nessa época do ano. Primeiramente é importante que você entenda a diferença entre o Resfriado e a Gripe:

O Resfriado é causado pelo adenovírus e o rinovírus, é uma infecção diferente da gripe. Seus principais sintomas são espirros, coriza e tosse, ele ataca principalmente o garganta e o nariz e sua recuperação acontece em dois ou três dias.

Dicas do Help Saúde: Beber muita água, uma boa alimentação, exercícios regulares e descanso são atitudes fundamentais para evitar o resfriado. Evite também lugares fechados e com aglomeração de pessoas.

A Gripe é uma infecção respiratória causada pelo vírus influenza tipo A e B, é altamente contagiosa. Seus sintomas variam de acordo com as mutações sofridas pelo vírus, mas em geral a “pessoa gripada” sofre com o cansaço extremo, febre por dois ou três dias, coriza, dores no corpo, de cabeça e na garganta. A sua recuperação ocorre em três ou cinco dias.

Dicas do Help Saúde: Beber muita água, uma boa alimentação, exercícios regulares e dormir bem. A vacina também pode ajudar na imunidade.


Fonte: Editoria Help Saúde.

Lançamento do Guia Help Saúde



O blog do Help Saúde inicia hoje o Guia Help Saúde - uma nova grade de conteúdos com assuntos de interesse geral subdivididos em 4 categorias: Urgência, Mulher, Infantojuvenil e Adolescentes e Família.

O objetivo é informar o leitor do nosso blog sobre bem-estar, doenças, acidentes domésticos e outros fatores que envolvem qualidade de vida. Dessa maneira buscamos alertar sobre sintomas de doenças, exames preventivos e vacinação. Além de aconselhar nosso público sobre como lidar com fases específicas da vida como bebês recém-nascidos, os conflitos da adolescência e da terceira idade.

Você também pode participar do nosso blog mandando sugestões de temas que gostaria de saber mais através do e-mail: artigos@helpsaude.com, pelo nosso Twitter www.twitter.com/helpsaude ou pelo Facebook: www.facebook.com/HelpSaude.