segunda-feira, 30 de abril de 2012

CÂNCER DE BOCA

O que é o câncer de boca?

É um tipo de câncer que afeta os tecidos da região da boca e parte da garganta. Pode ocorrer nos lábios, na língua, céu da boca, gengiva, amígdala e nas glândulas salivares. O câncer de boca atinge principalmente indivíduos acima dos 40 anos. Tabagistas e alcoólicos estão entre os principais grupos de risco. Quando não identificado logo no início, o câncer de boca por exigir tratamentos como radioterapia, quimioterapia e até intervenção cirúrgica. 

É um câncer agressivo, chegando a ser fatal. Uma das principais causas de ter prognóstico negativo se deve ao fato de que os primeiros sintomas não são reconhecidos logo.

No Brasil, é o quinto tipo mais comum de câncer entre os homens. 

Segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), em 2010 foram estimados mais de 14 mil casos, sendo 90% dos casos entre os homens. Eles são as maiores vítimas, provavelmente porque costumam fumar e beber mais que a mulheres. Entretanto, o número de casos vem aumentando entre as mulheres, assim como o consumo de álcool e cigarros estar aumentando entre elas. Atualmente, o câncer de boca é o sétimo tipo de câncer mais comum entre as mulheres. Em 2007 era o oitavo.

Quais são os sintomas do câncer de boca? MUITA ATENÇÃO!

O surgimento de feridas na boca que persistem por mais de uma semana sem cicatrizar, ulcerações na superfície da mucosa oral, menores que 2 cm de diâmetro e que não apresentam dor, podendo haver ou não sangramento. Manchas de coloração esbranquiçada ou avermelhada nos lábios ou na mucosa oral. 
Nos estágios avançados da doença, o paciente passa a apresentar dificuldade para mastigar, engolir ou até para falar, além de perda peso de forma acentuada, dor e surgem caroços no pescoço (linfadenomegalia cervical).

Como é feito o tratamento do câncer de boca?

A avaliação para escolha do método de tratamento, bem como o diagnóstico e estadiamento (identificação do estágio da doença) cabem ao oncologista e sua equipe. A intervenção cirúrgica e o tratamento com radioterapia são tanto em conjunto como separados, os métodos mais adotados no tratamento do câncer de boca.  Em lesões ainda no estágio inicial, a cirurgia ou a radioterapia apresentam bons resultados e a indicação de qual método será adotado depende da localização do tumor e das alterações funcionais que o tratamento pode causar. O percentual de cura costuma ser de 80% dos casos. As lesões iniciais são as que estão somente em seu local de origem, sem ter se espalhado para gânglios linfáticos ou outros órgãos através dos vasos linfáticos ou da corrente sanguínea.

No entanto, 10% a 20% dos casos em que surgirem as lesões iniciais da cavidade oral, em especial as que se localizam na língua ou na porção inferior da boca, podem sim se disseminar para os gânglios linfáticos cervicais (no pescoço). Neste casos, o tratamento cirúrgico ou radioterápico do pescoço pode ser adotado. 
Nas demais lesões, quando passíveis de cirurgia, este método é sempre indicado, independente da radioterapia. Quando ocorre o aumento dos gânglios causado por disseminação metastática (células do câncer seguindo pela corrente linfática), recomenda-se o esvaziamento cervical no lado que foi comprometi do. E agora? 

Como se previne o câncer de boca?

Homens com mais de 40 anos devem ter atenção redobrada. O cigarro deve ser evitado, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em torno de 90% dos casos de câncer de boca identificados ocorrem em tabagistas. A freqüência no uso do cigarro esta diretamente ligada ao surgimento da doença, quanto maior o uso, maiores as chances de desenvolver a doença.O consumo regular de álcool também aumenta os riscos de surgimento da doença, principalmente quando associado ao cigarro. O vírus HPV também esta associado ao surgimento da doença, segundo alguns estudos realizados. Radiação solar; o excesso de exposição ao sol sem proteção com filtros labiais, em especial se provoca a descamação recorrente dos lábios, propicia o surgimento de câncer.Baixa taxa de higiene bucal facilitando o surgimento de feridas e infecções recorrentes nas gengivas podem levar ao aparecimento do câncer na boca. Uma dieta pobre em proteínas vitaminas e minerais, assim como o alto consumo de gorduras são também importantes fatores para aumentar o de risco do surgimento da doença.

QUANDO FOI SUA ÚLTIMA CONSULTA AO DENTISTA?
CONHECE ALGUM DENTISTA NA SUA CIDADE? NO SEU BAIRRO?
JÁ PRECISOU DA AVALIAÇÃO DE UM ONCOLOGISTA? 
QUANTOS ONCOLOGISTAS  TRABALHAM NA SUA CIDADE?


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário