quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Transtorno de Estresse Pós Traumático - TEPT ou através da sigla em inglês PTSD (Post-traumatic stress disorder)

O que vem a ser um transtorno?

A palavra transtorno pode ser entendida como querendo significar um prejuízo, algo desorganizado,uma contrariedade, uma perturbação, um turvamento cognitivo do juízo no indivíduo.

O que é oestresse ou stress?

O estresse é uma resposta do organismo frente a um perigo, que prepara o corpo para fugir ou lutar. Está presente nos animais com a finalidade de preservação da espécie, como por exemplo, para fugir de um predador. Hoje não precisamos nos defender de predadores, mas há muitas outras coisas que disparam o gatilho do estresse, que podem ser externas ou internas, agudas ou crônicas. As externas incluem condições físicas adversas (comodor, frio ou calor excessivos) e situações psicologicamente estressantes (más condições de trabalho, problemas de relacionamentos, insegurança, etc). Entre as internas estão também as condições físicas (doenças em geral) e psicológicas. O estresse agudo é uma reação a uma ameaça imediata, que pode serqualquer situação que é experimentada como um perigo. Algumas pessoas, por exemplo, tem verdadeiro pavor de viajar de avião, e quando o fazem, apresentamum estresse passageiro. Contudo, a vida moderna frequentemente nos expõe a situações cronicamente estressantes, e a resposta do organismo ao estresse não é suprimida. Dentre os fatores estressantes crônicos, estão a pressão no trabalho, problemas derelacionamento, solidão, problemas financeiros e a insegurança.

O que é o PTSD?
O PTSD caracteriza-se por uma perturbação psíquica decorrente e relacionada a um evento fortemente ameaçador ao indivíduo, ou a ele como testemunha do drama ocorrido. O transtorno consiste num tipo de recordação que é mais bem definido como revivescência, pois é muito mais forte que uma simples recordação. Na revivescência além derecordar as imagens o indivíduo sente como se estivesse vivendo novamente atragédia com todo o sofrimento que ela causou originalmente. O transtorno então é a recorrência do sofrimento original de um trauma, que além do próprio sofrimento é desencadeante também de alterações neurofisiológicas e mentais.

Experiências traumáticas

Algumas das nossas muitas experiências traumáticas podem ser resultantes de:
a) violência como estupro, assalto à mão armada,etc;
b) desastres naturais como enchentes, terremotos, erupções vulcânicas, furacões, tsunamis, etc;
c) acidentes tais como de carro, avião, trem, incêndios, etc; e
d) também desastres causados deliberadamente como por exemplo as guerras, atosterroristas, tortura física e psicológica, campos de refugiados de guerra, etc

Epidemiologia

Segundo HELZER,ROBINS e MCCEVOY (1987), alguns estudos iniciais de prevalência mostram índices de 1 a 2% de PTSD na população geral nos EUA como o Epidemiologic Catchment Area (ECA) do National Institute of Mental Health (NIMH).

Já estudos mais recentes mostram índices mais altos na faixade 7 a 9% na população geral americana, sendo a maior prevalência em mulheres(Sciancaleporee Motta, 2004).

Alguns estudos igualmente voltaram sua atenção para as prováveis consequências de traumascomo os ataques do 11 de setembro nos EUA (Thiel et al,2003-2004)
É de suma importância estes estudos, na medida em que se vemobservando em todo o mundo,a crescente exposição de pessoas à violência urbana eserem penalizadas compsicopatologias que limitam suas vidas no cotidiano.

No Brasil não há estudos de prevalência de PTSD, mas diantede tanta violência doméstica e urbana, violência contra a mulher, maus tratos acrianças, etc pode-se prever de que a prevalência não seja inferior à de outros países.

Classificação

Segundo o CID 10ºed (Classificação Internacional de doenças) temos nesta categoria F40-F48, Transtornos neuróticos, relacionados ao estresse e somatoformes. Assim, dentro de F43-Reação a estresse grave e transtornos de ajustamento temos o F43.1-Transtorno de estresse pós traumático.

É definido como uma resposta tardia e/ou protraída a um evento ou situação estressante de curta ou longa duração, de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica que causa angústia invasiva emquase todas as pessoas.

Diretrizes diagnósticas

O TEPT caracteriza-se pela presença de, pelo menos, um sintomade cada uma das três categorias:
1. revivência persistente do evento comopesadelos, flashbacks ou alucinações, pensamentos e imagens intrusivos.
2. esquiva persistente de determinados estímulos (GATILHOS), atividadese situações relacionadas ao trauma, bem como sintomas depressivos como perda do interesse por determinadas coisas, isolamento, tristeza, etc.
3. persistente elevação da excitabilidade com distúrbios do sono, irritabilidade, dificuldade deconcentração, hipervigilancia, reações de sobressalto,etc.
Os sintomas devem ter a duração de pelo menos um mês para que o diagnóstico seja estabelecido.
Certos sintomas não compõem o diagnóstico, mas podem serencontrados nos paciente com estresse pós-traumático como dor de cabeça,problemas gastrintestinais, problemas imunológicos, tonteiras, dores no peito, desconfortos.

Grupo de Risco
Qualquer pessoa pode desenvolver estresse pós-traumático, desde uma criança até um idoso. Os sintomas não surgem necessariamente logo após o evento, podem levar meses. O intervalo mais comum entre evento traumatizante e o início dos sintomas são três meses. Muitas pessoas se recuperam dos sintomas em seis meses aproximadamente, outras podem ficar com os sintomas durante anos.

Etiologia

Desde a década de 1990 alguns autores têm sugerido quealgumas estruturas cerebrais ligadas à memória e aos sistemas neuroquímicos, participam na formação doPTSD. Assim também algumas hipóteses psicológicas ligando o trauma e comrespostas condicionadas em indivíduossuscetíveis.

JONES e BARLOW (1990) fizeram uma revisão das diversasteorias sobre a etiologia do PTSD e propuseram um modelo muitointeressante. Eles concluíram que vulnerabilidade biológica do indivíduo,atribuição de significados de ameaça de vida aos estressores, tipo depersonalidade do sujeito e ausência de fator social como algo protetor podemfazer eclodir o PTSD.

Curso e Prognóstico

É bom lembrar de que nem todas as pessoas que passam por experiênciastraumáticas desenvolvem o transtorno. A presença de uma vulnerabilidade psico –biológica pode ser decisiva para desenvolver ou não o PTSD.

Como preditores de mau prognóstico estão os traumasanteriores, outros eventos que foram estressantes na época do evento, falta de suporte social e co-morbidade com outros transtornos psíquicos (por exemplo:um transtorno de humor).

Tratamento

Pode haver uma terapêutica medicamentosa com o uso deantidepressivos e ansiolíticos como a sertralina (O cloridrato de sertralina é um medicamento utilizado no tratamento da depressão. O mecanismo de açãoé a inibição da recaptação da serotonina) e a paroxetina (A Paroxetina é um antidepressivo inibidor darecaptação da serotonina). Uma medicação promissora talvez mais eficaz que a sertralinaé o topiramato (O topiramato não serve apenas paraessas duas coisas enxaqueca e controlo de peso, serve também como estabilizadorde humor). Aliás tem sido amplamente prescrito por médicos, ou seja, o topiramato virou a estrela dos últimos tempos.

As primeiras investigações com ele mostraram uma respostaaltamente satisfatória. Quem não obteve resposta com o tratamento convencionalpode experimentar esse novo anticonvulsivante e estabilizador do humor.

O uso da Terapia cognitivo-comportamental comum e a de exposição é muito recomendada, ou seja, a exposição à memória traumática,promove a extinção da esquiva diante da cena do trauma.

Fonte: Dra. Suely Bischoff Machado de Oliveira, CRP: SP8495, é psicóloga cadastrado no HelpSaúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Câncer de Próstata

O que é o câncer de próstata?

É uma doença que só ocorre nos homens, consiste no desenvolvimento de um tumor na próstata, que é uma glândula do sistema reprodutor masculino. Quando o câncer ocorre, a próstata sofre uma mutação e passa produzir células de forma descontrolada. Essas células se espalham (metástase) para outras partes do corpo, principalmente os ossos e linfonodos. O paciente com câncer pode sentir dor, dificuldade ao urinar, dificuldade na ereção entre outros.

O câncer de próstata atinge principalmente homens acima dos 50 anos, e é o segundo tipo da doença mais comum entre os homens no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Se considerarmos os casos de todos os tipos de câncer em todo o mundo, o câncer de próstata é o sexto em número de ocorrências. Nos países desenvolvidos, o índice de ocorrências é 6 vezes maior que nos países em desenvolvimento.

Pode ser considerado uma doença da terceira idade, pois aproximadamente  75% dos casos em todo o mundo ocorrem após os 65 anos. No Brasil, o aumento no número de casos pode ser explicado pelo aumento na expectativa de vida do brasileiro, melhoria nos métodos diagnósticos e campanhas de informação e conscientização sobre a doença.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

Quando em sua forma inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas.
 No entanto, aos poucos, o paciente passa a apresentar:

•urinar em maior número de vezes durante a noite,
•dificuldade em iniciar e manter um jato contínuo de urina,
•apresenta traços de sangue na urina e
•sente dor durante o ato. 

Também pode interferir na função sexual, causando

•dificuldade em ter ereção ou
•dor durante a ejaculação.

Quando em estágio avançado, conforme a doença se espalha pelo corpo, podem surgir outros sintomas.

Dor nos ossos, principalmente nas vértebras, costelas ou região pélvica são os mais comuns quando o câncer chega nesses ossos.
Se chegar até a coluna, pode pressionar a medula espinhal, fazendo com que o paciente sinta fraqueza nos membros inferiores, incontinência urinária e fecal.

Como é feito o diagnóstico?

Quando existe a suspeita de câncer, é feito uma biópsia da próstata. Durante o procedimento, o médico urologista irá recolher amostras do tecido da próstata através do reto. Com um instrumento específico, agulhas especiais recolhem rapidamente as amostras. É um procedimento rotineiro, que não requer hospitalização.
Uma etapa muito importante no diagnóstico do câncer de próstata, quando instalado, é determinado em qual estágio a doença se encontra. Isso ajudará a definir o tratamento a ser adotado.

 O método mais usado é o sistema de 4 estágios, conhecido como sistema TNM (Tumor/linfoNodo/Metástases).

 Verifica-se:

1.o tamanho do tumor,
2.número de linfonodos existentes e
3.se ocorre a presença de alguma metástase.

Pelo sistema TNM, o câncer dos tipos T1 e T2 estão somente na próstata.
 Os tipos T3 e T4 já se espalharam pelo corpo. Para identificar evidências de metástase, o medico poderá usar exames como tomografia computadorizada, cintilografia ou ressonância magnética.
O patologista, ao analisar as amostras da próstata, irá procurar por indícios de câncer, e se encontrado, irá avaliar o grau do tumor. Essa graduação indica em qual velocidade o tumor se desenvolve.

Quais os tratamentos que existem?

O tratamento a ser adotado vai depender do estágio da doença. Pode se usar cirurgia ou radioterapia.
A remoção cirúrgica da próstata é comumente usada desde estágios iniciais da doença  até para casos em que não houve resposta à radioterapia.
Pode se usar também a terapia hormonal, que usa medicamentos ou cirurgia para bloquear a chegada do hormônio produzido na próstata, impedindo que chegue até as células do câncer de próstata. Esse hormônio é o que faz o câncer crescer e se espalhar pelo corpo. Ao bloquear esse hormônio, o câncer para de crescer ou pode até diminuir, entretanto não promove a cura da doença.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.



DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Drogas

O consumo de drogas no território brasileiro está em um nível alarmante e o maior problema é que além das drogas lícitas como o álcool e o cigarro, as drogas ilícitas estão atraindo cada vez mais usuários.

Motivos que levam pessoas a usar drogas são variados, podemos citar alguns:

Influência por parte de conhecidos
• Dificuldade em enfrentar determinadas situações na vida
Curiosidade
Fuga da realidade

Porém a sensação de alívio momentâneo que as drogas fornecem, simplesmente é uma farsa, pois no lugar de alívio, o que ela gera são vícios e mais problemas na vida do usuário.
Normalmente, usuários de drogas, começam com substâncias mais leves como a maconha, e quando não se satisfazem mais começam a se envolver com drogas mais pesadas, mais perigosas, como a cocaína.

Alguns Exemplos de drogas:

• Maconha
• Cocaína
• LSD
• Crack
• Heroína

Não existem níveis seguros para o consumo dessas substâncias, a partir do momento em que você experimenta, já corre o risco de ficar viciado, e uma vez que esteja viciado, o tratamento vai custar muito esforço.

TRATAMENTO

Campanhas antidrogas estão sempre presentes em nosso cotidiano, porém elas não atingem a totalidade da população. Pessoas que acabam se envolvendo com drogas, podem e devem procurar ajuda tanto em órgãos do governo (Narcóticos Anônimos) como em clínicas de reabilitação. O tratamento na maioria das vezes é lento e exige muita determinação do paciente, mas vale a pena!

Não dê mole às drogas! Viva feliz, viva com saúde!

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Início da Semana Nacional Contra o Alcoolismo

O Ministério da Saúde, com o objetivo de criar uma mobilização nacional, instituiu a 'Semana Nacional Contra o Alcoolismo', que ocorre todos os anos na terceira semana de fevereiro.

A Semana divulga os males causados pelo alcoolismo e também mostrar as dificuldades do alcoólatra para sair dessa dependência, pois o álcool é uma droga lícita, uma das mais consumidas em todo o mundo.

Segundo a OMS - Organização Mundial de Saúde, o alcoolismo é visto como um grave problema de saúde pública no mundo, pois aproximadamente 2 bilhões de pessoas consomem bebidas alcoólicas e seu uso indevido é um dos principais fatores que contribuem para a diminuição da saúde mundial, sendo responsável por 3,2% de todas as mortes

O QUE É ALCOOLISMO?

Nem toda pessoa que bebe muito álcool é considerada alcoólatra. Mesmo que o consumo afete a família ou as responsabilidades de trabalho, ou exponha a pessoa a situações de perigo - como dirigir embriagado -, essa pessoa não é necessariamente alcoólatra. Apesar de abusar do álcool, o que não é nada saudável, pode não desenvolver uma dependência física.

Os alcoólatras, por outro lado, têm uma doença crônica. Eles são fisicamente dependentes do álcool. Sentem necessidade de beber como as outras pessoas sentem necessidade de comer e, uma vez que começam, dificilmente conseguem parar. Eles desenvolvem uma tolerância ao álcool, precisando sempre de mais e mais bebida para sentir os mesmos efeitos.

Quando o alcoólatra tenta parar de beber, sofre sintomas da abstinência:

- suores;
- náuseas;
- ansiedade;
- delírios;
- visões;
- tremores intensos; e
- confusão mental.

No Brasil, são 19 milhões de dependentes do álcool. Homens são duas vezes mais propensos a se tornarem alcoólatras. Ao ingerir uma bebida alcoólica, o cérebro do homem libera mais dopamina (um neurotransmissor, substâncias químicas produzidas pelos neurônios) que o da mulher e cerca de 10% dos homens tornam-se alcoólatras no decorrer da vida e, entre as mulheres, de 3 a 5%.

QUANTOS DRIKS? ATENÇÃO AOS SINAIS

Geralmente o alcoolismo é mais comum 18 e 44 anos. Homens que bebem 15 ou mais drinks por semana e mulheres de bebem mais de 7 drinks podem tornar-se alcoólatras.

É interessante prestar atenção nos sinais porque as pessoas podem tornar-se alcoólatras por fatores genéticos, fisiológicos, psicológicos e sociais. Os sinais são:

- beber para esquecer os problemas
- beber sozinho com frequência, ou seja, "não socialmente”
- falta de apetite, aversão à comida
- irritabilidade ou melancolia quando não ingere álcool
- pequena perda de memória

FATORES DE RISCO

Os fatores de risco que levam ao alcoolismo são os seguintes:

1 - Fatores sociais - pressão social, stress cotidiano, meio ambiente (jovens bebem para acompanhar os amigos), mídia, uso de bebidas destiladas como sinônimo de status;

2 - Fatores Genéticos - pesquisas indicam que filhos de alcoólatras são 4 vezes mais propensos à dependência. A convivência aliada aos fatores cientificamente determinados (pesquisadores tem trabalhado no intuito de determinar os genes exatos da propensão ao alcoolismo)

3- Fatores Fisiológicos - o uso do álcool altera o equilíbrio químico no cérebro, afetando o sistema nervoso central como a citada dopamina. O corpo anseia pelo uso da droga a fim de restaurar momentos de prazer, "mascarar" problemas psicológicos ( baixa estima, depressão etc).


NÃO HÁ CURA. HÁ TRATAMENTO

O alcoolismo não tem cura. Alcoólicos em recuperação podem buscar ajuda médica e aconselhamento (Alcoólicos Anônimos).

A Desintoxicação é a abstinência do álcool com a finalidade de eliminá-lo completamente do organismo. Leva cerca de 4 a 7 dias e os pacientes tomam medicamentos para prevenir os sintomas da abstinência. Existem medicações para prevenir recaídas. Elas bloqueiam as regiões do cérebro responsáveis pela sensação de prazer decorrente da doença.

Sessões de aconselhamento e terapia individual ou em grupo podem auxiliar na recuperação do alcoólatra. Um dos mais reconhecidos programas de recuperação alcoólica é o Alcoólicos Anônimos (AA). Nesse programa de 12 passos, os alcoólatras em recuperação encontram-se regularmente para auxiliar uns aos outros durante o processo de recuperação.

Incentive a Semana Nacional Contra o Alcoolismo, pois a doença não atinge somente o paciente, mas também as pessoas que convivem com ele. Familiares (conjugue e filhos, principalmente) podem sofrer com ansiedade, depressão e problemas comportamentais.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A doença de Parkinson

Esta condição, nomeada em honra ao médico que a descreveu em 1917 (James Parkinson) é a segunda doença neurodegenerativa mais comum do mundo, e afeta cerca de 1% da população mundial, sendo mais frequente em pacientes acima de 65 anos. Mas pode afetar pessoas mais jovens, sem preferência por sexo ou raça.

Suas características clínicas são o tremor de repouso, típico, que ocorre geralmente de forma assimétrica, iniciando-se de um lado e propagando-se gradualmente para o outro lado. A lentidão, ou bradicinesia, e a rigidez aparecem posteriormente.

A doença não é somente motora, mas pode produzir manifestações psíquicas, como ansiedade e depressão, insônia ou excesso de sono, alterações cognitivas, problemas urinários e intestinais, excesso de sudorese e seborreia. Estas manifestações não devem ser negligenciadas, pois muitas vezes são as que mais causam problemas ao paciente.

O tratamento é baseado no uso de medicações que repõem a dopamina, substância que está em falta no cérebro de pacientes com esta condição clínica, e há várias medicações para este tratamento.

Fonte: Dr. Flávio Sallem, CRM: SP96498, é neurologista cadastrado no HelpSaúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.







Camisinha

O carnaval está só começando! E os artigos do HelpSaúde também!

Hoje vamos falar da camisinha, afinal de contas, carnaval é época de beijar na boca, época de se divertir, mas sempre levando a segurança em primeiro lugar.

Uma das principais preocupações hoje em dia é com o sexo seguro, afinal de contas, nos tempos de hoje nós não temos motivos para não nos protegermos.
Além de a camisinha ser praticamente 100 % eficaz quando o assunto é evitar uma gravidez indesejada, ela também é uma importante ferramenta contra as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

As DSTs são sempre motivos de preocupação e um exemplo delas é a AIDS:

O vírus da AIDS é chamado HIV, e durante o ato sexual ele pode ser transmitido, afinal, ele pode estar presente no sangue e no esperma. Este vírus pode demorar até 10 anos para se manifestar, e os sintomas são febre alta, baixa de imunidade, diarréias constantes, entre outros. A cura para esse vírus ainda não foi descoberta, o que existem são medicamentos para controle. A AIDS é a pior das DSTs, ela pode levar à morte.

Por isso, vamos nos divertir com responsabilidade, afinal, queremos a alegria do carnaval sempre. Use Camisinha!

Lembrando que o Ministério da Saúde já lançou a campanha do Carnaval 2012.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Se Dirigir Não Beba

Ano após ano nos deparamos com inúmeros casos de acidentes de trânsito provocados pela bebida. Só no período do feriado do carnaval de 2011, foram registrados mais de 200 casos onde infelizmente as vítimas foram fatais.

Diante de tanta informação, de tantas campanhas e de tantos pedidos, por quais motivos pessoas de todo o mundo ainda insistem em pegar no volante após consumir álcool?
Segundo o IBGE, 78% dos jovens no Brasil dirigem após consumir álcool. As pessoas precisam se conscientizar de que isso é um crime, pois além de você colocar a sua vida em risco, coloca a vida de outro também ao praticar tal ação.

Além da bebida, outro problema é a imprudência por parte dos motoristas. A todo momento ocorrências são registradas por uso indevido do veículo. Número de passageiros além do limite permitido, excesso de velocidade e má conservação do automóvel são alguns exemplos de imprudências.  

O HelpSaúde deseja que neste carnaval, os foliões estejam ligados e conscientizados, pois essa nossa festa é uma das melhores do mundo e não queremos que tanta alegria e tranqüilidade se transformem em momentos de tristeza.

Neste carnaval aproveite muito, mas se for beber, não dirija. 


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

HEPATITE B

O que é hepatite B?
É uma doença infecciosa viral sexualmente transmissível que provoca  uma inflamação do fígado.  Esta inflamação pode ser leve, até imperceptível. Pode também se apresentar como um resfriado comum. Muito raramente ela pode ser bastante grave e levar à morte pela destruição abrangente e rápida do tecido hepático levando a ampla hemorragia.
A principal forma de contágio se dá por transfusão de sangue. A transmissão sexual, no parto e por compartilhamento de agulhas entre usuários de substâncias psicoativas injetáveis são atualmente mais freqüentes do que a contaminação por transfusão.
 Os principais sintomas são mal estar, dores na cabeça e no corpo, cansaço, redução do apetite, febre e náuseas. Os sintomas características são a pele amarelada, coceira, urina com coloração bem escura e fezes com coloração esbranquiçada, comuns a todos os tipos de hepatite (inflamação do fígado) em sua forma aguda.
A principal e mais delicada característica da hepatite B é que cerca de 40% dos infectados com o vírus, mesmo que não tenham apresentado sintoma algum no início da infecção, irão desenvolver doenças hepáticas graves após cerca de 8 anos, pois a doença se tornou crônica. Isso significa que o corpo não conseguiu eliminar sozinho o vírus e este permaneceu durante este tempo silenciosamente destruindo ou alterando as células do fígado. Este processo pode levar ao câncer ou à cirrose

Como se trata a doença?
Não existe tratamento específico para a doença. Pode-se tratar os sintomas  como as náuseas, vômitos e coceiras, bem como medidas para fortalecer as defesas do organismo a fim de evitar as complicações. 
O consumo de álcool deve ser evitado.   Em caso de suspeita da presença do vírus, um exame de sangue específico pode determinar em que estágio está a contaminação ou se o indivíduo está imune à doença.
É necessária a avaliação, inicialmente por um generalista ede um hepatologista se este primeiro assim o indicar.
 
  Como evitar?
A principal forma de prevenção é a vacinação preventiva, já no primeiro mês de vida, o que costuma acontecer ainda na maternidade. As doses de reforço estão contidas no calendário de vacinação da criança.
Adultos que não foram vacinados e não tiveram a doença também deve ser imunizados, assim como pessoas que lidam com doentes, como profissionais de saúde.  Estas vacinas estão disponibilizadas nos postos públicos e particulares de vacinação pelo Brasil.
Geralmente, são necessárias 3 tomadas seriadas para a adequada imunização. Sugerimos um exame sorológico após 3 a 4 meses da terceira vacina a fim de confirmar a imunização.

Epidemiologia
No Brasil, cerca de 15% da população possui o vírus, e pelo menos 1% é portadora crônica da doença. Na população mundial mais da metade já foi infectada pela hepatite B.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

Todos nós já ouvimos falar sobre doenças sexualmente transmissíveis, sabemos que é um problema alarmante, por isso é sempre bom manter os olhos abertos e se cuidar, afinal de contas nos dias de hoje, com tanta informação e métodos para prevenção não podemos dar chance ao azar.

As DST’s são variadas, citaremos algumas e falaremos um pouco de cada para deixar você leitor a par de cada uma delas.

AIDS (HIV) – A Aids é a doença sexualmente transmissível mais conhecida e também a mais preocupante. Até hoje não foi descoberta a cura para este vírus, apenas medicamentos para controlá-lo. Os sintomas variam, alguns deles: forte febre, diarréia, feridas na pele;

Sífilis – É uma doença que se caracteriza por lesões na pele e mucosas. 60% dos casos acontecem nos homens e a sífilis se não for tratada pode causar a morte.

Gonorréia – Sintomas da gonorréia são ardência ao urinar e febre baixa. O combate vem com a higiene adequada ao local e uso de medicamentos. A gonorréia precisa ser logo tratada, no caso das mulheres, ela pode afetar a gravidez.

Como pôde ser visto cada doença tem suas peculiaridades, mas todas podem ser evitadas com o uso da CAMISINHA.

Não vamos deixar a alegria do carnaval virar uma preocupação. Esteja sempre prevenido, ande com uma camisinha na sua carteira ou sua bolsa.

Você já está prevenido?


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Gota

O que é gota?

É uma doença reumatológica, sua principal característica é o aumento nos níveis de ácido úrico no sangue, resultando no acúmulo de cristais de sódio nas articulações, formando depósitos. Estes depósitos de cristais fazem o indivíduo ter crises de artrite aguda.

É uma doença comum e muito antiga. Ocorre principalmente na faixa etária entre 30 a 50 anos, e afeta principalmente aos homens. Nas mulheres, surge com maior freqüência após a menopausa.

A hiperucemia, que é a elevação da taxa de ácido úrico no sangue não significa que o paciente terá gota, a doença ocorre em apenas 20% dos casos de hiperucemia.

Quais são as causa da gota?

A gota pode ser classificada em duas formas: primária e secundária.
Assim:

1. Primária tem relação com a genética da pessoa, podendo ser hereditária, que é mais comum. O organismo da pessoa não faz adequadamente a eliminação do ácido úrico pelos rins, e com isso, o que não for eliminado se acumula, levando à concentração do ácido no sangue e proporcionando à formação dos depósitos de cristais nas articulações.

2. Secundária ocorre quando a gota surge como resultado de outra doença ou de alguns tipos de medicamentos. São doenças como a anemia falciforme e a talassemia; também a leucemia, psoríase, insuficiência renal, obesidade, hipertensão arterial e hipotireoidismo. Todas podem favorecer o surgimento da gota. Entre os medicamentos, diuréticos e o ácido acetilsalicílico, por exemplo, pode provocar uma diminuição na eliminação do ácido úrico pelos rins, levando ao surgimento da gota.

Quais os sintomas da gota?

O sintoma mais comum é o surgimento de um inchaço no dedão do pé, que provoca fortes dores. A primeira crise dura em torno de 3 a 10 dias, e o inchaço e a dor somem, fazendo com que muitas pessoas ignorem o fato e não procurem o médico. Algum tempo depois, que pode ser de alguns meses ou anos, uma nova crise de gota surge e a mesma articulação volta a ser comprometida. No entanto, outras articulações também podem ser afetadas. As crises normalmente costumam atingir os membros inferiores, mas podem ocorrer em outras articulações do corpo. Se a gota não for tratada, as crises de dor aumentam em intensidade e freqüência, podendo atingir várias articulações ao mesmo tempo, além de causar deformações nas articulações.

Como é feito o diagnóstico da gota?

Buscando uma consulta médica. O clínico irá realizar exames, baseado nos sintomas apresentados pelo paciente. Na primeira crise, o diagnóstico exato somente se torna possível se forem detectados cristais de ácido úrico na amostra de líquido retirada da articulação. Quando isso não ocorre, são necessários outros exames, para afastar a possibilidade de que a causa sejam outras doenças. Pode ocorrer de a taxa de ácido úrico apresentar-se normal no exame mesmo durante a crise, e neste caso o médico poderá solicitar que o exame seja refeito após duas semanas. Radiografias podem ser utilizadas para diagnosticar a doença, em especial, na fase em que há deformidade articular.

E o tratamento da gota?

Não existe uma cura definitiva para a doença já que sua causa se deve à deficiência do organismo em eliminar o ácido úrico. O tratamento consiste em dietas e no uso regular de medicação para reduzir o nível de ácido úrico no sangue, para que sejam evitadas as crises. O tratamento não pode ser interrompido ou abandonado mesmo que os sintomas tenham “desaparecido”, pois sem o tratamento, os níveis sanguíneos de ácido úrico voltarão a subir. Se os níveis estiverem muito elevados, o consumo de bebidas alcoólicas deve ser evitado.

Em caso de dúvidas ou curiosidade sobre gota, procure um clínico geral em sua área.
Procure também um nutricionista. Conhece algum no seu bairro? Na sua cidade? Quem sabe o HelpSaúde pode te ajudar.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Proteção Solar

Neste carnaval a ordem é se divertir, seja acompanhando a muvuca dos blocos, seja curtindo uma praia ou praticando esportes. Mas a diversão tem que ser acompanhada de proteção e responsabilidade. O verão no Brasil não é fácil, por isso, além de se hidratar, esteja sempre protegido do sol.

Uma sombrinha não faz mal a ninguém. Evite o sol mais forte, se puder, não vá a praia entre meio dia e 16:00. Se for o caso de sair em blocos nesse horário, não se esqueça do protetor solar, que é um aliado fortíssimo para prevenir o câncer de pele.

É sempre bom lembrar que as crianças devem usar uma proteção maior que os adultos, afinal de contas com a pele mais sensível, estão mais propensas a queimaduras e doenças.

  Problemas causados pelo contato com o sol existem e não são raros em nosso país. Alguns exemplos são:

- Câncer de pele
- Insolação
-  Desidratação

Por isso siga os conselhos do HelpSaúde e curta seu feriado sem transtornos e preocupações.
Esperamos que as dicas tenham sido úteis para você. Prepare seu kit carnaval, proteja-se e indique nosso blog para seus amigos e conhecidos.

Não queremos ninguém fora dessa né?


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Saúde da sua Casa- Manutenção

Quando trocar o filtro de água?
Recomenda-se trocar a cada 6 meses ou 3 mil litros de água. Durante a troca, é importante realizar uma limpeza e lavagem em todo o filtro, para remover impurezas. Lembre-se de anotar nele mesmo e em alguma agenda a data da instalação e em seguida a da última troca. Esquecer esse prazo significa beber água não potável, o que leva ao risco de diversas incecções.

Quando limpar o filtro do ar condicionado?
Se você tiver animais em casa, ambiente com muita poeira ou fumantes, ou usa muito o ar condicionado, o intervalo entre as trocas pode diminuir. O recomendado é verificar o filtro mensalmente, e trocar sempre que necessário.

Quando fazer a revisão do aparelho de gás e do fogão?
Deve ser feita anualmente, ou sempre que apresentar cheiro de gás vazando ou alteração no consumo de gás, como gasto excessivo.

Quando limpar a geladeira?
Recomenda-se limpar a cada 6 meses. Desligue a geladeira da tomada, descongele completamente, e para a limpeza, utilize sabão neutro, água e um pano macio.

Quando e como limpar a caixa d´água e cisterna?
Caixas d´água e cisternas devem ser limpas anualmente. Feche os registros para impedir a entrada da água, esvazie completamente, e tampe todos os canos para impedir que a água suja desça pela tubulação. Esfregue o fundo e as paredes usando panos e escovas de cerdas macias. Não use produtos de limpeza, para não correr o risco de contaminar a água quando for reabastecer novamente. Após lavar, remova toda a sujeira, seque bem e encha a caixa.








 Veja mais dicas aqui mesmo no Blog do HelpSaúde.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Dia da Papiloscopia - 5 de Fevereiro

Papiloscopia é uma ciência cujo objetivo é a identificação de pessoas através de suas saliências da pele, as papilas dérmicas, que existem na palma das mãos e sola dos pés, sendo mais conhecida pelo estudo das impressões digitais.

A papiloscopia no Brasil
Em 1901, durante o 3° Congresso Científico Latino Americano, realizado na cidade de Montevidéu, Uruguai, foi apresentado o método datiloscópio. Esse método foi adotado oficialmente no Brasil em 5 de fevereiro de 1903, conforme o decreto n° 4764. Surgia no país a papiloscopia, e passou-se a considerar a impressão digital de uma pessoa como uma prova conclusiva sobre a identidade do indivíduo.

A papiloscopia na história da humanidade

Estudos revelam que desde muito tempo atrás o homem procurava meios de entender ou utilizar as impressões digitais.

Já foram encontrados desenhos, possivelmente da pré-história, onde aparece o desenho de uma mão com uma digital em espiral. Na China do século VII, pra efetivar um divórcio, o marido deveria entregar à mulher divorciada um documento autenticado com a sua impressão digital. Na Índia do século IX, os analfabetos tinham seus documentos autenticados por sua impressão digital. Entretanto ainda não havia um uso científico para as impressões digitais.

Um professor de anatomia que lecionava na Universidade de Bolonha, Itália, estudou o relevo da pele utilizando um recém inventado microscópio e identificou os curiosos relevos na pele da ponta dos dedos, mas em seu estudo não havia nada que indicasse um possível uso científico para tal descoberta.

Em alguns países, criminosos eram marcados fisicamente para posterior identificação. Faziam marcas na pele com instrumentos de corte ou até marcações com ferro em brasa e mutilações, além de tatuagens. Na França era comum o uso do ferro em brasa para marcar e identificar os criminosos, porém essa prática caiu em desuso na maioria dos países em meados do século XVIII, com o início do desenvolvimento de leis criminais.

Criminosos recorrentes recebiam penas mais severas, porém como não existiam formas conclusivas de identificação, era muito fácil assumir uma nova identidade, praticar novos crimes e se passar por indivíduo sem antecedentes criminais. Então, ficou claro que era necessária uma forma definitiva de identificação.

O professor de anatomia da Universidade de Breslau, Johannes Evangelista Purkinje, divulgou sua tese onde apresentava nove padrões de impressões digitais, porém assim como seu colega de Milão, Não mencionou o uso desses padrões como forma de identificação.

Foi o francês Alphonse Bertillon, em 1879 que divulgou pela primeira vez um método científico de identificação, método esse que foi largamente aceito. A antropometria indicava uma série de medidas físicas baseadas em procedimentos descritos de forma muito detalhada.

Diversos estudiosos e cientistas desenvolveram métodos e estudo sobre o uso da impressão digital. Juan Vucetich, nascido no país onde hoje é a Iugoslávia, naturalizou-se argentino e ingressou na polícia de La Plata (Buenos Aires), onde criou um método próprio de arquivamento e identificação de impressões digitais, e batizou de icnofalangiometria. Graças a esse método, houve o primeiro caso de crime solucionado através da identificação por impressões digitais. Em 1892, uma mulher chamada Francisca Roja matou dois filhos; cortou a própria garganta e tentou incriminar seu vizinho. Porém, a polícia encontrou na casa diversas manchas de sangue com digitais marcadas, e ao compará-las, ficou provado que pertenciam à Francisca.

Desde então, a Papiloscopia se consagrou como uma importante ferramenta forense.

Inúmeros delitos foram solucionados e os culpados condenados por seus crimes a partir deste recurso.

A profissão de papiloscopista faz parte da composição dos quadros de policiais no Brasil.

São funções do papiloscopista:
  • Elaborar peças de caráter técnico referentes a documentos ou fragmentos de impressões digitais colhidos em locais de crimes;
  • Realizar diligências policiais e participar de operações, quando requisitado pela autoridade competente.
  • Identificação neonatal (impressões podoscópicas em recém-nascidos);
  • Colher impressões digitais para os requerimentos de documentação da população;
  • Realizar os exames de Representação Facial Humana (Retratos Falados, Projeções de Envelhecimento, de forma manual ou com auxílio de ferramentas computacionais;
  • Realizar exames de projeção de envelhecimento em casos de desaparecidos;
  • Realizar a identificação papiloscópica de indivíduos nos casos previstos em lei;
  • Coordenar e organizar os arquivos de impressões digitais conforme as técnicas de classificação das estruturas das cristas papilares;
  • Consultar, incluir e emitir a folha de antecedentes criminais sobre uma pessoa (para instrução de inquéritos policiais, processos judiciais e certidões);
  • Proceder consultas criminais diversas;
  • Gerenciar a inclusão dos dados civis e criminais de indivíduos nos sistemas informatizados públicos.
Entre outras funções.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Dia Nacional da Mamografia - 5 de Fevereiro

O Dia Nacional da Mamografia foi criado em 2004 pela Senadora Lúcia Vânia, a pedido do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) – entidade legítima representante do médico radiologista brasileiro – com o objetivo de incentivar o desenvolvimento da mamografia no Brasil. Esta data foi escolhida em homenagem à Santa Ágata, protetora das doenças mamárias e padroeira dos mastologistas.

Comemorado em 5 de fevereiro, o Dia Nacional da Mamografia é uma oportunidade para refletir, discutir e agir para melhorar a abrangência e qualidade na realização desse exame, que é o mais eficaz para diagnosticar o câncer de mama.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) indicam que o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo, e o mais comum entre as mulheres, e apresenta uma taxa de 22% de casos novos a cada ano. Entretanto, quando a doença é diagnosticada precocemente, as chances de sucesso no tratamento são grandes.

No Brasil, ainda é alto o índice de mortalidade por câncer de mama. Pesquisas do INCA, em 2008, registraram quase 12 mil óbitos. Em 2010, o instituto calcula o aparecimento de mais de 49 mil novos casos.

O CÂNCER DIAGNOSTICADO PELA MAMOGRAFIA TEM ALTO ÍNDICE DE CURA

Mamografia é o método diagnóstico do câncer de mama que utiliza raios-X, sendo atualmente o mais eficaz para a detecção precoce do câncer.

A mamografia periódica diminui a mortalidade por câncer de mama, pois permite o diagnóstico de lesões muito pequenas e, com isto, o seu tratamento é relizado logo numa fase inicial.

A partir dos 40 anos cresce o risco de incidência da doença nas mulheres sem histórico familiar de câncer de mama, por isso, médicos recomendam desta idade em diante seja feita a mamografia anualmente e é indicado às mulheres com histórico familiar, iniciar mais precocemente o exame anual: A partir dos 35 anos.

O QUE É A MAMOGRAFIA?

A mamografia é uma radiografia realizada com aparelhos específicos para avaliação das mamas. Este exame pode diagnosticar o câncer de mama até 2 anos antes de ser palpável, seundo o FDA (órgão americano de vigilância sanitária - The United States Food and Drug Administration).

Ela é realizada através de um aparelho de Raio-X denominado mamógrafo.

COMO SE REALIZA O EXAME?

  • É necessário retirar a roupa da cintura para cima. Não é indicado vestir saia ou vestido.
  • Não use talco, desodorante, perfume no dia do exame, pois podem alterar o resultado com resíduos.
  • A mama é comprimida no aparelho para que fique numa espessura mais uniforme.
  • Normalmente, o médico faz 2 ou mais radiografias em cada mama.
  • Para a identificação mais precisa de tumores invasivos, posicione-se corretamente durante o exame.
  • A mama é posicionada horizontal e verticalmente no aparelho.
  • O Raio-X pode detectar alteração nas mamas como nódulos, cistos e microcalcificações.

A MAMOGRAFIA DIGITAL se assemelha à mamografia convencional por usar raio-x na produção das imagens. Entretanto, o sistema é equipado com detector digital e um computador, ao invés de fita cassete, que converte as imagens em fotos digitais que podem ser revisadas no monitor do computador.

A mamografia CONVENCIONAL pode levar de 30 minutos à uma hora para um diagnóstico e às vezes é necessário refazê-la (o que expõe a nova carga de radiação).

Na MAMOGRAFIA DIGITAL, o paciente fica de pé, na mesma posição que a convencional, porém um dispositivo eletrônico grava as imagens geradas pelo raio-X apenas 15 segundos após a exposição, recebendo assim, menor dose de raios-X e maior qualidade no diagnóstico.

GUARDE AS MAMOGRAFIAS dos últimos 4 anos para que possam ser comparadas.

LEMBRETE: HOMENS TAMBÉM PODEM SER ACOMETIDOS PELO CÂNCER DE MAMA

Apesar da incidência da doença ser considerada baixa (1% dos cânceres malignos) em homens, sua incidência vem aumentando a cada ano. Geralmente, este tipo de câncer atinge os homens de idade mais avançada, sendo mais frequente na faixa etária de 50 e 60 ano. Representa apenas 0.6% de todos os outros tipos de câncer que atingem o sexo masculino. Homens: em caso de suspeita, faça uma mamografia!

Encontre em dois cliques um mastologista perto de você e marque uma consulta.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Foto: Philips

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Novo Limpador Bucal Pode Eliminar Cáries “Dentro de Nossas Vidas"

Uma simples espécie de bactéria é responsável pelas cáries. Mas até agora, limpadores bucais têm trabalhado esterilizando sua boca como um inteiro. Mas por que matar todas as bactérias se você pode matar apenas as que são prejudiciais? Isso é exatamente o que a Colgate tem feito e o resultado pode significar o fim das cáries – para sempre.

A espécie de bactérias Streptococcus mutans constitui apenas 0.1 % da biomassa que reside em sua boca (curiosidade: 100 trilhões de bactérias vivem lá) mas é o caso principal de danos. Os outros 99.9% são constituídos de bactérias inofensivas e até mesmo benéficas à nossa saúde. Para poupar essas bactérias inofensivas da morte na hora da lavagem, um grupo de pesquisas do Centro de Tecnologia Colgate junto com a UCLA Escola de Odontologia desenvolveu um limpador bucal que mata apenas S. mutans e o faz de forma eficaz.

O estudo, foi publicado em novembro no questionário da revista Carries Research, envolvendo 12 voluntários que bochecharam com uma solução contendo um “específico alvo peptídeo  anti-microbiano”. Após um simples enxágüe os S. mutans foram completamente exterminados e os pacientes permaneceram livres dessa bactéria pela duração dos quatro dias de estudo. O restante das bactérias foi deixado intacto.

Obviamente, um teste de mais de 12 pessoas será necessário para obter a aprovação do FDA. É por isso que mais estudos já estão agendados para o início de Março. Se ganhar essa aprovação do FDA, esse limpador bucal pode ser maior que o fluor – você não precisará mais escovar os dentes.

“Com essa nova tecnologia antimicrobiana temos a expectativa de eliminar problemas dentários em nossas vidas” Dr Wenyuan Shi, presidente da seção oral biológica da UCLA, disse por escrito.

Fonte: Gizmodo

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O Carnaval e a Bebida

Carnaval é sinônimo de folia e a cada ano o número de foliões só cresce no Brasil para essa esperada data.

Mas junto com o carnaval, vem o consumo de bebidas e as preocupações com a saúde da população. O HelpSaúde resolveu então abordar este tema e mostrar os perigos que o consumo de bebidas alcoólicas em excesso pode gerar e dar algumas dicas para você curtir o carnaval com segurança.

PERIGOS

A bebida alcoólica, se consumida dentro dos limites não oferece risco, porém quando passamos do limite estamos propensos a certos riscos, como por exemplo:
  • Desidratação
  • Perda de reflexos
  • Desmaios
  • Queda de pressão

DICAS

Apesar de tudo, os foliões estão permitidos a beber, então ai vão algumas dicas para aproveitar seu dia e não acordar com ressaca:

  • Nunca beber de barriga vazia: Sempre se alimente antes de começar a ingerir álcool.
  • Não misturar as bebidas: Tome cuidado, não misture cerveja e destilados, seu organismo pode não absorver da melhor forma possível.
  • Se hidrate: Entre uma dose e outra de bebida beba regularmente um copo d’água, assim, você não corre risco de desidratação.
Portanto, vamos curtir este carnaval com muita alegria e responsabilidade, afinal de contas, ninguém merece ter que enfrentar uma daquelas ressacas depois.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Carnaval! Folia, Alegria e Fantasia

Fevereiro chegou e junto com ele também o Carnaval. O HelpSaúde quer trazer as melhores informações relacionadas com o assunto.

Acompanhe no nosso Blog os temas relacionados ao Carnaval como: hidratação, cuidados com crianças, uso da camisinha, AIDS e doenças sexualmente transmissíveis.

Curta a folia, mas sem prejudicar a sua saúde.