segunda-feira, 30 de abril de 2012

1º de maio – Dia Internacional do Trabalhador


Tudo começou em 1886 quando em Chicado nos Estados Unidos foi feita uma manifestação com milhares de trabalhadores reivindicando a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias. Mais tarde, em 1889, um Congresso Socialista realizado em Paris decidiu homenagear a greve geral de 3 anos atrás com uma data: 1º de maio.

Nessa data, então, seria convocado anualmente uma manifestação com o objetivo de manter a luta pela proposta de 8 horas de trabalho por dia.

No Brasil, a data foi consolidada em 1924 no governo de Artur Bernardes.

Fatos importantes do 1º de maio no Brasil:

- Em 1º de maio de 1940, o presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo. Com o dever de tentar suprir as necessidades básicas de uma família (moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação e lazer)

- Em 1º de maio de 1941 foi criada a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e aos direitos dos trabalhadores.

Aproveitando esse dia é importante prestar homenagem aos profissionais especializados em Medicina do Trabalho ou Medicina Ocupacional.

Essa é uma especialidade médica que se ocupa da preocupação e preservação com a saúde do trabalhador. Esse profissional avalia a capacidade do candidato a determinado trabalho. A fim de preservar a saúde dos trabalhadores, o médico é instruído para e realizar reavaliações periódicas de sua saúde dando ênfase aos riscos ocupacionais aos quais estes trabalhadores ficam expostos.

A ciência que estuda os acidentes e as doenças do trabalho e chamada de infortunística.



Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe 2012


Sobre a vacina:

A vacina contra a gripe tem ação imunitária durante 12 meses e está comprovado que é o meio mais eficaz de prevenção da infecção gripal. A vacina atua de modo a ensinar o sistema imunológico a concentrar suas forças para um contra-ataque rápido.

Campanha:

Vai ser disponibilizado nos postos de vacinação a vacina contra a gripe nos dias de 5 a 25 de maio. Esse é um direito assegurado pelo SUS, e é indicado para reforçar a proteção de quem mais precisa: Gestantes, pessoas com 60 anos ou mais e crianças de 6 meses a menores de 2 anos.





Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

CÂNCER DE BOCA

O que é o câncer de boca?

É um tipo de câncer que afeta os tecidos da região da boca e parte da garganta. Pode ocorrer nos lábios, na língua, céu da boca, gengiva, amígdala e nas glândulas salivares. O câncer de boca atinge principalmente indivíduos acima dos 40 anos. Tabagistas e alcoólicos estão entre os principais grupos de risco. Quando não identificado logo no início, o câncer de boca por exigir tratamentos como radioterapia, quimioterapia e até intervenção cirúrgica. 

É um câncer agressivo, chegando a ser fatal. Uma das principais causas de ter prognóstico negativo se deve ao fato de que os primeiros sintomas não são reconhecidos logo.

No Brasil, é o quinto tipo mais comum de câncer entre os homens. 

Segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), em 2010 foram estimados mais de 14 mil casos, sendo 90% dos casos entre os homens. Eles são as maiores vítimas, provavelmente porque costumam fumar e beber mais que a mulheres. Entretanto, o número de casos vem aumentando entre as mulheres, assim como o consumo de álcool e cigarros estar aumentando entre elas. Atualmente, o câncer de boca é o sétimo tipo de câncer mais comum entre as mulheres. Em 2007 era o oitavo.

Quais são os sintomas do câncer de boca? MUITA ATENÇÃO!

O surgimento de feridas na boca que persistem por mais de uma semana sem cicatrizar, ulcerações na superfície da mucosa oral, menores que 2 cm de diâmetro e que não apresentam dor, podendo haver ou não sangramento. Manchas de coloração esbranquiçada ou avermelhada nos lábios ou na mucosa oral. 
Nos estágios avançados da doença, o paciente passa a apresentar dificuldade para mastigar, engolir ou até para falar, além de perda peso de forma acentuada, dor e surgem caroços no pescoço (linfadenomegalia cervical).

Como é feito o tratamento do câncer de boca?

A avaliação para escolha do método de tratamento, bem como o diagnóstico e estadiamento (identificação do estágio da doença) cabem ao oncologista e sua equipe. A intervenção cirúrgica e o tratamento com radioterapia são tanto em conjunto como separados, os métodos mais adotados no tratamento do câncer de boca.  Em lesões ainda no estágio inicial, a cirurgia ou a radioterapia apresentam bons resultados e a indicação de qual método será adotado depende da localização do tumor e das alterações funcionais que o tratamento pode causar. O percentual de cura costuma ser de 80% dos casos. As lesões iniciais são as que estão somente em seu local de origem, sem ter se espalhado para gânglios linfáticos ou outros órgãos através dos vasos linfáticos ou da corrente sanguínea.

No entanto, 10% a 20% dos casos em que surgirem as lesões iniciais da cavidade oral, em especial as que se localizam na língua ou na porção inferior da boca, podem sim se disseminar para os gânglios linfáticos cervicais (no pescoço). Neste casos, o tratamento cirúrgico ou radioterápico do pescoço pode ser adotado. 
Nas demais lesões, quando passíveis de cirurgia, este método é sempre indicado, independente da radioterapia. Quando ocorre o aumento dos gânglios causado por disseminação metastática (células do câncer seguindo pela corrente linfática), recomenda-se o esvaziamento cervical no lado que foi comprometi do. E agora? 

Como se previne o câncer de boca?

Homens com mais de 40 anos devem ter atenção redobrada. O cigarro deve ser evitado, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em torno de 90% dos casos de câncer de boca identificados ocorrem em tabagistas. A freqüência no uso do cigarro esta diretamente ligada ao surgimento da doença, quanto maior o uso, maiores as chances de desenvolver a doença.O consumo regular de álcool também aumenta os riscos de surgimento da doença, principalmente quando associado ao cigarro. O vírus HPV também esta associado ao surgimento da doença, segundo alguns estudos realizados. Radiação solar; o excesso de exposição ao sol sem proteção com filtros labiais, em especial se provoca a descamação recorrente dos lábios, propicia o surgimento de câncer.Baixa taxa de higiene bucal facilitando o surgimento de feridas e infecções recorrentes nas gengivas podem levar ao aparecimento do câncer na boca. Uma dieta pobre em proteínas vitaminas e minerais, assim como o alto consumo de gorduras são também importantes fatores para aumentar o de risco do surgimento da doença.

QUANDO FOI SUA ÚLTIMA CONSULTA AO DENTISTA?
CONHECE ALGUM DENTISTA NA SUA CIDADE? NO SEU BAIRRO?
JÁ PRECISOU DA AVALIAÇÃO DE UM ONCOLOGISTA? 
QUANTOS ONCOLOGISTAS  TRABALHAM NA SUA CIDADE?


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Dia Internacional das Vítimas de Acidentes do Trabalho e de Doenças Profissionais

Por que dia 28 de abril?

Foi estabelecida essa data devido ao ocorrido no dia 28 de abril de 1969, quando em Farmington – Virginia, nos Estados Unidos, ocorreu uma explosão em uma mina e assim morreram 78 mineiros. Em 2003 a OIT (Organização Internacional do Trabalho) passa a comemorar oficialmente esse dia em memória das vítimas das más condições de trabalho. Mas no Brasil só ocorreu o reconhecimento oficial em 2005.

O Brasil ocupa o 4º lugar no ranking mundial. Segundo relatório da OIT, 1,3 milhão dos casos estão relacionados ao descumprimento de normas básicas de proteção aos trabalhadores e péssimas condições nos ambientes e processos de trabalho.

Saiba algumas das mais comuns doenças causadas pelas condições de trabalho:

Dermatoses ocupacionais – Causadas por contato com agentes biológicos, físicos e químicos, principalmente. Os sintomas são alteração da pele e mucosas. Os trabalhadores em fábricas químicas são os mais prejudicados com ela.

LER/DORT – Decorrente de problemas com o local de trabalho e com os movimentos repetitivos. Os empregados dos setores industriais podem ser prejudicados com esta doença.

Perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR)
– Diminui gradativamente a audição dos trabalhadores por exposição continuada a níveis muito elevados de ruído. Metalúrgicos sofrem com este problema.

Pneumoconioses – Doenças pulmonares ocasionadas pela inalação de poeiras químicas como da sílica e dos asbestos, que causam silicose e asbestose. Químicos, trabalhadores da construção civil e mineradores podem sofrer com estes problemas.

Distúrbios mentais – Mais difíceis de detectar e principalmente relacionar ao trabalho, podem ter ligação com diversas circunstâncias e grau de desenvolvimento. Sofrem com isso operadores de telemarketing e bancários.

DPM – Distúrbio Psiquiátrico Menores. Sintomas: Cansaço, nervosismo e insatisfação gerando ansiedade, depressão ou estresse.

Segurança e Saúde para todos é um direito e não um privilégio!

Importantes Leis Trabalhistas dão assistência para melhorar a situação do trabalhador. São diversas leis pautadas sobre os assuntos:

- TEMPO DA JORNADA DE TRABALHO
- INTERVALOS PARA DESCANSO
- FÉRIAS
- REPOUSO SEMANAL REMUNERADO
- SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.



Psicoterapia e Medicação

Até a primeira metade deste século não havia tratamento efetivo para doenças mentais graves. A psicanálise, agora já com mais de cem anos de existência, iniciou seu percurso tratando distúrbios psíquicos em pacientes inseridos na sociedade.  Pacientes que apresentavam quadro psicótico no início da idade adulta iam terminar seus dias em hospitais psiquiátricos.

Convém relembrar que os primeiros manicômios teriam sido construídos em países árabes (Iraque, Síria e Egito), entre o oitavo e o décimo-terceiro séculos. Posteriormente o modelo foi adotado na Europa. Esse tipo de assistência foi a maneira encontrada pela sociedade, quando não dispunha de recursos terapêuticos, a fim de abrigar e isolar doentes mentais graves. Surpreendentemente esta conduta de atendimento estava sendo adotada até há pouco tempo atrás.

O longo período de internação representava uma ruptura importante entre o doente e a família/comunidade, causando desorganização da família e problemas socioeconômicos.

Equipes multidisciplinares, constituídas de psicólogos, psiquiatras, enfermeiros, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, dentre outros, passaram a desempenhar importante papel no tratamento de pessoas, com todo tipo de mal-estar psíquico, em seu próprio ambiente, integrado á família, ao seu trabalho e á sociedade, demonstrando que qualquer pessoa está sujeita á períodos psiquicamente mais conturbados e de diferentes níveis, combatendo assim, o preconceito na sociedade, evitando a desintegração familiar, tratando o paciente de modo mais eficiente, racional e humano.

Assim os medicamentos e as técnicas psicoterápicas evoluíram de formas diferentes. Os psicofármacos (medicação utilizada para o alívio de mal-estar psíquico) produzem efeitos mais rápidos no paciente, se comparados á psicoterapia, porém não curam o indivíduo, mas sim aliviam seu sofrimento. Como exemplo, cito que a aspirina pode baixar a febre sem curar a infecção que a origina, assim, a maioria dos medicamentos psicoativos atuam controlando os sintomas.

A psicoterapia por sua vez, possui efeito mais profundo, porém em longo prazo, tratando não somente sua sintomatologia, prevenindo o reaparecimento, produzindo a compreensão e a reflexão sobre a situação. 


Contudo é um acompanhamento sem prazo determinado para encerrar-se. Caso o paciente necessite medicação no auxílio do alívio de seus sintomas, um trabalho conjunto entre psicólogo e psiquiatra deve ser empreendido, pois tais áreas complementam-se e não divergem, como algumas pessoas ainda supõem.

A orientação sobre a melhor direção a ser tomada cabe ao profissional, pois cada sujeito possui características próprias, sintomas particulares e desejos singulares, não permitindo que o preconceito impeça a busca de uma qualidade de vida superior para si bem como com o grupo que o cerca.



Fonte: Dra. Roberta Bolla , CRP: RS07/08722, é Psicóloga cadastrada no HelpSaúde. Precisando de um psicólogo busque um perto de você em nosso site.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Pressão alta no idoso

O paciente idoso é considerado de risco muito maior de problemas cardiovasculares, isto somente pela idade avançada.

Quando o idoso é acometido de hipertensão arterial, o tratamento deve ser imediato  pelo risco de o mesmo ser  vítima de acidente vascular cerebral ou de um infarto agudo do miocárdio. Na população normal, o índice de hipertensão arterial é de aproximadamente de 35%, após os 65 anos de idade o índice sobe para 50%. No idoso a pressão alta ocorre mais na pressão sistólica, pela falta de elasticidade daartérias.Esta apresenta um risco maior de problemas cardiovasculares.

Nós profissionais do ramo da saúde devemos ser muito cautelosos para tratar a pressão alta no paciente idoso, pois a Pressão sistólica abaixo de 13 cm/Hg   pode ocasionar queda e fraturas.

Como eu trato a pressão alta no idoso

Temos que conversar muito com o paciente, para saber detalhadamente a sua história clínica, isto para um correto diagnóstico de sua hipertensão arterial. É muito importante conhecer a história familiar, quando foi o inicio da hipertensão e o  comportamento dessa pressão arterial ao longo dos anos.Se o inicio foi recente e de difícil controle sugere que o paciente deve ter um problema renovascular, isto é muito importante para sabermos qual o medicamento deve ser usado para o paciente. Algum problema de aterosclerose com obstrução de vasos pode dificultar numa medida correta da pressão arterial.

Tratamento não medicamentoso: recomendamos a diminuição da ingestão de sal, prática de atividade física diária, se o paciente estiver com o peso acima do recomendável, deve ingerir alimentos mais naturais como verduras, legumes e frutas, no  máximo 25 cal/Kg  por dia. 

Tratamento medicamentoso: Geralmente o idoso é mais sensível aos anti-hipertensivos, por isso iniciamos o tratamento com doses baixas e vamos aumentando de acordo com a necessidade. Iniciamos o tratamento com diuréticos e betabloqueadores, este se o paciente não foi portador de algum problema pulmonar o que nos chamamos de DPOC, (doença pulmonar obstrutiva crônica), se o paciente for portador de algum problema pulmonar tratamos com diuréticos e antagonistas dos canais de cálcio de ação prolongada, ou inibidores da enzima de conversão ou bloqueadores dos receptores AT1 da angiotensina II. Estes medicamentos diminuem enormemente o risco de AVC e infarto do miocárdio.

É importante ressaltar que a hipertensão arterial não costuma causar sintomas, por isso, é conhecida como a "matadora silenciosa", sendo as consultas dos idosos ao médico deve ser mais freqüente, pois a prevenção é o melhor caminho.

Veja também o artigo sobre O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão.

Fonte: Dr. José Umbelino de Morais, CRM: MG-8953 , é médico cadastrado no HelpSaúde. Se precisar de um médico procure em nosso site.

Semana Pan-Americana de Vacinação

A semana Pan-Americana de Vacinação deste ano vai do dia 21 a 28 de abril.  Essa é uma ação promovida pela Opas/OMS em parceria com ministérios da Saúde de países das três Américas e organismos internacionais.

Nela consiste uma programação intensa de imunizações contra doenças como sarampo, poliomielite e febre amarela na América do Sul, Central, do Norte e Caribe. No Brasil serão oferecidas diversas vacinas do calendário básico. 


Como todos nós já sabemos, é melhor prevenir do que remediar, certo? Então vamos aproveitar essa semana e colocar a carteira de vacinação em dia. Todos estão convidados, adultos e crianças.

Sobre as vacinas:

As vacinas provocam um estímulo à produção de anticorpos, assim esses anticorpos atuam na defesa do nosso organismo contra vírus e bactérias. Assim não protege somente quem está vacinado, mas também ajuda a comunidade como um todo. Quanto mais pessoas forem protegidas, menor será a chance de qualquer uma delas - vacinada ou não - ficar doente. Além disso, algumas doenças que são prevenidas por vacina podem ser erradicadas por completo.

No Brasil, o Ministério da Saúde oferece gratuitamente um grande número de vacinas pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) e algumas outras podem ser encontradas em clínicas particulares. 

Todos devem ficar atentos aos calendários básicos de vacinação.

Abaixo você pode ver o calendário básico de vacinação das crianças:




Orientações importantes para a vacinação da criança:
 (1) A primeira dose da vacina contra a hepatite B deve ser administrada na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do recém-nascido. O esquema básico se constitui de 03 (três) doses, com intervalos de 30 dias da primeira para a segunda dose e 180 dias da primeira para a terceira dose.
(2) O esquema de vacinação atual é feito aos 2, 4 e 6 meses de idade com a vacina Tetravalente e dois reforços com a Tríplice Bacteriana (DTP). O primeiro reforço aos 15 meses e o segundo entre 4 e 6 anos.
(3) É possível administar a primeira dose da Vacina Oral de Rotavírus Humano a partir de 1 mês e 15 dias a 3 meses e 7 dias de idade (6 a 14 semanas de vida).
(4) É possível administrar a segunda dose da Vacina Oral de Rotavírus Humano a partir de 3 meses e 7 dias a 5 meses e 15 dias de idade (14 a 24 semanas de vida). O intervalo mínimo preconizado entre a primeira e a segunda dose é de 4 semanas.
(5) A vacina contra febre amarela está indicada para crianças a partir dos 09 meses de idade, que residam ou que irão viajar para área endêmica (estados: AP, TO, MA MT, MS, RO, AC, RR, AM, PA, GO e DF), área de transição (alguns municípios dos estados: PI, BA, MG, SP, PR, SC e RS) e área de risco potencial (alguns municípios dos estados BA, ES e MG). Se viajar para áreas de risco, vacinar contra Febre Amarela 10 (dez) dias antes da viagem.


Fonte: http://atituderimacomsaude.com.br/cmi/pagina.aspx?233,1,235 e http://www.soperj.org.br

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão

ORIGEM DA DATA

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão foi instituído em 2002, através da Lei Federal 10.439.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as Doenças Crônicas Não Transmissíveis –DCNT – (a hipertensão é uma delas) são responsáveis por 59% dos óbitos no mundo e chegando a 75% das mortes nos países das Américas e do Caribe. No Brasil, mais de 60% do total de mortes por causas conhecidas estão relacionados às DCNT.

O CORAÇÃO

O coração é um músculo localizado abaixo do osso anterior do tórax. Tem aproximadamente o tamanho de um punho fechado de um adulto. É composto por dois sistemas de bombeamento independentes, um localiza-se do lado direito e o outro do lado esquerdo e cada sistema tem duas câmaras, chamadas átrio e ventrículo, que são as "bombas do coração".

As células do nosso corpo, sem exceção, necessitam de oxigênio para viver. O CORAÇÃO tem o papel de enviar sangue rico em oxigênio para todas elas. Essa "bomba" bate de 60 a 80 vezes por minuto durante toda a nossa vida e impulsiona de 5 a 6 litros de sangue por minuto para todo o corpo, através das veias.

PRESSÃO ARTERIAL é a força com a qual o coração bombeia o sangue através dos vasos. É determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que ele encontra para circular no corpo. A HIPERTENSÃO OU "PRESSÃO ALTA" está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Consequentemente, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

HIPERTENSÃO ARTERIAL: UMA DOENÇA SILENCIOSA E FATAL

Uma pressão arterial abaixo de 120/80 é considerada normal. Em geral, quando mais baixo melhor. Porém, pressão arterial muito baixa deve ser analisada por um médico.

Os médicos classificam a pressão arterial abaixo de 140/90 e acima de 120/80, ou como "normal", ou como "pré-hipertensão". Esta medida é perigosa, pois a "pré-hipertensão",  pode vir a tornar-se HIPERTENSÃO.

Hipertensão arterial é a pressão arterial acima de 140x90 mmHg (milímetros de mercúrio) em adultos com mais de 18 anos, medida em repouso de quinze minutos e confirmada em três vezes consecutivas e em várias visitas médicas.

Essa doença atinge crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais. Trata-se de uma DOENÇA SILENCIOSA, na Europa, é chamada EPIDEMIA SILENCIOSA porque na maioria dos casos não se observam sintomas, que, eventualmente, podem ser dor de cabeça, tontura e cansaço, ou seja, nada ALARMANTE. Por esse motivo, quando a pessoa percebe ou é diagnosticada como HIPERTENSA, órgãos vitais já podem estar comprometidos, causando, entre outros:

- Cegueira decorrente de lesões nos pequenos vasos sanguíneos que abastecem os olhos;
- Acidente Vascular Cerebral (AVC), por irrigação insuficiente no cérebro, podendo causar lesões cerebrais, comprometimento das funções neurológicas e até o óbito;
- No coração, pode ocorrer cardiopatia isquêmica (angina), insuficiência cardíaca, aumento do coração e, em alguns casos, morte súbita.
- No sistema nervoso central podem ocorrer infartos, hemorragia e encefalopatia hipertensiva.
- No sistema vascular, podem ocorrer entupimentos e obstruções das artérias carótidas, aneurisma de aorta e doença vascular periférica dos membros inferiores.
- A taxa de mortalidade elevada e os gastos com saúde pública e sobrecarga de serviços hospitalares torna a HIPERTENSÃO um problema de saúde pública.

Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, a doença atinge 30% da população brasileira (chegando a mais de 50% na terceira idade e está presente em 5% das crianças e adolescentes brasileiros) mata cerca de 300 mil brasileiros por ano e é responsável pela morte de uma pessoa a cada dois minutos no País.

CUIDADOS

Pesquise se há histórico de doenças cardiovasculares em sua família. Pais, avós ou alguém da família tenha alguma dessas doenças, isso pode significar um risco maior para você; ou se você tem um parente de primeiro grau que tenha infartado ou sofrido um derrame, principalmente antes dos 55 anos (homens) e 65 anos de idade (mulheres), a sua preocupação com a prevenção deve ser ainda maior.

Evite o estresse, o fumo, a automedicação, a vida sedentária;

A obesidade está relacionada aos principais causadores de doenças cardíacas;

O teor elevado de colesterol no sangue, o diabetes e a síndrome de resistência à insulina aumentam as chances de um derrame cerebral ou infarto.

Não pense que basta tomar os remédios para resolver  problemas de pressão arterial elevada. É preciso mudar hábitos de vida como praticar alguma atividade física ( com acompanhamento médico ) , tirar um tempo do seu dia para lazer ou hobbies e ajudar a combater o stress cotidiano,  ingerir sal com moderação. O sal é um mineral importante para o organismo e não deve ser eliminado da dieta. Modere.

Faça uma dieta rica em frutas, cereais integrais e laticínios com baixo teor de gordura. Desta forma, estará ingerindo menos sódio e mais potássio, cálcio e magnésio, nutrientes necessários para quem precisa baixar a pressão.

Meça a pressão arterial com regularidade.

Não esqueça que hipertensão é uma doença crônica.

NÃO TEM MEDIDO SUA PRESSÃO ULTIMAMENTE? VISITE UM CARDIOLOGISTA. SEU CORAÇÃO VAI “BOMBAR”!


Veja também o artigo sobre Pressão alta no Idoso, no blog do HelpSaúde.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Suspensão nos atendimentos médicos


A 4ª feira (25/04) será um dia atípico. Haverá uma paralisação de realização de consultas e outros procedimentos eletivos por parte de médicos que atendem planos de saúde. Essa suspensão durará na maior parte dos estados um período de 24 horas.

Os estados que serão afetados com a paralisação são os seguintes: Acre, Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Sergipe.

O objetivo segundo a liderança do movimento é a melhoria do atendimento por parte dos operadores. É bom frisar que casos de urgência e emergência terão o atendimento normal, e consultas ou procedimentos suspensos serão remarcados posteriormente.

Médicos estão demonstrando publicamente suas insatisfações com o comportamento antiético das empresas que trabalham no setor.

Fonte: CFM

DIA MUNDIAL DA MALÁRIA

O dia 25 de abril marca do Dia Mundial da Malária, instituído em 2008 pela ONU (Organização das Nações Unidas). A meta da comunidade internacional é erradicar os óbitos causados pela malária em todo o planeta até 2015.

Investimentos globais para combater o problema fizeram com que mais quase 1 milhão de africanos fossem protegidos da contaminação a partir de 2008. Parcerias com agências internacionais ajudaram a distribuir cerca de 300 mil redes com inseticidas contra o mosquito que transmite a doença.

Para atingir o objetivo ONU até 2015, O Secretário-Geral Ban Ki-moon disse que é preciso aumentar as medidas que vem gerando resultados, além de testar e tratar precocemente os pacientes com suspeita da doença.

A malária é uma das maiores causas de morte entre crianças com menos de cinco anos no mundo. Segundo as Nações Unidas, o sucesso no combate à doença é vital para melhorar a saúde de mulheres e crianças, especialmente na África.

A MALÁRIA

A Malária é reconhecida em todo o mundo como um caso de saúde pública que ocorre em mais de 90 países. Cerca de 2,4 bilhões de pessoas (40% da população mundial) convivem com o risco de contágio. Principalmente no continente africano, entre 500 e 300 milhões são infectados por ano e cerca de um milhão morrem em consequência da doença e o maior número desses óbitos ocorrem em crianças e gestantes.

Quando o parasita que causa a malária invade o sangue , ataca e destrói os glóbulos vermelhos, causando anemia. As células danificadas aderem às paredes dos vasos e, nos casos mais graves, podem obstruir o fluxo sanguíneo e causar danos ao cérebro. Em resposta, o sistema imunológico é ativado e completa o quadro de sintomas com febre, dores musculares, fortes tremores e até convulsões.

No Brasil, a maior incidência dos casos ocorre na Região Amazônica (cerca de 98% dos casos), registrando cerca de 500 mil casos por ano. Porém, a letalidade da enfermidade é baixa e atinge 1% do total de pacientes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a malária é de longe a doença tropical e parasitária que mais causa problemas sociais e econômicos no mundo e só é superada em número de mortes pela AIDS.

Essa doença é prevalente em países de clima tropical ou subtropical. Ocorre por um parasita do gênero Plasmodium, através da picada de um vetor – que é a fêmea do mosquito da espécie Anopheles.

A fêmea do Anopheles ataca com mais frequência no pôr do sol e ao amanhecer. Ela precisa de sangue para garantir o amadurecimento e a postura dos ovos. Quando ela ataca uma pessoa infectada com a malária, o parasita (Plasmodium) desenvolve o seu ciclo no mosquito. Quando atinge as glândulas salivares do inseto, passa a transmitir o parasita ao sugar outras pessoas. O período de incubação depende do tipo de malária, mas varia de 7 a 28 dias a partir do momento da picada.

Após 30 minutos na circulação sanguínea do homem, o parasita alcança o fígado e se multiplica dentro das células hepáticas até que elas arrebentam. Então, eles se espalham no sangue e invadem os glóbulos vermelhos, onde se reproduzem a tal ponto que eles se rompem.

O PARASITA

Existem mais de cem tipos de plasmódio, o parasita da malária.  O mosquito Anopheles darlingi é principal vetor da malária no Brasil. Cada uma das espécies de protozoários existentes no inseto determina aspectos clínicos diferentes para a enfermidade. No caso brasileiro, destacam-se mais três espécies do parasita: o Plasmodium  falciparum, o Plasmodium  vivax e o Plasmodium  malarie.

O mais agressivo é o Plasmodium falciparum, que se multiplica mais rapidamente, invadindo e destruindo mais hemácias, causando um quadro de anemia mais imediata. Também, os glóbulos vermelhos parasitados pelo sofrem alterações em sua estrutura que os tornam mais adesivos entre si e às paredes dos vasos sanguíneos, causando pequenos coágulos que podem gerar problemas cardíacos como tromboses e embolias.

OS SINTOMAS

Os sintomas mais comuns são: Febre alta; Dor de cabeça; Calafrios alternados com ondas de calor; Dor no corpo (abdominal e nas costas); Falta de apetite; Cansaço; Pele com aparência amarelada; Náuseas; e Tonturas.

Se a Malária não for tratada, poderá evoluir rapidamente para a forma grave. Em caso de suspeita e estada na área de risco, o diagnóstico é feito através de um exame de lâmina que punciona uma gota do sangue do paciente e o sangue é analisado para confirmar a existência do Plasmodium.

TRATAMENTO

Não existe vacina contra a malária, uma doença autolimitada, mas que pode levar à morte se não for tratada em alguns casos. O tratamento padronizado pelo Ministério da Saúde é feito por via oral e não deve ser interrompido para evitar o risco de recaídas.

O INFECTOLOGISTA

O Infectologista é o médico especialista no diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes acometidos por doenças infecciosas como a malária.

É aconselhável, em áreas de risco, usar mangas compridas, repelentes e mosquiteiro (para dormir); Evite banhos em águas paradas como “igarapés” nos horários que o mosquito ataca; não faça automedicação em caso de suspeita.

E CONHEÇA A AMAZÔNIA! A AMAZÔNIA BRASILEIRA É UMA DAS ÚLTIMAS RESERVAS MUNDIAIS DE RECURSOS NATURAIS DO PLANETA.




Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

terça-feira, 24 de abril de 2012

FEBRE REUMÁTICA

O que é febre reumática?

Também conhecido como reumatismo infeccioso, a febre reumática é uma doença inflamatória e auto-imune, que afeta as articulações e é causada por uma bactéria, a Estreptococo beta-hemolítico, que é a mesma que causa infecções na garganta.

Após um episódio de amigdalite bacteriano tratado de forma inadequada ou negligente, a criança pode desenvolver silenciosamente a febre reumática. O Estreptococo possui uma membrana ao ser redor, e nessa membrana existe uma proteína, cujo nome é Proteína M.

No corpo humano, também existe a Proteína M nos tecidos das articulações, cérebro e coração. Por isso, os anticorpos que o organismo cria para combater o Estreptococo acabam se confundindo e atacando também o organismo, o que faz da febre reumática uma doença auto-imune.

A febre reumática normalmente surge em torno de 7 a 15 dias após a incidência de amigdalite, sua maior incidência é em crianças e adolescentes na faixa de 5 a 15 anos e que tenham alguma alteração hereditária no sistema imunológico.

As chances da febre reumática deixar  alguma  seqüela costuma ser maior quando atinge mais severamente as crianças mais jovens.

Quais são os sintomas da febre reumática?

É comum o indivíduo apresentar febre branda, falta de ar, fraqueza e falta de apetite. O paciente pode desenvolver:

- Dor nas juntas e articulações,
- Cardite, que é uma inflamação na musculatura cardíaca,
- Sopro cardíaco, nos casos em que afeta as válvulas cardíacas, 
- Episódios de movimentos musculares desordenados, inflamação no cérebro,
- Manchas avermelhadas na pele, com formação de nódulos subcutâneos.   

Como é feito o diagnóstico da febre reumática?

Durante sua análise clínica, o médico poderá fazer o diagnóstico baseado nos sinais e sintomas apresentados durante a anamnese, mas também na história clínica.

Além disso, poderá solicitar exames de sangue; coletar amostra da orofaringe para análise e pesquisar de anticorpos que possam sinalizar a presença do estreptococo.

Quando existe comprometimento das válvulas cardíacas, exames específicos como eletrocardiograma, ecocardiograma e radiografia de tórax também serão solicitados.

Como é o tratamento da febre reumática?

O tratamento terá por objetivo, eliminar a presença do estreptococo no organismo.

Quando já se instalou a febre reumática, o paciente deverá permanecer em repouso absoluto e fazer uso de medicação para combater o estreptococo. Além de poder receber anti-inflamatórios e analgésicos, para manejo dos sintomas previamente descritos.

Se houver comprometimento do coração, poderá ser necessário o uso de outros medicamentos, conforme a prescrição médica.

Somente o médico poderá indicar o tratamento e medicação a ser adotada em cada paciente. Mesmo após o fim dos sintomas, o paciente ainda fará uso de medicações por prazos regulares, a fim de prevenir uma nova infecção pelo estreptococo.

Atenção:

É possível prevenir a febre reumática!

O principal cuidado a ser adotado é iniciar o tratamento imediatamente quando for detectado que o paciente tem faringite estreptocócica ou infecções de garganta, e a medicação deve ser seguida à risca até o fim, conforme recomendado pelo médico.

Suspender por conta própria as medicações antes do fim do prazo determinado, ou quando houver melhor dos sintomas, pode ser o início de graves complicações.
Se não for bem cuidada, pode evoluir para febre reumática, e quando é cuidada da forma adequada, pode ser uma doença potencialmente fatal.



Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Bruxismo e Toxina Botulínica

Você sabe o que é? 

É o hábito de ranger, apertar, comprimir ou encostar os dentes de forma rítmica durante o sono ou, durante o dia (menos prejudicial).

A Dra. Juliana Stuginski Barbosa, dentista (especialista em disfunção temporo-mandibular e dor-orofacial) cadastrada no HelpSaúde, explica mais sobre este tipo de disfunção e seu tratamento.



1- O que vem a ser o bruxismo?

Segundo a Academia Americana de Dor Orofacial, bruxismo é o hábito de ranger, apertar, comprimir ou encostar os dentes que pode ser realizado tanto com a pessoa acordada, o que se denomina bruxismo em vigília, como com a pessoa dormindo, o bruxismo do sono. Segundo a Classificaçao Internacional dos Distúrbios do Sono, o bruxismo é um distúrbio de movimento relacionado ao sono, caracterizado por contrações repetidas da musculatura mastigatória. Deve-se alertar que bruxismo não é um tipo de disfunção temporomandibular (DTM).

2- É possível atribuir uma (ou várias) causa (s) para o desenvolvimento do bruxismo?

Sim, com relação à etiologia e fisiopatologia podemos classificar o bruxismo em dois principais tipos: o primário e o secundário.

Bruxismo secundário é aquele que se inicia ou piora diante de algum fator. Hoje se sabe que o bruxismo pode ser secundário à algumas condições como refluxo gastroesofágico, distúrbios respiratórios do sono como síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), doença de Parkinson, coma, hemorragia cerebelar, paralisia cerebral, associado ao uso de tabaco, álcool, cocaína ou ainda ser um efeito colateral do uso de algumas medicações que inibem a recaptaçao da serotonina, como a fluoxetina, paroxetina, sertralina e venlafaxina.

Já no bruxismo do sono primário, o mais comum, não há uma causa definida. As hipóteses que buscam explicar o porquê ele ocorre, hoje se concentram em analisar alguns temas como estresse e ansiedade (atividade de catecolaminas como dopamina e serotonina, predisposição hereditária, papel do eixo hipotalâmico adrenérgico e amígdala central); o papel do neurotransmissor dopamina no cérebro e sua associação ao mecanismo de microdespertar (comum em alguns distúrbios do sono) e, ainda, o papel genético.

O bruxismo em vigília (apertamento dental quando estamos acordados) parece estar mais associado ao estresse e ansiedade e também à atividades que exigem concentração como uso de computador, vídeo game, trabalho, estudo, alguns exercícios físicos e até atividades manuais como croche e tricô.

Uma coisa importante: a posição em que se encontram os dentes na oclusão dentária não tem relação com a presença ou ausência de bruxismo.

3- Qual a fase da vida mais comum para o desenvolvimento do bruxismo?

O bruxismo do sono é muito mais comum durante a infância, e sua prevalência varia entre 14 a 38%. Já nos adultos sua prevalência gira em torno de 8% da população, sem distinção em relação ao sexo e tende a diminuir na terceira idade, com uma prevalência de cerca de 3%. Já o bruxismo em vigília atinge cerca de 20% da população, sendo mais comum em mulheres.

4- Como você mencionou, existem tipos distintos de bruxismo. Quais e como eles são diferenciados e diagnosticados?

Bem, o diagnóstico do bruxismo pode ser realizado por meio de questionários, da própria placa de mordida, alguns dispositivos eletrônicos ou a polissonografia.

O uso de questionários é o método mais utilizado nos consultórios odontológicos apesar de ser o menos fiel, uma vez que o bruxismo acontece de forma inconsciente. A Classificaçao Internacional dos Disturbios do Sono criou um questionário que utilizamos. A questão sobre o relato do companheiro de quarto ou familiares confirmando que o paciente produz ruídos de ranger os dentes pode confirmar a presença de bruxismo do sono. Lembrando-se que todos devem ser questionados com relação à presença de fatores que possam agravar ou causar o bruxismo, como no bruxismo secundário.

Alguns sinais e sintomas podem também auxiliar no diagnóstico como o desgaste dos dentes, restaurações ou próteses, quebras de restaurações (exceto por cárie) língua ou bochecha mordiscadas, presença de cansaço na face ou mesmo de sintomas de disfunção temporomandibular como dor na região da face, temporas ou ouvido.

É importante salientar que o desgaste dos dentes é uma cicatriz e não é possível determinar quando aconteceu, além do que outros hábitos podem também levar a isso como roer unhas ou morder objetos. Entao, checar os comportamentos orais também é importante.

Se o paciente range ou aperta os dentes também deixará marcas na placa de mordida quando esta é de acrílico, o que poderá ser examinado pelo cirurgião dentista.

O exame padrão ouro para o diagnóstico do bruxismo do sono é a polissonografia, que utilizamos sobretudo quando há suspeita de que o paciente apresente síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS). A placa de mordida parece piorar os sintomas de SAOS e entao, devemos tomar cuidado no diagnóstico. Este exame é realizado em um laboratório do sono e devemos sempre contar com a avaliação médica nestes casos.

Existem tipos distintos de bruxismo e seu tratamento varia de acordo com seu tipo.

O bruxismo pode ser:

-do sono ou de vigília (acordado)

-primário ou secundário

-centrico (apertar os dentes) ou excêntrico (ranger de dentes)

Assim várias combinações podem ser feitas como por exemplo, bruxismo do sono primário excêntrico ou bruxismo em vigília secundário centrico, e assim por diante.

5- Quais os sintomas do bruxismo e os danos mais comuns aos pacientes?

Como já relatei os sinais e sintomas mais freqüentes são desgastes dentários, danos à restaurações, próteses, perdas de implantes dentários, língua e/ou bochecha mordiscada, fadiga na musculatura da face, rigidez na face ao acordar (às vezes associado com dificuldade de movimentação da boca). Em alguns pacientes o bruxismo parece estar associado à alguns sintomas ligados à DTM como dor principalmente na região das temporas e próximo ao ouvido.

Sabemos hoje que o bruxismo em vigília parece ser mais associado à dor por DTM.

O bruxismo, sobretudo os de longa duração, podem também prejudicar a qualidade do sono do paciente.

6- Não existe ainda um tratamento ou medicamento eficaz contra o bruxismo ou para o seu tratamento? Como é feito o tratamento com os pacientes que desenvolvem essa disfunção?

Costumo dizer que para bruxismo ainda não há cura e sim controle. O tratamento deve ser reversível. Ortodontia e ajuste oclusal não são tratamentos indicados para controle do bruxismo!

Dependendo então do tipo de bruxismo, segue-se a um tratamento. Para o bruxismo secundário, é importante direcionar o tratamento inicialmente aos fatores que levam ou aumentam o número de eventos de bruxismo. Em crianças, por exemplo, o bruxismo pode ser acentuado pelos problemas respiratórios comuns nesta idade.

O tratamento para o bruxismo do sono normalmente envolve o uso de uma placa de mordida durante o sono. A placa não reduz os episódios de bruxismo a longo prazo, apenas protege os dentes, ATM, músculos, língua e bochechas de seus efeitos deletérios. A placa mais indicada é a de acrílico, feita sob medida para o paciente e ajustada para que todos os dentes toquem de maneira harmônica na mesma. A placa de silicone apresenta muitas desvantagens como a incapacidade de ajuste e, a longo prazo, abrasão dos dentes, além de poder rasgar, o que contra indica o seu uso. Não há também vantagens, pelo menos até o momento, no uso das placas pré fabricadas.

Outras técnicas podem ser associadas ao uso da placa para auxiliar no tratamento. O controle da ansiedade e estresse parece também ajudar no tratamento, bem como a terapia cognitivo comportamental.

A boa qualidade do sono é fundamental no tratamento e instruções sobre higiene do sono devem ser repassadas. Além disso, se durante o exame o paciente apresentar sinais e sintomas de outros distúrbios do sono, o mesmo deve ser encaminhado ao médico do sono para avaliação, diagnóstico e tratamento.

Talvez o tratamento do bruxismo seja mais eficaz quando se descobrir uma medicação que o amenize sem apresentar tantos efeitos colaterais. Algumas medicações foram testadas como uma medicação para reduzir a atividade cardíaca que acontece sempre antes de um evento de bruxismo do sono mas os efeitos colaterais foram terríveis, com queda de pressão brusca dos pacientes, o que não permite a sua prescrição.

Hoje o clonazepan parece apresentar um efeito de redução de eventos de bruxismo mas deve ser utilizado somente em casos especiais e com cautela. Talvez medicamentos que atuem em um estágio prévio identificado ao evento do bruxismo, denominado microdespertar,  possam ser uteis neste tratamento, mas as pesquisas na área estão apenas começando.

Para o bruxismo em vigília, tratamento aqui é direcionado a alertar o paciente, o tornando consciente para este hábito com auxílio de adesivos posicionados em lugares por onde o paciente circula e estimulá-lo a quando visualizar um destes adesivos, evitar de encostar os dentes. Um alerta no telefone celular também pode funcionar.

7- De acordo com seu comentário, existe apenas um estudo sobre a utilização da toxina botulínica para amenizar as dores e efeitos do bruxismo. Como foi possível chegar a essa conclusão?

Recentemente para uma aula que ministrei no Congresso Brasileiro de Cefaleia fiz um levantamento na literatura científica em busca de pesquisas que suportassem o uso da toxina botulínica em pacientes com bruxismo do sono. Encontrei cerca de 40 artigos publicados, 37 deles relatos de casos de pacientes com bruxismo secundário de difícil controle, como pacientes com problemas neurológicos e psiquiátricos. Três artigos relatavam pesquisas quem testaram a toxina botulínica mas apenas um estudo testou em pacientes com bruxismo do sono primário, o tipo de paciente mais comum. Para se entender o porquê de eu ainda não apoiar o uso desta terapia, preciso explicar como acontece um evento de bruxismo primário. Bem, ele tem início no cérebro. Um sinal adrenérgico muda momentaneamente as ondas elétricas cerebrais da pessoa que está dormindo, o que chamamos de microdespertar. Após a ocorrência do microdespertar, há um aumento na frequência cardíaca, tudo acontecendo em questões de milésimos de segundos. Só depois o cérebro envia um sinal para a musculatura mastigatória, através da liberação pelos nervos periféricos de acetilcolina, um neurotransmissor que faz os músculos se contraírem. É aqui que a toxina botulínica atua, ela impede a liberação da acetilcolina por um tempo, cerca de 4 a 6 meses. O problema é que a contração envolve todos os músculos da mastigação. Alguns músculos são internos e não podem ser infiltrados. Além disso, não se pode paralisar toda a musculatura pois esta também é responsável pela fala, mastigação, deglutição. Assim, a aplicação acontece em alguns pontos e não impede a ocorrência do bruxismo, apenas reduz a força com que ele ocorre, e isso a curto prazo, foi o que demonstrou a pesquisa realizada. Ainda, não há dados se há a redução do desgaste dentário ou dos danos causados pelo bruxismo. Hoje o uso da toxina botulínica é restrito a alguns casos e sobretudo a casos de bruxismo secundários a problemas neurológicos e psiquiátricos.

8- Gostaria que explicasse detalhadamente como ocorre a utilização da toxina botulínica para o tratamento do bruxismo e qual seria o custo médio desse tipo de aplicação (apenas para que eu tenha uma base), bem como o tempo que leva para esse tipo de tratamento, quais as suas indicações e quais os resultados que podem ser esperados em cada caso indicado.

Expliquei acima como age a toxina. O custo médio da aplicação varia no território nacional e segue os preços da toxina utilizada pelos médicos para fins estéticos. A duração do tratamento varia entre 4 a 6 meses e o que se espera é a redução (não cessação) da contração muscular. Podem ocorrer efeitos colaterais como hipotensão, náuseas, vômitos e, no caso da musculatura da face, disfagia e problemas com a fala.

9- Um dos pontos que conversamos a respeito do uso da toxina botulínica pelos profissionais de Odontologia é sobre os riscos das aplicações indiscriminadas principalmente para o uso estético por um profissional menos habilitado que um cirurgião plástico. Quais as implicações que esse tipo de uso poderia trazer aos pacientes?

A toxina botulínica para uso estético pelos cirurgiões dentistas foi proibido pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO). Isso acontece em um momento onde há grande oferta de cursos de capacitação desta técnica e o marketing relacionado a esta substância é grande e atrativo tanto para o profissional como para o paciente. O que acontece é que a carga horária destes cursos é pequena e nem sempre a grade prepara o profissional para o diagnóstico das condições, como no caso do bruxismo. Infelizmente talvez os bons profissionais sejam prejudicados por aqueles menos preparados, uma vez que quando utilizado corretamente, com as indicações corretas, a terapia é eficaz.


Fonte: Enfoque Franca


Fonte: Dra. Juliana Stuginski Barbosa, CRO: SP-CD-57469 , é dentista cadastrada no HelpSaúde. Se precisar de um dentista procure em nosso site.

Hábitos orais na infância: Olho neles

O aleitamento materno já foi comprovado que traz benefícios imunológicos, nutricionais, emocionais e, além disso, tem efeitos positivos para a saúde fonoaudiológica, uma vez que está relacionado ao crescimento e desenvolvimento craniofacial e motor oral dos recém nascidos.

A sucção é importante durante o aleitamento, propicia o desenvolvimento adequado dos órgãos fonoarticulatórios (lábios, língua, mandíbula, maxila, bochecha, palato mole e duro, soalho da boca, arcada dentária e musculatura facial) e também das funções, tais como: respiração, articulação, mastigação, deglutição.

É fundamental ainda para o crescimento ósseo e da dentição. Sendo assim, o desmame precoce pode acarretar desvios na evolução e desenvolvimento de hábitos e funções da criança.
Podemos dizer que o hábito é uma repetição de um ato e com alguma finalidade. Geralmente se implanta por ser agradável e dar satisfação a quem o pratica. Podem ser divididos em:

- Hábitos intra-orais: bruxismo, morder língua, respiração bucal, sucção digital, sucção lingual, de bochechas ou de objetos;
- Hábitos extra-orais: sustentação do queixo, posições inadequadas de travesseiro, etc.
- Hábitos bucais nocivos: chupeta, roer unhas, mamadeira por tempo prolongado, morder objetos, etc.

As conseqüências deste são diversas, além de ser um dos fatores que podem causar alterações, como:

RESPIRAÇÃO BUCAL: a criança assume uma postura incorreta de lábios e língua (permanece com a boca aberta); provoca alteração na tonicidade da musculatura facial, na arcada dentária, no palato, na qualidade da voz e na articulação dos sons.

CHUPETA E MAMADEIRA: podem comprometer o desenvolvimento do sistema motor-oral, modifica a disposição dentária e o posicionamento correto da língua e pode também alterar os padrões mastigatórios, de deglutição e respiração.

Dicas importantes:

- Amamentar seu bebê no seio pelo menos até os 6 meses;
- Se for necessário o uso de mamadeira, o ideal é usar o bico ortodôntico;
- O bico da mamadeira não deve ser aumentado;
- A posição mais adequada durante a amamentação é vertical  para evitar problemas de ouvido como as otites;
- Procure dar alimentos mais sólidos quando os primeiros dentes do bebê começarem a nascer;
- Caso necessite o uso da chupeta, tente retirá-la o mais rápido possível.

Caso tenha dúvidas ou observe alterações, procure um profissional, quanto mais cedo procurar um tratamento, melhor o prognóstico.


Fonte: Dra. Érika Gallo, CRFa: SP12451 , é Fonoaudióloga cadastrado no HelpSaúde. Se precisar de um fonoaudiólogo procure em nosso site.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

O que é psicoterapia?

A psicoterapia é um recurso que auxilia o paciente a compreender, enfrentar e lidar com seus conflitos, sofrimento e  dificuldades. É também um espaço favorável ao crescimento e amadurecimento, que possibilita ao paciente a introspecção através de reflexões e diálogos construtivos, que auxiliam na compreensão e transformação de padrões de funcionamento e relacionamentos interpessoais. Em alguns casos, a psicoterapia cumpre também uma função de educação, oferecendo um espaço de aprendizado e auxiliando na orientação e condução da vida. É um processo conduzido por um psicólogo que permite ao paciente um melhor conhecimento de si próprio, mudanças ou adaptações as condições de vida que não podem ser modificadas. A procura pela psicterapia geralmente ocorre em virtude de crises situacionais, eventos estressores, imaturidade psicológica ou ainda quando a pessoa se sente verdadeiramente inapta para lidar e enfrentar suas dificuldades.

Quem a psicoterapia pode auxiliar?

A psicoterapia pode auxiliar pessoas que buscam o autoconhecimento, equilibrio, auxílio nas tomadas de decisões, resgate da autoestima, bem estar consigo e nas suas relações, superação de traumas, acidentes e doenças, desenvolvimento de estratégias para lidar com eventos estressores e conflitos, reconhecer, amenizar e controlar sintomas acerca de seu diagnóstico.

No que consiste a psicoterapia e como funciona?

Consiste num processo de intervenção que utiliza técnicas especializadas de apoio, escuta ativa e reformulação empregues no sentido de oferecer ajuda eficaz e continuada às pessoas que buscam auxilio. Favorece ainda a reflexão de questões trazidas pelo paciente bem como a introspecção, auxiliando o mesmo  a olhar  para os seus comportamentos, sentimentos e pensamentos.

Trabalhando em conjunto, o paciente e o psicólogo identificam objetivos. É necessário que o paciente sinta-se motivado à mudança. À medida que a terapia ocorre, é desenvolvida uma relação de confiança, adquirida através do processo de aceitação. O psicólogo aceita o paciente “sem julgamentos”. Através desta relação de confiança e aceitação, o paciente tem a oportunidade para reformular suas experiências emocionais significativas e trabalhar os problemas e/ou conflitos na sua vida de forma eficaz, sigilosa e segura. A psicoterapia cria condições para que o paciente possa falar e refletir sobre suas questões, bem como corrigir as distorções e percepções cognitivas a respeito de si, do outro e do mundo. Este processo permite que as mudanças ocorram de modo efetivo, positivo e duradouro.

Quando procurar ajuda?

Geralmente a pessoa busca ajuda, quando não está satisfeita com o andamento de sua vida, não está feliz ou está vivendo alguma situação que não consegue superar sozinho e entende ser necessário o auxilio e/ou apoio psicológico.

Primeira consulta

A primeira consulta corresponde ao contato inicial entre terapeuta e paciente que iniciam o processo de conhecimento. Neste primeiro contato, o terapeuta avalia a queixa, motivo da consulta e indicação terapêutica. São realizadas algumas combinações relacionadas ao sigilo, dia, horário, pagamento, faltas e atrasos.

Primeiras sessões ( 2ª a 4ª )

São sessões destinadas a anamnese, aonde serão coletadas informações relacionadas a queixa, sintomas, história de vida atual e pregressa do paciente. A partir das informações e dados obtidos, um plano de tratamento é traçado junto ao paciente, aonde são estabelecidos focos e metas terapêuticas.

Crianças e adolescentes

Quando o trabalho é realizado com crianças ou adolescentes, é fundamental a participação dos pais ou responsávei. A colaboração dos mesmos é condição essencial para que a criança ou o adolescente possam permanecer em processo terapêutico.

Frequência e duração dos atendimentos

- Geralmente os atendimentos tem a frequência semanal (1 vez por semana). Em alguns casos, havendo necessidade e comum acordo entre terapeuta e paciente, os atendimentos poderão ter a frequência de 2 vezes por semana ou mais, dependendo da indicação terapêutica e disponibilidade do paciente.
- Em média, o tempo de duração das sessões, corresponde a 50 minutos.

Tempo da psicoterapia

O tempo da psicoterapia varia de acordo com cada paciente, focos estabelecidos, plano de tratamento e metas atingidas. O propósito da psicoterapia é auxiliar  o paciente a modificar problemas de natureza emocional, cognitiva e comportamental de acordo com sua queixa e motivo que o levou a buscar ajuda psicológica. Todo processo psicoterápico requer um plano de tratamento que contempla focos e metas.

Quando os focos são trabalhados e as metas atingidas, o processo é finalizado. O plano de tratamento varia de acordo com a queixa, perfil do paciente e suas demandas. O fim da psicoterapia não significa rompimento da relação, mas um estágio final em que a relação de ajuda não mais se apresenta como algo essencial no momento, aonde o paciente já adquiriu habilidades para seu autogerenciamento. Esta aquisição de habilidades não significa que o paciente não possa retornar ao processo psicoterápico, pois se entende que os processos mentais são dinâmicos e eternos expondo o ser humano constantemente à perdas, mudanças, sofrimento e conflitos.


Fonte: Dra. Vanessa Ebeling, CRP: RS0319327, é Psicoterapeuta cadastrada no HelpSaúde. Precisando de um psicoterapeuta busque um perto de você em nosso site.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Atividades físicas para crianças: saindo da tendência mundial

Embora pareça banal ou "brincadeira", não é nada fácil elaborar um programa de atividade física para crianças. O leitor pode até achar estranho porque a molecada vive em movimento, entretanto estamos vivenciando uma nova época: a era digital, do sedentarismo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia existem cerca de 6,7 milhões de crianças e adolescentes obesos no Brasil. Essas crianças estão em sua grande maioria concentradas nas regiões sul e sudeste. A tendência é aumentar a população de crianças e adolescentes obesos.

As crianças e adolescentes não encontram MOTIVAÇÃO para a prática de atividades físicas, portanto, os pais e os pediatras devem ficar atentos em relação à SAÚDE dos seus filhos, fomentando formas de MOTIVÁ-LOS à prática de atividade física e fugir da tendência crescente de obesidade.

INTERNET, VIDEOGAME? CLARO QUE PODE!

Obviamente os pais devem deixar que as crianças vivenciem a tecnologia, pois esta faz parte da geração e é importante para o desenvolvimento intelectual e para o futuro de seus filhos. Não estamos falando em excluí-los digitalmente, estamos falando em SAÚDE.
Além de MOTIVAR às práticas de atividades físicas é necessário dosar a frequência das atividades tecnológicas, ou seja, ajudá-los a entender que a MODERAÇÃO é essencial em todos os aspectos da vida.

Para isso, a melhor receita é a EDUCAÇÃO e EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE também faz parte do contexto de EDUCAR seus filhos.

A Educação Física praticada nas escolas cada vez mais procura estimular, MOTIVAR o aluno a compreender a importância da educação para a saúde.

O índice de massa corporal (IMC) , é um número calculado a partir do peso e altura do indivíduo. Nas crianças e adolescentes, o IMC é calculado de forma diferente dos adultos. É preciso levar em consideração a idade e o sexo para chegar a um percentil que é comparado estatisticamente com crianças da mesma faixa hetária . A categoria de peso encontrada no IMC indica a faixa percentil que a criança se enquadra : Abaixo do peso, peso saudável, sob risco de sobrepeso, sobrepeso.

O ideal é consultar um PEDIATRA para avaliar a criança ou adolescente, pois ele é o profissional capacitado para interpretar o Índice de Massa Corporal da criança e verificar corretamente se a criança está saudável, levando em consideração fatores genéticos, raça, o meio ambiente. Talvez seja necessária a realização de exames, que normalmente incluem medição de dobras cutâneas, avaliação da dieta cotidiana, histórico familiar e avaliação sobre a atividade física praticada.

A atividade física também pode ajudar crianças e adolescentes na categoria abaixo do peso.


ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE

Pesquisadores se posicionam sobre a relação entre atividade física e saúde das seguintes formas:
- a atividade física promove a saúde; e
- a atividade física é uma medida preventiva dos problemas de saúde que possam ocorrer devido à sua ausência.

Teorias sobre a atividade física que se relacionam para crianças e adolescentes já foram comprovadas:
- algumas crianças já apresentam predisposição genética para a prática de esportes e são as que possuem boa saúde, vigor físico e mental;
- atividade física representa um estímulo para a ausência de doenças na infância, adolescência e na vida adulta.

Benefícios para a saúde de uma atividade física regular (considerando 3 a prática 3 vezes por semana):
-desenvolve as habilidades psicomotoras das crianças;
- aumenta a força do tônus muscular;
- aumenta a flexibilidade, fortalecendo os ossos e as articulações;
- reduz o peso e a gordura corporal;
- previne a diabetes;
- diminui o colesterol e aumenta o colesterol “bom”, o HDL colesterol;
- previne doenças,
- melhora o fluxo de sangue para o cérebro
- aumenta e estimula o convívio social;
- aumenta a estima;
- reduz a ansiedade; e
- melhora o fluxo de sangue para o cérebro, entre outros.

MOTIVE A CRIANÇA

É importante que os pais participem e incentivem as primeiras atividades físicas da criança que são geralmente na escola. Assim é possível descobrir a preferência pessoal da criança e suas aptidões.

Se a criança sente prazer em realizar uma certa atividade física, motive-a!  Pequenas ações, geram grandes resultados!

1 - Jamais tente impor a sua vontade.
Exemplo: “Eu quero que meu filho seja jogador de futebol como eu era quando criança” ou” a minha filha vai praticar ballet porque eu sempre quis ser bailarina e não pude”.
Assim você está desestimulando a criança e pode causar o desinteresse em praticar esportes ou até mesmo levá-la ao total desinteresse.
2 - Caso a criança não se saia bem em alguma atividade proposta pela escola, ela pode desenvolver ansiedade e depressão. Converse com o professor ou orientador a respeito.
3 – Atividades ao ar livre como caminhada nos finais de semana, passeios de bicicleta , nadar etc desde a mais tenra infância, familiariza a criança ao prazer pelas práticas de atividades físicas no futuro.
4 – Com liberdade para seguir sua aptidão esportiva, a criança deve seguir as orientações do instrutor e utilizar os equipamentos determinados para esta ou aquela atividade, a fim de evitar machucados, lesões e afins.

ORIENTE-SE COM O PEDIATRA

Nenhuma criança deve praticar um esporte sem antes realizar uma avaliação com um PEDIATRA. Este especialista deve examinar a criança a fim de verificar se existe alguma doença pré-existente que a impeça de praticar determinado esporte.

Comece agora! A próxima Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos serão no Brasil. A garotada se identifica com atletas, estimule-as. Entretanto, explique o que é espírito olímpico.
Escolhido o esporte que realmente seja prazeroso para a criança, nunca deixe de incentivá-la. A SAÚDE NO FUTURO AGRADECERÁ IMENSAMENTE!

HOMENAGEM

O Help Saúde aproveita a oportunidade para lembrar a memória do ATLETA, jornalista, escritor, ilustrador, dramaturgo e tradutor, Millôr Fernandes, falecido em 28 de março. Ele viveu 88 anos e foi um dos inventores de um esporte genuinamente carioca: O frescobol.

Disse Millôr: "O Frescobol é o único esporte com espírito esportivo, sem disputa formal, vencidos ou vencedores" 

O espírito esportivo pode mover a atividade física e a saúde da criança em qualquer modalidade. Repasse esse valor.




Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

terça-feira, 17 de abril de 2012

17 de Abril - Dia Mundial da Hemofilia

O dia 17 de abril foi escolhido para comemorar o “Dia Mundial da Hemofilia” por celebrar o nascimento do fundador da Federação Mundial de Hemofilia – Frank Schnabel, nascido em 1926 e portador de hemofilia grave. Essa data foi instituída pela Federação Mundial da Hemofilia (WFH) desde 1989.

Para os hemofílicos do mundo, esta data reforça as questões relacionadas à doença, trazendo à população informação chamando a atenção das autoridades responsáveis e da sociedade civil para a enfermidade.

A HEMOFILIA

É uma doença crônica, um transtorno genético que ocorre no processo de coagulação do sangue. Ligada ao cromossoma X, aparece quase exclusivamente nos indivíduos do sexo masculino e caracteriza-se pela ausência ou acentuada carência de um dos fatores da coagulação (VIII - Hemofilia A ou IX - Hemofilia B).

Devido à falta ou diminuição dos fatores VIII e IX, a cadeia da coagulação é interrompida e a hemorragia não para.

Esta doença atinge mais os indivíduos do sexo masculino e está ligada a uma herança genética transmitida pelo par de cromossomas XX (que designa o sexo feminino). Nos indivíduos do sexo masculino, os cromossomas são XY e, com apenas um cromossoma X, os homens não compensam a deficiência.

Sendo uma doença hereditária, curiosamente, as mulheres transmitem o defeito aos seus filhos do sexo masculino. O pai hemofílico pode transmitir a doença às filhas, entretanto ela não desenvolverá a doença, mas poderá transmiti-la aos seus filhos.

Possuindo apenas um cromossomo X, eles não têm como compensar a deficiência e, portanto, a produção desses fatores fica comprometida. Isso explica por que as mulheres podem ser portadoras do defeito, mas são os meninos que manifestam a doença, embora exista a possibilidade de o pai hemofílico transmitir o cromossomo afetado para a filha, ela não terá a doença, mas poderá passá-lo para os filhos.

Todavia, em 30% dos casos, na hemofilia A, há uma mutação espontânea do gene, pode ocorrer em famílias sem história da doença.

CARACTERÍSCAS DA DOENÇA


A hemofilia se apresenta nas formas leve, moderada e grave e é caracterizada por uma desordem no mecanismo de coagulação do sangue. O SANGUE é composto de mais ou menos 14 fatores de coagulação, todos são necessários  e trabalham como juntos. Quando um fator entra em desordem, o mecanismo não funciona e não há coagulação. É a quantidade desses fatores no sangue que determina se a doença é grave, leve ou moderada.

FORMA LEVE - a hemofilia pode passar desapercebida até a forma adulta. Os sangramentos podem ocorrer em situações de estresse hemorrágico, como pequenas cirurgias, tratamentos dentários, cortes.


FORMAS MODERADA E GRAVE - os sangramentos são espontâneos, em geral articulares, e acabam provocando lesões ósseas que comprometem a vida dos pacientes. Estas formas podem surgir logo nos primeiros anos, quando a criança começa a cair e se machuca, através de hematomas que chamam a atenção dos responsáveis pela aparência grave em um machucado considerado "normal".


Hemofilia A
Na hemofilia A, há um déficit do Fator VIII de coagulação do sangue e representa 85% a 90% dos casos.

Os sintomas são hematomas frequentes, hermatroses dolorosas que ocorrem de forma repetida e que podem diminuir a função articular (sangramento nas articulações – joelhos, tornozelos, cotovelos, quadris)

Hemofilia B

A hemofilia B, o fator deficitário é o IX.
Os sintomas são hermatoses, hematomas, sangramentos constantes e dores intra-musculares.

Existem testes para indicar a presença da doença. É fundamental que o médico encaminhe o paciente ao HEMATOLOGISTA, que solicitará a dosagem dos fatores VIII e IX, através de um teste de sangue bastante simples.


AO DETECTAR HEMATOMAS FREQUENTES EM UM BEBÊ, PROCURE O HEMATOLOGISTA.
HEMATOMAS PROVOCADOS POR BATIDAS NO BERÇO, PULAR E ATOS NORMAIS DE UMA CRIANÇA PODE INDICAR HEMOFILIA.

O PORTADOR PODE TER QUALIDADE DE VIDA E CONVIVER BEM COM A HEMOFILIA, ATRAVÉS DO TRATAMENTO ADEQUADO A CADA CASO. 




Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Dia Nacional da Voz

ORIGEM DA DATA

Data foi instituída pela Lei nº 11.704, de 18/06/2008, celebrada em dia 16 de abril, com o objetivo de conscientizar a população brasileira sobre a importância dos cuidados com a voz.

A VOZ

A voz é o som produzido pela vibração das cordas vocais (ou pregas vocais), na laringe, pelo ar vindo dos pulmões e é fundamental para a comunicação e a saúde do homem.

Alterações vocais afetam a vida social e pessoal do ser humano. Profissionais que usam diretamente a voz como os professores, advogados, atores, cantores, jornalistas, comunicadores e profissionais de marketing, devido à falta de conhecimento de cuidados para preservar a voz e seu uso adequado podem sofrer não somente das doenças ligados ao aparelho fonador, como também podem sofrer de angústia ou ansiedade.

COMO PRODUZIMOS A VOZ? FALAR NÃO É FÁCIL!

O APARELHO FONADOR é dividido em 3 sistemas: Respiratório ou Subglotal; Fonético ou Laringeal e o Articulatório ou Supralaringeal. Mas o que é isso?

O processo da produção da voz inicia-se no aparelho respiratório ou subglotal consiste nos pulmões, músculos pulmonares, tubos, brônquios e traqueia que produzem a respiração. Este sistema tem também a função de fazer um fole que dá início à corrente de ar que se move através dos brônquios e traqueia, levando o ar para a laringe.

A LARINGE faz parte do sistema Fonético (laringeal) e é um anel cartilaginoso situado na parte superior da traqueia. Na laringe encontra-se um órgão fundamental à fonação: as cordas ou pregas vocais.

As pregas vocais são como dois lábios esticados horizontalmente ao longo da abertura central da laringe, no sentido frente-trás. Elas são altamente flexíveis porque são feitas de um tecido elástico, que é o ligamento, e do músculo estriado tireocricóide. Na frente, as cordas estão presas à tireoide. As cordas vocais são ligadas às cartilagens aritenóides.

As cartilagens aritenóides são multiarticuladas e são as responsáveis mobilização das cordas vocais (que provocam vibrações).
As vibrações que ressoam em diferentes formas durante a expulsão do ar pelo trato vocal.

Em repouso, as duas cordas vocais são separadas uma da outra. Quando elas estão separadas exibem um espaço entre elas chamado de glote. Com estado da glote aberto o ar passa livremente e as cordas vocais não vibram.

Mas em função da mobilidade das aritenóidesas, as cordas vocais podem se aproximar. Quando isso acontece o estado da glote é fechado, e o ar tem de forçar sua passagem fazendo as cordas vibrarem. Em seguida, o Sistema Articulatório ou supralaringeal - que é formado pelas cavidades ou caixas de ressonância oral e nasal e pelos órgãos faringe, língua, palato (dividido em crista alveolar palato duro medial e palato duro final, palato mole e úvula), nariz, dentes e lábios. Mobilização de estruturas neste sistema cria constrições na caixa de ressonância que modifica o fluxo do ar e consequentemente o som resultante.

Quando o ar é impelido dos pulmões em direção para fora do corpo, passa pelos brônquios e chega ao sistema fonatório onde o estado da glote vai determinar o vozeamento do som: estado da glote aberto deixa o ar passar livremente sem fazer vibrar as cordas vocais, resultando em um ruído de consoante desvozeada como em [p t k f s ∫ t∫ x h]. Quando o estado da glote é fechado, as pregas vocais estão unidas e o ar as faz vibrar. O som então é vozeado como em [b, d, g, v, z,]. Depois que o ar passa para o sistema suprafaringeal temos muitos articuladores ativos, estruturas que se movem em direção a outros articuladores passivos com os quais estabelecem articulação.

DOENÇAS DA VOZ

Sem cuidados para preservar a voz, é possível algumas doenças laríngeas como edemas, nódulos, pólipos, úlceras de contato, entre outras. O tabagismo é responsável por 97% dos casos de câncer de laringe.

As cordas vocais, que ficam na laringe e responsáveis pela vibração que produz a voz e sobrecarregadas quando são muito exigidas. Por isso, as pessoas mais afetadas por problemas de voz são os profissionais que dependem da voz para trabalhar.

SINTOMAS QUE A VOZ PRECISA DE CUIDADOS

-Rouquidão persistente por mais de 15 dias;
-Pigarros com dores constantes de garganta;
-Incômodo ao engolir alimentos; e
-Estado afônico.

NÃO É BOM PARA SUA VOZ:

-Fumar;
-Pigarrear ou tossir em excesso;
-Rir alto;
-Leite ou derivados antes do uso da voz;
-Bebidas muito geladas, muito quentes ou gasosas;
-Falar em ambientes ruidosos ou gritar;
-Usar roupas apertadas na altura do pescoço e na cintura dificulta a livre movimentação da laringe e também a movimentação do diafragma;
-Não fale muito tempo em ambientes com ar condicionado ou com muito pó ou poeira.

É MUITO BOM PARA SUA VOZ:

-Beber 2 litros de água por dia, se possível, em temperatura ambiente. A água hidrata as cordas vocais.
-Se trabalha com a voz, evite leite e chocolate, pois aumentam a secreção vocal;
-Evitar café, bebidas gasosas (que irritam a laringe);
-Não fume. O tabagismo aumenta as chances de câncer de laringe e pulmão;
-Coma maçãs – ela é adstringente. Limpa o trato vocal e sua mastigação exercita a musculatura responsável pela articulação das palavras;

Quando você estiver com uma rouquidão por mais de 15 dias, procure um OTORRINOLARINGOLOGISTA e/ou um profissional em FONOAUDIOLOGIA.

Ter momentos felizes, cantar, conversar com familiares e amigos é fundamental para manter a sua voz - SER FELIZ EVITA DOENÇAS!

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Dia do Técnico em Serviços de Saúde

Parabéns aos técnicos em Serviços de Saúde! Profissionais que dominam a arte de cuidar das pessoas. Seja o Técnico em Laboratório, o Radiologista, o técnico em Higiene Dental, o Protético, o Auxiliar de Farmácia, o Técnico em Massoterapia e tantos outros. À todos vocês, o nosso obrigado pelo bom atendimento.

O MÉDICO, O ENFERMEIRO E OS TÉCNICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

Desde a antiguidade o médico atua com o auxílio de outros profissionais que prestam serviços de saúde, complementando o trabalho do médico. Cabe ressaltar que quando pensamos em "Técnico em Serviço de Saúde" tendemos a pensar nos Enfermeiros. Porém, a Enfermagem é uma profissão de nível superior e esta questão cultural de imaginar o Enfermeiro apenas como um "auxiliar do médico" se reporta aos primórdios da Enfermagem que ao confrontamos com a história da humanidade, as "ladies nurses" e obstetrizes auxiliavam os médicos, como também os boticários.

É importante expor que a enfermagem pode ser definida como a ciência e a arte de cuidar do ser humano, a quem foi atribuído um título profissional que lhe reconhece competência científica, técnica e humana para a prestação de cuidados de enfermagem gerais ao indivíduo, família, grupos e comunidade, aos níveis da prevenção primária, secundária e terciária. Tendo o enfermeiro, diversas especialidades tais como a obstetrícia, geriátrica e reabilitação, além de formar novos enfermeiros e TÉCNICOS DE ENFERMAGEM E AUXILIARES DE ENFERMAGEM.

TÉCNICOS EM SERVIÇO DE SAÚDE

No Brasil, as profissões de nível médio começaram a ser reconhecidas a partir da Constituição de 1937 e a formação dos agentes de nível médio e elementar no Brasil só veio ser regulamentada a partir de 1971 através da Reforma do Ensino de 1º e 2º graus, com habilitação plena e parcial.

HABILITAÇÕES TÉCNICAS

Os Técnicos em Saúde são responsáveis por vários procedimentos no atendimento médico. São eles que realizam nossos exames para a análise do especialista.

A Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) possui um Banco de Dados da Educação Profissional Técnica em Saúde, podendo estes, atuar no Brasil e reconhecidos pelo MEC (Ministério da Educação) e pelo IMEP (Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), assim classificadas:

BIODIAGNÓSTICO:
- Auxiliar em Análises Clínicas
- Técnico em Análises Clínicas
- Técnico em Biodiagnóstico em Saúde


EDUCAÇÃO FÍSICA
-Técnico em Desportos

ENFERMAGEM
-Especialização em Técnico de Enfermagem em Geronto Geriatria
-Especialização em Técnico de Enfermagem em Instrumentação Cirúrgica
-Especialização em Auxiliar Técnico de Enfermagem do Trabalho
-Especialização em Técnico de Enfermagem em Instrumentação Cirúrgica
-Especialização em Técnico de Enfermagem de Centro Cirúrgico
-Especialização em Técnico de Enfermagem em Saúde Pública

EQUIPAMENTOS MÉDICO-HOSPITALARES
-Técnico em Equipamentos Biomédicos

ESTÉTICA
-Auxiliar de Estética
-Técnico em Estética

FARMÁCIA
-Auxiliar de Farmácia
-Técnico em Farmácia

GERÊNCIA EM SAÚDE
-Técnico em Administração Hospitalar
-Técnico em Gestão de Serviços de Saúde
-Técnico em Registros e Informações em Saúde

HEMOTERAPIA

-Técnico em Hemoterapia

NUTRIÇÃO E DIETÉTICA

-Técnico em Nutrição e Dietética

RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM EM SAÚDE

-Auxiliar de Radiologia
-Técnico em Radiologia

REABILITAÇÃO

-Técnico em Massoterapia
-Técnico em Podologia
-Técnico em Prótese
-Técnico em Reabilitação
-Técnico em Reabilitação de Dependentes Químicos
-Técnico em Imobilizações Ortopédicas
-Especialização em Imobilizações Ortopédicas

SAÚDE BUCAL

-Auxiliar em Prótese Dentária
-Auxiliar de Consultório Dentário
-Técnico em Higiene Dental
-Técnico em Prótese Dentária

SAÚDE COMUNITÁRIA

-Técnico em Agente Comunitário de Saúde

SAÚDE VISUAL

-Técnico em Optometria
-Técnico em Óptica
-Especialização em Optometria

SEGURANÇA NO TRABALHO

-Auxiliar de Segurança do Trabalho
-Técnico em Segurança do Trabalho

TERAPIAS NATURAIS

-Técnico em Acupuntura
-Técnico em Homeopatia
-Técnico em Quiropatia
-Técnico em Shiatsu
-Técnico em Terapia Floral
-Técnico em Yoga
-Técnico em Naturopatia

VIGILÂNCIA EM SAÚDE

-Auxiliar Sanitário de Alimentos e Nutrição
-Técnico em Vigilância em Saúde

OUTROS CURSOS DA ÁREA DE SAÚDE

-Formação de Socorrista
-Técnico em Instrumentação Cirúrgica
-Técnico em Saneamento
-Técnico em Biotecnologia

Especialização em Necropsia e Anatomia Médico Legal
Especialização em Instrumentação Cirúrgica
Auxiliar Técnico em Instrumentação Cirúrgica

É importante ressaltar que alguns a maioria dos cursos acima mencionados possuem subáreas.

Exemplo: em REABILITAÇÃO, o curso de Técnico em Reabilitação, pode incluir cursos de:
Massagem, Reabilitação Massagista, Técnico em Massagem, Técnico em Reabilitação, Técnico em Reabilitação – Modalidade Fisioterapia, Técnico em Reabilitação – Modalidade Massagista, Técnico em Reabilitação – Modalidades Massagista, Fisioterapia, Massoterapia, Técnico em Reabilitação Física, Técnico em Recuperação Física

A SAÚDE GERA EMPREGOS

Notou quantas especialidades técnicas em saúde são reconhecidas no Brasil? Quantos técnicos trabalham para promover a nossa saúde? Quantos cursos na área de saúde podemos fazer?

Estima-se que a Copa do Mundo de 2014 irá gerar 1.089 empregos diretos e 1.568 indiretos, entre permanentes e temporários.

Além de cuidar da sua saúde, um curso técnico em saúde pode ser uma opção profissional. Pense nisso.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.