terça-feira, 29 de maio de 2012

Como utilizar as redes sociais com o paciente?

Foi-se o tempo em que as redes sociais eram apenas uma forma de encontrar e conhecer novos amigos. Sites como Facebook, Twitter, Orkut e LinkedIn, hoje, são utilizados por pequenas, médias e grandes empresas como importantes ferramentas de marketing. Dessa forma, não seria diferente com os médicos.

As redes sociais podem se transformar em uma forma bastante eficaz de criar uma relação de confiança entre médico e paciente, assim como conquistar a fidelidade dos mesmos. No entanto, há certos cuidados que devem ser tomados na utilização dessas ferramentas, principalmente no que diz respeito à privacidade dos pacientes. Neste debate conversamos com alguns especialistas adeptos das novas tecnologias para saber como eles utilizam as redes sociais e como isso auxilia o relacionamento com seus pacientes.

Dr. Marcelo Pereira, CRM: MG37971, é Ginecologista cadastrado no HelpSaúde.
Especialista em Cirurgia da Mão pelo Hospital da Baleia. Proprietário da Clinica Bella Derme, em Contagem.

“Há alguns anos criei uma conta pessoal no Orkut, mas ainda não tinha pensado em interagir com pacientes. Há cerca de um ano e meio criei um segundo perfil profissional, em que comecei a interagir com pacientes, respondendo dúvidas até mesmo de pessoas que não operaram comigo. Possuo, hoje, perfil também no Facebook e no Twitter. Um médico, assim como todo profissional, deve se preocupar em estar sempre atualizado e as novas tecnologias devem ser utilizadas para isso. Como é um profissional que está sempre com a agenda cheia, as redes sociais são espaços em que o médico se torna mais acessível às pessoas quando elas têm dúvidas, estão ansiosas ou mesmo querem estar em constante contato. Na minha opinião, as novas tecnologias devem ser utilizadas de forma transparente e constante. Alguns pacientes não utilizam a internet com muita frequência, mas a grande maioria tem perfil na rede, principalmente no Orkut. Se não tem, nos comunicamos por e-mail. As redes sociais me ajudam a estar próximo dos pacientes, visto que, diante de uma agenda atribulada, não conseguiria atender suas dúvidas pessoalmente ou mesmo por telefone. Da mesma maneira, as redes sociais me trazem novos pacientes que, felizes com a forma atenciosa com que os trato, acabam vindo pessoalmente ao meu consultório”.

Dr. Almir Fernando Loureiro Fontes, CRM: MG23155, é Cardiologista cadastrado no HelpSaúde.
Médico do Santa Genoveva Complexo Hospitalar e técnico-administrativo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (MG)

“Em função de sempre ter morado longe dos meus pais, aprendi a utilizar bem cedo a informática. Costumo informar meu e-mail para alguns pacientes e até prefiro essa forma de contato do que o próprio celular. Evidentemente não dá para fazer uma consulta pelo computador. O máximo que podemos fazer é orientar ou marcar uma consulta pela internet. Todas as áreas hoje estão evoluindo muito e a Medicina, sem sombra de dúvida, também tem tido uma grande evolução. Sendo assim, a internet permite que a gente se atualize porque hoje existem vários programas de educação continuada a distância, onde você pode assistir a aulas ou palestras e participar de cursos ou chats. Além disso, alguns portais disponibilizam informações para o público leigo. A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e suas regionais de São Paulo (Socesp) e de Minas Gerais disponibilizam informações não só para o médico mas também para o leigo, para orientar em relação a cuidados com alimentação, atividade física e cuidados com doenças do coração. A internet é uma ferramenta que está no dia a dia. O paciente, em função de a mídia disponibilizar informações, já vem com um ‘pré-diagnóstico’. É o chamado ‘Dr. Google’. Porém, a informática não substitui o médico. Por mais que o paciente procure informações na internet, ele precisa conversar. A relação direta com paciente é necessária, pois a internet jamais a disponibilizará”.

Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros, CRM: SP24699, é Pediatra cadastrado no HelpSaúde.
Autor do livro Seu bebê em perguntas e respostas – do nascimento aos 12 meses. Ex-diretor técnico do
Hospital São Leopoldo, em Minas Gerais

“Em 2010, iniciei o Blog do Pediatra, onde posto semanalmente temas de interesse dos pais com relação aos cuidados com as crianças. Utilizo também o Orkut e o Twitter profissionalmente. O médico, assim como todos os outros profissionais, tem a obrigação de se adaptar às novas formas de comunicação, com o intuito de dar ao seu paciente toda e qualquer forma de acesso. Uma das maiores virtudes de um pediatra é a disponibilidade ao paciente, e as redes sociais são uma excelente forma de aproximação entre o médico e o paciente, o que aumentará a confiança e a credibilidade do profissional. Hoje, as vantagens das redes sociais são a rapidez na comunicação, a interatividade e a obtenção de relatos que, anteriormente, só por telefone, não era possível. Com as redes sociais, é possível enviar vídeos e imagens e, desta maneira, posso orientá-los, acalmá-los e até indicar como devem proceder em casos emergenciais. Alerto, porém, que toda essa tecnologia não substitui uma consulta presencial”.

Dr. Marcelo Papelbaum, CRM: RJ686530, é Psiquiátrico cadastrado no HelpSaúde.
Médico colaborador do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Instituto Estadual de Diabetes
e Endocrinologia do Rio de Janeiro (Iede/RJ)

“As novas tecnologias ajudam o médico, sobretudo, a aumentar a adesão dos pacientes ao tratamento e a facilitar um acompanhamento médico mais dinâmico, onde queixas clínicas podem ser feitas pelo paciente e remediadas precocemente. No Facebook, sempre procuro passar informações médicas de forma didática, de fácil compreensão, que possam esclarecer de fato as dúvidas dos pacientes, enviando links de matérias e artigos interessantes. Ainda procuro usar um blog com atualizações médicas sobre vários assuntos. A utilização das redes sociais dá mais segurança ao paciente de que ele poderá contar com o médico em uma eventual necessidade, além de facilitar o contato público e a interação social. No entanto, o médico deve tomar certos cuidados com a exposição de sua imagem e isso acaba limitando o uso da internet para interagir com amigos de forma não profissional. Procuro me preservar dos riscos dessa exposição, tomando cuidados que qualquer pessoa deveria tomar. Não forneço dados pessoais e procuro me ater a opiniões profissionais. Guardo minhas impressões pessoais para uma comunicação mais privativa. Abdiquei da internet como contato não profissional. Não dá para fazer as duas coisas bem. Dessa forma, minimiza-se, mas não se exclui a chance de ser mal-interpretado”.

Dr. Juliano Scheffer, CRM: RJ686530, é Ginecologista cadastrado no HelpSaúde.
Diretor científico do Instituto Brasileiro de Reprodução Assistida

“Não temos como fugir da tecnologia, principalmente da internet. Utilizo o Facebook, o Twitter e um blog desde 2007. O médico tem que se adequar às inovações, pois é uma necessidade atual, seja para a prática da Medicina ou no relacionamento com os pacientes. Não há como estar atualizado sem usar a internet. A credibilidade do médico hoje é avaliada até mesmo nas redes sociais e fóruns da internet. No entanto, a consulta médica nunca deverá ser substituída. A interação médico-paciente via internet é somente para orientação e esclarecimento de dúvidas. Nunca poderá ser utilizada para dar diagnóstico, tratar e prescrever medicamentos. As vantagens de se ter um perfil na internet são inúmeras e a principal é o contato mais rápido com as pessoas e a troca de informações em tempo real. A desvantagem é a utilização errônea por parte dos pacientes que desejam diagnóstico, tratamento e prescrições. Isso é proibido. Porém, a maioria das pessoas atualmente sabe usar as redes sociais. Quando se utiliza essas tecnologias para o crescimento profissional, os riscos da exposição são pequenos. Além disso, sempre existe a curva de aprendizagem. Ou seja, com o tempo, o médico aprende como lidar com os defeitos da internet e vence os obstáculos. O especialista nunca será mal-interpretado se exercitar sempre a conduta certa e respeitando as normas, diretrizes e legislações vigentes”.

Dr. Mohamad Barakat, CRM: SP68874, é Nutrologista cadastrado no HelpSaúde.
Fundador do Instituto de Medicina Integrada, Fisiologia e Nutrologia Esportiva Health4Life

“Utilizo o Facebook e o Twitter há nove meses. Vejo que se usarmos as mídias de forma profissional, impondo algumas regras e evitando qualquer tipo de contato ou relacionamento pessoal, aos poucos os amigos entendem, respeitam e acabam ajudando para que essa ferramenta tenha seus objetivos alcançados. Escrevo artigos sobre os temas relacionados ao meu trabalho. Eles são postados em meu blog e divulgados na mídia. De duas a três vezes ao dia posto trechos desses artigos no meu Facebook e no Twitter. No decorrer do dia, os usuários leem, comentam e tiram dúvidas. Assim, inicia-se o debate. Algumas vezes uma única frase postada chega a ter mais de 20 pessoas lendo e comentando. Com o tempo, além dos pacientes, muitas outras pessoas pedem para ser adicionadas. Em nove meses, sem convidar ninguém, já possuo mais de 1.400 amigos. Isso acaba gerando uma fidelização, pois eles estão sempre contando comigo para qualquer esclarecimento. Tenho um grande número de pacientes com 20 a 40 anos, usuários das redes sociais. Daí a importância de estar com eles. Assim, não sou um ‘Dr. Careta’, segundo definição deles mesmos”.

Patrícia Peck Pinheiro, Advogada especialista em Direito Digital 

“O médico, usando as redes sociais, tem maior acesso a informações e troca experiências não apenas com a comunidade médica. Ele conhece casos de pacientes, o que é importante até no mapeamento de doenças raras, entre outros pontos importantes de pesquisa e atualização que todo profissional da área médica tem. Além disso, é importante ele saber o que está na internet, pois há muita informação errada. Assim, pode alertar o paciente se algo é verídico ou não. Porém, mesmo com os pontos positivos, o médico não pode se esquecer do sigilo profissional. Cabe a ele respeitar a privacidade dos pacientes. As vantagens de ter um perfil na internet se relacionam com a aquisição permanente de conhecimento, com o aumento da rede de contatos e com a divulgação de pesquisas. Além disso, ajuda na humanização da relação, por ser este um médico mais acessível. As desvantagens têm a ver com o vazamento de informações confidenciais e com o assédio de pacientes nas redes sociais pessoais. Por isso, se o médico tem um blog e ele quer que o conteúdo seja pessoal, ele não deve comentar por lá sobre assuntos de seu trabalho. Se optar por uma rede social pessoal, não adicione pacientes como contatos e ative as configurações de privacidade”.

Lembre-se que o HelpSaúde é o maior buscador de prestadores de saúde do Brasil e além das redes sociais como leu acima, você pode criar a sua página em menos de 5 minutos e gerenciar o seu perfil profissional online! Cadastre-se já no HelpSaúde e conquiste mais pacientes. 

Conteúdo fornecido pela Editora DOC, parceira do HelpSaúde.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Dia Nacional de Luta pela Redução da Mortalidade Materna


Infelizmente ainda é grande o número de mulheres que morrem por problemas ocorridos na gravidez, no parto, ou no pós-parto. A Organização Mundial de Saúde (OMS) esclarece que a morte materna é decorrente de problemas ligados à gravidez ou por ela agravados, ocorridos no período da gestação ou até 42 dias após o parto.

As causas são basicamente decorrentes das doenças hipertensivas da gravidez, hemorragias, infecções puerperais e aborto. Muitas vezes ocorrido pelo fato da má qualidade de vida dos contextos familiares, a violência doméstica, o analfabetismo e a baixa renda.

Por isso, o Dia Nacional de Luta pela Redução da Mortalidade Materna tem o objetivo de levantar uma campanha para garantir as mulheres a serem informadas sobre direitos relacionados à gravidez, e a saúde plena durante todo esse período.

Cerca de 90% das mortes maternas poderiam ser evitadas caso houvesse atendimento adequado no pré-natal, no parto e no pós-parto.

Preocupados com a saúde materna, o Ministério da Saúde destaca a importância da estratégia Rede Cegonha, uma rede de cuidados materno-infantil, que prevê medidas de fortalecimento da rede de assistência e a progressiva redução da mortalidade materna. Disponibilizando maior acesso aos cuidados hospitalares, e o acompanhamento das mulheres antes, durante e após o parto.

A luta é uma longa caminhada de conscientização entre as gestantes quanto à importância de dar mais atenção à sua própria saúde, que neste momento, é mais delicada. E o incentivo da sociedade celebrando esse dia é capaz de alertar a gravidade do problema e sensibilizar tanto as mulheres para que façam o pré-natal, mas também seus companheiros do dia a dia para que a ajude no que precisar.


Fonte: 
Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Dia Internacional da Luta pela Saúde da Mulher


A elaboração de um dia em prol da saúde feminina, ocorreu na Holanda no ano 1984. Na ocasião, a preocupação era em relação ao alto nível de mortes maternas em todo mundo. Após 3 anos, durante um novo encontra na Costa Rica, ficou decidido que a cada 28 de maio, um tema especial em relação a saúde da mulher deveria ser colocado em pauta. A reunião também decidiu que era necessária uma maior atenção a saúde feminina. Embora as mulheres sejam mais precavidas quando o assunto é saúde, toda mobilização ficava por conta dos homens. O Governo Brasileiro aprovou a ideia, e anunciou em 1988 o dia 28 de maio como o Dia Internacional da Luta pela Saúde da Mulher.

As estatísticas mostram que as mulheres vivem mais que os homens. Elas fazem mais consultas e exames preventivos e são, por natureza, mas cuidadosas que seus companheiros. Na maioria das vezes, elas que levam os filhos ao pediatra, e que reparam se há algo de errado com alguém da casa. Toda essa preocupação feminina em relação aos outros merecia uma data na qual elas fossem o centro das atenções. O Dia Internacional da Luta pela Saúde da Mulher é focado em problemas e doenças femininas, como o nível de mortalidade materna, câncer de mama, gravidez na adolescência, aborto e acesso a qualidade nos serviços de saúde.

O dia é de denúncias, proposições, cobranças e sensibilização. Diversos grupos femininos voltados para a área de saúde fazem campanha e erguem suas bandeiras em prol de um progresso das mulheres em relação à saúde. Após cada ano, são coletados dados para a apuração e verificação dos sucessos das ações. Campanhas educacionais e informativas em escolas, debates em universidades, cobranças ao governo, tudo isso faz parte do trabalho que mobiliza o Dia Internacional da Luta pela Saúde das Mulheres. Dependendo do resultado de cada ação, ela é usada outra vez, só que com outro tema no ano seguinte.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Enquete sobre a Medida Provisória 568/2012


Devido à grande repercussão sobre o manifesto dos médicos dos hospitais federais contra a Medida Provisória 568/2012, o HelpSaúde fez uma enquete com nossos prestadores cadastrados perguntando a opinião sobre a MP.

Esta por sua vez reduz o salário dos médicos servidores federais pela metade. Porém, cria a Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI), que compensa a diferença entre os salários anteriores e cria uma nova tabela. A VPNI terá um valor fixo e descontará reajustes regulares e adicionais de progressão. Assim, afetaria inclusive aposentados e pensionistas.

As respostas dos prestadores de saúde que participaram da nossa enquete foram contra a MP por diversos motivos. O sentimento de reprovação foi praticamente unânime entre os comentários. Os motivos variam. Entre eles está o possível aumento da dificuldade de atrair médicos para a rede pública, sendo um problema já presente; a possível desqualificação da profissão; sentimento de injustiça quanto ao aumento dos salários para servidores públicos e a redução pela metade dos salários de médicos públicos; a importância de um médico público para a sociedade não ser reconhecida perante essa redução de salários.

Porém, há aqueles, entre a minoria, que dizem que a responsabilidade médica não está sendo bem exercida e por isso a redução do salário é indiferente.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Dia Nacional de Combate ao Glaucoma - 26 de Maio

ORIGEM DA DATA

O Dia Nacional de Combate ao Glaucoma foi instituído através da Lei nº 10.456/2002, a fim de promover a conscientização sobre o Glaucoma e divulgar seus principais fatores de risco. A Lei que criou a data de 26 de maio foi apoiada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), pela Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG) e da Associação Brasileira dos Amigos, Familiares e Portadores de Glaucoma (ABRAG).

O GLAUCOMA

O Glaucoma é a principal causa de cegueira no Brasil e no mundo. Trata-se de uma doença crônica grave que causa danos irreversíveis ao nervo óptico e reduz o campo visual. Atinge cerca de 2% da população mundial acima dos 40 anos. As pessoas que possuem histórico familiar, as chances do Glaucoma aumentam para 10%.

Esta doença é causada principalmente pela elevação da pressão intraocular que quando elevada a níveis muito altos, as células nervosas se comprimem, danificando-as e podendo causar a morte destas células e sem tratamento adequado pode causar a cegueira. Existem vários tipos de glaucoma. Ele é causado por uma alteração anatômica na região do ângulo da câmara anterior, que impede a saída do humor aquoso e aumenta a pressão intraocular.

“Humor aquoso" é um líquido incolor constituído 98% por água e 2% por sais dissolvidos que preenchem as câmaras oculares (o espaço entre a córnea e a íris). O humor aquoso é produzido constantemente, chegando a 3 ml por dia, transportando através do processo ciliar para a parte posterior da córnea e até a parte anterior da íris. Para manter a pressão ocular constante, o humor aquoso é drenado para um vaso chamado "canal de schlemm's", que circunda todo o olho. Sua principal função é a nutrição da córnea e do cristalino, além de regular a pressão interna do olho.

TIPOS DE GLAUCOMA

GLAUCOMA CRÔNICO SIMPLES OU DE ÂNGULO ABERTO é a forma mais comum de glaucoma e atinge 80% dos casos. É provocado por um defeito na drenagem do humor aquoso, elevando a pressão intraocular provocando lesões no nervo ótico, consequentemente o comprometimento da visão. Sem tratamento, pode levar à cegueira.

Este tipo de glaucoma raramente tem sintomas e surge nas pessoas acima de 40 anos. Inicialmente provoca a diminuição do campo visual periférico e dificilmente o paciente consegue notar. A partir do avanço, a perda da visão é perceptível e um tratamento pode perfeitamente evitar que a perda visual avance. Caso não tratado em tempo, poderá ocorrer a cegueira. A catarata não pode ser causada pelo glaucoma crônico de ângulo aberto.

GLAUCOMA DE ÂNGULO FECHADO é o tipo de glaucoma tem como diferencial o aumento súbito da pressão intraocular pelo fato do ângulo iridrocorneado é estreito e dificulta a drenagem do humor aquoso, proporcionando uma pressão mais elevada que o normal, provocando a perda progressiva do campo visual. Neste tipo de glaucoma há uma produção de bruscos. Todavia, o principal perigo consiste na produção de bruscos aumentos da pressão interna do olho, que se manifestam como crises agudas.

GLAUCOMA CONGÊNITO é um tipo de glaucoma que acomete os recém-nascidos e é a forma mais rara da doença.

GLAUCOMA SECUDÁRIO é o tipo decorrente de diabetes, uveítes, trauma, catarata ou por outra doença ocular identificável.

Existem ainda outros tipos de Glaucoma como: Inflamatório, Neovascular, Pigmentar, Traumático, entre outros.

ATENÇÃO AOS GRUPOS DE RISCO

-O glaucoma é uma doença de caráter hereditário e é importante que indivíduos de família de portadores de glaucoma façam exames preventivos com regularidade;

-O risco de ser portador de glaucoma aumenta com a idade. É importante medir a pressão intraocular após os 40 anos de idade (o que não significa que a doença não se manifeste em pessoas mais jovens);

-Diabéticos;

-Hipertensos;

-Indivíduos de idade avançada;

-Míopes que usam lentes acima de seis graus, e

-Pacientes que tiveram trauma ocular ou doenças intraoculares, entre outros.

É recomendável que os indivíduos do grupo de risco façam exames regulares.

TRATAMENTO

Geralmente o tratamento é clínico e à base de colírios. Também pode fazer uso de medicamentos via oral (normalmente em casos emergenciais). Como alguns tipos de glaucoma estão associados a distúrbios específicos, o cuidado com a causa pode fazer com que a pressão ocular regrida e o problema desapareça.

Você tem mais de 35 anos ou está no grupo de risco? Procure um OFTALMOLOGISTA e faça um exame para medir pressão intraocular dos seus olhos. 

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Dia do Massagista - 25 de Maio


25 de maio é comemorado o Dia do Massagista. Essa profissão foi regulamentada em um Projeto de Lei que data de 1961. A atuação da massagem se dá no campo da estética, do desporto, da prevenção e da terapêutica, tendo como objetivos a recuperação de sequelas e reabilitação de indivíduos, além de promover a saúde.

Como uma arte milenar de cura e auto-cura, teve início com as mãos, pois é com as mãos que naturalmente se alivia a dor. Mas hoje em dia já existem outras formas de massagear o corpo; a tecnologia já proporciona muitos instrumentos mecânicos/elétricos de massagem. Muito mais do que uma série de movimentos ritmados, a massagem é uma importante troca energética entre o terapeuta e o paciente, estimulando uma comunicação profunda baseada no equilíbrio e na harmonia. A função mais eficaz é a descontração do corpo e da mente, aliviando a tensão provocada no dia-a-dia. Mas a massagem também pode ser muito estimulante, ao invés de calmante: tudo dependerá do objetivo a atingir.

Alguns dos benefícios que o paciente pode esperar de uma massagem:

- bem-estar imediato;
- melhoria do sistema circulatório geral;
- fortalecimento do sistema imunológico;
- diminuição da tensão;
- redução de ansiedade; e
- tonificação muscular.

É importante lembrar que a massagem não deve ser encarada como um tratamento, mas sim como uma arte de terapia complementar.

O QUE É MASSAGEM, O QUE É MASSOTERAPIA?

MASSAGEM é a compressão metódica do corpo ou de partes do corpo, feita com as mãos ou instrumentos adequados, para cumprir finalidades terapêuticas e/ou estéticas.

MASSOTERAPIA é um termo mais moderno, usado para quem trabalha com vários tipos de massagem, inclusive, uso de injeções de doses mínimas de medicamentos, dadas com agulhas muito finas, o mais próximo possível do local da dor ou da doença. Ou seja, Massagista usa uma técnica específica, uma especialidade e Massoterapeuta usa várias técnicas.

Alguns tipos de massagens:

Acupressura - Uma massagem feita com pressões seguindo o mapa de acupuntura, mas sem as agulhas.

Anma - Tradicional massagem chinesa para equilíbrio energético. É feita sentada, sem óleos.

Anti-celulite - Uma massagem usando cremes de anti-celulite para remover celulites. Estimula o sistema circulatório de linfa no organismo.

Anti-Stress - Usando deslizamentos para diminuir o estresse do dia a dia. Estimula principalmente, a liberação de ocitocina, e outros hormônios anti-stress.

Ayurvédica - Massagem Indiana engloba tratamentos mentais, psicológicos e físicos. Normalmente é feita no chão com tatami.

Bamboo - Massagem utilizando o bambo. É feita para a circulação de linfa e para modelar o corpo.

Bowen - massagem relaxante, feita com muita sensibilidade e suave para estimular a divisão do sistema nervoso parasimpático.

Desportiva - Ajuda a retirar as toxinas do organismo, como o ácido láctico, aumenta a elasticidade dos músculos. Muito indicado para pessoas amadoras, profissionais e ou praticante de qualquer atividade física.

Do-In - Massagem japonesa que utiliza os pontos do meridiano para equilíbrio energético do corpo.

Drenagem Linfática - A massagem ajuda na eliminação de líquido que por algum motivo estão retidos no organismo.

Facial - Aumenta a elasticidade da pele e a circulação, diminui olheiras e inchaços. Ajuda na eliminação das células mortas.

Lian Gong - Previne problemas provenientes de má postura, possui exercícios para as articulações, tendões, além de movimentos para o fortalecimento do coração e pulmão. Indicada para insônia, cólicas menstruais, LER, nervosismo, entre outros.

Modeladora - Combate a celulite e a flacidez, ativa as gorduras localizadas.

Moxabustão - Usada para prevenir e tratar desequilíbrios como doenças respiratórias, impotência, depressão, cólicas menstruais, dores no nervo ciático, entre outros.

Neuromuscular - Massagem que usa a pressão nos pontos encontrados nos músculos esqueléticos.

Quick Massage - Massagem rápida de 15-20 minutos na cadeira sem óleo e diretamente nas roupas das pessoas. Muito comum em shoppings ou em escritórios.

Quiropráxia - Trabalha o sistema neuromuscular com a ajuda de movimentos da estrutura esquelética.

Ventosa - Usando copos quentes, criando vácuo, para levantar a pele e os músculos. Medicina chinesa.

Reflexologia - Pressões nos pé ou nas mãos para estimular e equilibrar a energia das pessoas. Cada ponto tem um órgão correspondente.

Reiki - Energético, equilibra as energias sem toques.

Relaxante - Reduz o estresse causado pelo dia a dia. Proporciona relaxamento total do corpo, dando uma sensação de leveza e bemstar.

Respiração - Usando técnicas para melhorar a respiração. O método Lotorp é o mais famoso.

Shantala - Massagem para bebês que traz como benefícios o aumento da circulação e relaxamento.

Shiatsu - massagem com dedos é um combinado da acupuntura chinesa com pressão nos músculos.

Sueca - A mesma que a massagem clássica. Massagem para os músculos para drenar o corpo de toxinas e para recuperar músculos tensos. Aumenta a circulação sanguínea.

Tailandesa - Massagem com muitos alongamentos derivados da yoga.

Terapêutica - Engloba todas as massagens que visa à melhora da saúde das pessoas.

Trigger Points - Pontos de gatilho. Alivia pontos doloridos do corpo que podem emitir dores e incômodos para o corpo todo.

Tui-Na - Massagem chinesa significa pegar, segurar, amassar.

Para o massagista é importante conhecer o melhor método para cada paciente e por isso, ele deve aprender algumas técnicas para utilizar a massagem correta.

Ressaltamos que existem duas linhas de massagens: a Ocidental e a Oriental, que fazem o mesmo trabalho com idéias básicas diferentes: O ocidente vendo a anatomia e o sistema esquelético muscular como o principal e o oriente as energias vitais da vida.

Responda sinceramente: Você friccionou ou amassou alguma parte do seu corpo hoje? Tem feito isso constantemente em alguma parte do seu corpo? Talvez seja a hora de procurar um MASSAGISTA.



Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dia Mundial da Mulher para a Paz e Desarmamento - 24 de maio


ORIGEM DA DATA

No dia 24 de Maio celebra-se o Dia Internacional das Mulheres pela Paz e pelo Desarmamento. A sua comemoração teve origem no início dos anos 80, na Europa, quando centenas de mulheres se organizaram contra as armas nucleares e a corrida armamentista.

Na época, o então Presidente Ronald Reagan criou o Projeto "Iniciativa de Defesa Estratégica". Sua ideia era projetar uma espécie de "escudo" que protegeria o planeta de mísseis lançados de qualquer ponto. O projeto se tornaria conhecido como "Guerra nas Estrelas”, concebido para inutilizar mísseis nucleares e colocar um fim na corrida armamentista. Com o tempo, o  “Guerra nas Estrelas” foi abandonado pelo seu alto custo e inviabilidade.

Nos anos 80, os Estados Unidos, a União Soviética, a Grã-Bretanha, a França e a China possuíam declaradamente a bomba atômica, enquanto outros países como a Índia, Paquistão, Israel, Brasil, Argentina, Irã, Iraque e África do Sul destinavam verbas a programas de energia nuclear.

Esta corrida nuclear trouxe para o planeta uma grave mentalidade militarista, aumentou os focos de tensão entre os países e estes passavam a estocar armas nucleares e enormes arsenais de armas convencionais. Inclusive os paupérrimos países da África possuíam mísseis de grande alcance e arsenais de guerra.

O mundo preparava-se para uma guerra que não se sabia de onde partiria. Armas nucleares era uma "febre".

Em 1985, o líder soviético Mikhail Gorbachev declarou a moratória nuclear unilateral, uma iniciativa surpreendente que favoreceu as negociações para a redução dos arsenais atômicos.

A IMPORTÂNCIA DO BUREAU INTERNACIONAL DA PAZ

O Bureau Internacional da Paz tem como tema " DESARMAR PARA DESENMVOLVER". Atua no fomento aos movimentos pacifistas em mais de 70 países e é a mais antiga Federação Internacional para a Paz, promovendo UM MUNDO SEM GUERRA. Com sede na Suíça, o Bureau foi o vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1910 e 13 de seus membros foram honrados com essa distinção. Atualmente, o BIP agrupa 276 organizações-membros espalhadas em 70 países. O BIP objetiva trazer uma resposta à questão : como realizar um desarmamento durável para obter um desenvolvimento durável ?

Assim, incentiva e fomenta ações como "A Jornada internacional das mulheres pela paz e o desarmamento".

O USO DAS MULHERES

Atualmente, a Marcha Mundial das Mulheres continua a lutar pelo fim imediato dos conflitos armados e do uso do corpo das mulheres como "terreno de guerra". As mulheres marcam o Dia Mundial da Mulher para a Paz e Desarmamento marchando e denunciando os interesses econômicos que existem por trás dos conflitos armados, a venda legal e ilegal de armas.

É preciso lembrar que os males das guerras que afligem as mulheres são psicológicos, sociais, físicos e econômicos. Os corpos das mulheres ainda são usados como "despojo de guerra" pelos inimigos, um ato de violência que para as sociedades patriarcais é tido como "normal".
Podemos nos reportar a Guerra do Vietã (1955 e 1975), como exemplo do que ocorre em todas as guerras e conflitos: mulheres vietnamitas que perderam maridos, pais e filhos não tinham opção a não ser a prostituição.

A Marcha Mundial das Mulheres realizada em 24 de maio é defensora da vida de todos. Não existem "países amigos ou inimigos". OS INIMIGOS SÃO AS ARMAS. A LUTA É PELA TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE MILITARIZADA QUE VIVEMOS, luta esta, baseada em valores como Paz, Justiça, Solidariedade, Liberdade e Igualdade.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Mil manifestantes protestaram contra a Medida Provisória 568/2012


O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (CREMERJ) promoveu um protesto contra a Medida Provisória 568/2012 que pretende reduzir o salário dos médicos federais pela metade.

A manifestação ocorreu na terça-feira, dia 22 de maio e teve a participação de mil médicos aproximadamente. Iniciou-se uma caminhada a partir do pátio do Palácio Capanema, representação do Ministério da Educação (MEC), passando pelo Núcleo do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro (Nerj)e foi até as escadarias do Teatro Municipal no Centro.

A MP afetará 42 mil médicos servidores públicos em todo o país. No MEC são impactados 6,2 mil médicos.

“A redução de salários é inconstitucional. Já é cada vez mais difícil atrair médicos para a rede pública por conta da falta de estrutura e dos baixos salários, e a medida provisória torna a situação ainda pior. No fim das contas, a maior prejudicada é a população, que fica sem atendimento de qualidade”, afirma a presidente do Cremerj, Márcia Rosa de Araujo.

Haverá uma assembleia no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC) promovida pelo CREMERJ para os médicos servidores da União. Serão passados informes sobre a MP 568 e quais serão as próximas ações. O CBC fica na Rua Visconde Silva, 52, Botafogo e acontecerá quinta-feira, 24 de maio às 20H.


Fonte: CFM

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Como fazer perguntas relevantes para tomar as melhores decisões?


A Medicina baseada em evidências (MBE) é o uso consciente, explícito e ajuizado da melhor evidência a tomada de decisões sobre o cuidado/tratamento de um paciente em particular. Entretanto, não devemos esquecer que a MBE é apenas uma bússola e nós, médicos, somos os comandantes.

Modernamente temos o conceito de prática baseada em evidência que incorpora as evidências clínicas com a experiência ou com a vivência do médico e com preferências do paciente.

Basicamente, são cinco passos para a tomada de decisão na prática clínica:
  1. Formular uma pergunta;
  2. Pesquisar a literatura;
  3. Avaliar a qualidade e relevância dos artigos;
  4. Integrar a evidência identificada nos estudos com a experiência clínica e as preferências do paciente para a tomada de decisão;
  5. Avaliar a efetividade após implementação.

Vamos nos ater ao primeiro passo: como fazer a pergunta clínica?

A pergunta é o primeiro elemento da busca. Sendo ela bem clara e definida, é possível obter o resultado esperado. O profissional perante o caso concreto de um paciente para o qual existe uma dúvida deverá pensar o que é relevante ter conhecimento, ou seja, identificar o problema e formular uma pergunta que seja relevante para sua resolução a fim de facilitar a busca por uma resposta.

Neste processo, há quatro elementos: pacientes, intervenção, comparação e desfecho (outcome). Analisando:

(P) Pacientes (ou população): “como posso descrever um grupo de pacientes que sejam semelhantes ao paciente que eu estou acompanhando?”.

(I) Intervenção: “que intervenção ou tratamento quero avaliar com esse questionamento?”.

(C) Comparação: “com o que quero comparar a intervenção que estou avaliando?”. Pode-se comparar a intervenção que se quer avaliar com um tratamento já experimentado previamente e que se mostrou eficaz em determinada condição médica. Outra opção consiste na utilização de placebo, que corresponde a um tratamento sem qualquer ação biológica.

(O) Outcome (desfecho): “que desfechos quero analisar nos pacientes expostos a essa intervenção?”. Como se pode perceber, combinando-se as letras iniciais dos quatro elementos, se obtém a abreviatura PICO, comumente descrita em artigos de revisão relacionados à MBE. Utilizando-se o princípio PICO, é possível localizar artigos mais relevantes e precisos durante o levantamento bibliográfico. Um exemplo: em pacientes idosos (P), será que os inibidores da enzima conversora de angiotensina (I), em comparação com os β-bloqueadores (C), são mais eficazes em controlar a pressão arterial e minimizar os efeitos colaterais (O)?

Além disso, dependendo de como a questão clínica for formulada, a evidência pode ser direcionada e focada para se responder a diferentes aspectos clínicos. Por exemplo: podemos focar em um tratamento. Será que a prescrição de sumatriptano é eficaz em reduzir a intensidade das crises de cefaleia em mulheres com enxaqueca?

Também podemos focar em prevenção: se determinada estratégia de prevenção resulta em uma ocorrência menor de novos casos ou mesmo no diagnóstico precoce de uma doença. Exemplo: será que a determinação seriada dos níveis séricos do antígeno prostático específico (PSA) em pacientes idosos assintomáticos reduz o risco de morte por câncer de próstata?

Outro foco pode ser na etiologia, avaliando qual(is) fator(es) pode(m) estar relacionado(s) na gênese de doenças. Exemplo: será que a exposição crônica ao tabaco está relacionada com um risco maior de desenvolvimento de câncer de pulmão? Portanto, fazendo as melhores perguntas, com certeza, encontraremos as respostas mais adequadas a nossos pacientes. Como dizia Claude Bernard, pai da Medicina experimental: “quem não sabe o que procura não reconhece aquilo que encontra”.

Encontrando as melhores respostas disponíveis, aliaremos a nossa vivência e a de sábios colegas à opinião dos pacientes para fazer uma Medicina embasada na competência.


Conteúdo fornecido pela Editora DOC, parceira do HelpSaúde.
Fonte: Dr. Fábio Freire, CRM: SP105425, é Reumatologista cadastrado no HelpSaúde. Precisando de um Reumatologista busque um perto de você em nosso site.



DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Médicos federais protestam contra a Medida Provisória 568/2012



Terça-feira, dia 22 de maio, os médicos dos hospitais federais e universitários do Rio de Janeiro se reúnem em frente ao Palácio Capanema, sede da representação do Ministério da Educação na cidade, a partir das 10h. A organização tem como finalidade um protesto contra a edição da Medida Provisória 568/2012, pelo Governo Federal.

A publicação da MP 568/2012 reduz em 50% os vencimentos dos médicos servidores federais ativos e inativos. A edição desta, feita em 11 de maio, tem como objetivo equiparar os salários dos servidores federais.

Além disso, a MP cria a Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI), uma compensação que corresponde à diferença entre os salários anteriores e a nova tabela. No entanto, a VPNI terá um valor fixo, e dele será descontado reajustes regulares e adicionais de progressão, afetando inclusive aposentados e pensionistas.


Fonte: CFM

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Tabagismo e Gestação


A gestação é um momento muito especial para a mulher. Planos, desejos e sonhos já vão sendo criados para o pequeno ser que virá ao mundo.

Inseguranças e questionamentos também surgem:
‘Será que o parto ocorrerá tranquilo?’,
‘Será que vai nascer com saúde?’,
‘Como será seu rostinho?’.

Enfim, toda mãe se preocupa com que o filho nasça bem e saudável. Estas e outras preocupações fazem da gestação o momento propício para repensar o hábito de fumar. Uma gestação sem cigarro traz benefícios em dobro, para a mãe e o bebê. Segundo pesquisas, as gestantes são o grupo da população que apresenta os melhores resultados e melhor relação custo-efetividade na cessação do tabagismo.

Benefícios para a mãe e o bebê

Hoje muitos sabem dos pontos negativos do uso de cigarro, porém poucos sabem que os benefícios de uma vida sem o cigarro são imensos.

1. Já nos primeiros 20 minutos sem fumar a frequência cardíaca se aproxima do normal,
2. Os níveis de monóxido de carbono voltam ao normal em 12 horas e
3. Em 5 dias a maior parte de nicotina já é eliminada pelo corpo.
4. No período de 2 semanas até 3 meses a circulação e a respiração melhoram, tornando a pessoa mais ativa e disposta.

Com a mãe livre do cigarro, aumentam as chances do bebê nascer com o peso normal. O pulmão da criança terá um desenvolvimento funcional sem alterações, reduzindo as chances de apresentar no futuro doenças respiratórias, como asma e bronquite, assim como reduz muito o risco de doenças cardíacas. Também o desenvolvimento neurológico, cognitivo e psico-motor serão mais saudáveis. Outro benefício para a mãe, é que ela perceberá uma melhora no paladar e no olfato. Também evitará passar nicotina pelo leite para criança durante a amamentação.

ATENÇÃO

Vale lembrar que pais fumantes ou outros que fumam e convivem no mesmo ambiente (casa e trabalho) que a gestante devem estar cientes dos riscos do tabagismo passivo, pois a fumaça do cigarro contém substâncias tóxicas que são absorvidas pela gestante e passam pelo sangue para o bebê.

Tratamento 

Algumas gestantes param de fumar espontaneamente assim que recebem a notícia da gravidez, motivadas a proteger o bebê. Entretanto, muitas permanecem fumando ou fracassam em suas tentativas de parar, por não se sentirem confiantes ou preparadas para isto. E há aquelas que aumentam o uso do cigarro, porque muitas vezes fumar reduz o estresse e, em algumas circunstâncias, a gestação pode ser um fator de estresse. Neste momento o aconselhamento e o suporte de um profissional de saúde especializado neste tratamento se tornam indispensáveis.

Sabe-se que intervenções no início da gestação com abordagens breves, claras e objetivas motivam a gestante a pensar sobre o hábito de fumar e são efetivas para o abandono do cigarro.

Há eficácia comprovada de uso medicações e TRN (terapia de reposição de nicotina) juntamente com tratamento psicoterápico na cessação do tabagismo. Nas gestantes, o uso de farmacoterapias deve ser avaliado pelo médico especializado caso a caso.

Atualmente, as abordagens psicoterápicas da Entrevista Motivacional e da Terapia Cognitivo Comportamental são as que demonstram maiores índices de sucesso no tratamento do tabagismo. O tratamento pode ser realizado em grupo ou individualmente, com tempo determinado e com o objetivo de fornecer informações e estratégias necessárias para lidar com os obstáculos encontrados pelas pessoas que querem parar de fumar.

Fortalecer a auto confiança e ajudar as gestantes em prol de uma vida sem cigarro, é a certeza de uma gravidez mais tranquila e  de um bebê com crescimento saudável.



Fonte: Dra. Alita Massafera, CRP: RJ29529, é Psicóloga cadastrada no HelpSaúde. Precisando de um psicólogo busque um perto de você em nosso site.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Síndrome do Pânico - Ansiedade paroxística episódica

O que é Síndrome do Pânico?

O Transtorno psíquico popularizado como Síndrome do Pânico cursa com o que o título indica: um episódio de ansiedade que surge inesperadamente. Ou seja, alguém que está tranqüilo num cinema, dormindo em sua cama ou estirado em seu sofá sente de forma súbita sintomas físicos como falta de ar, palpitações, suor frio, medo intenso, dormências ou formigamentos, por exemplo. Rapidamente conclui que se trata de uma emergência clínica. “Devo estar infartando”... “estou tendo um AVC!”.... “Estou morrendo e preciso de socorro!”

No hospital, após toda a investigação de rotina para emergências, nada é encontrado e o médico geralmente lhe esclarece:
“Não é nada...apenas ansiedade. Você vai tomar um remedinho e pode ir para  casa”.

E agora?

Não é preciso dizer que sofrer com síndrome do pânico é perder a credibilidade. Por isso, um esclarecimento:

Embora a origem dos sintomas físicos não seja um sofrimento das células do órgão aonde surge o sintoma, a dor e a vivência deles podem ser tão intensos quanto.

Há frequentemente um medo da morte muito intenso e presente. A pessoa passa a evitar diversas circunstâncias em que pode vir a se sentir desprotegida e deflagrar o episódio de pânico. Geralmente, não sai sozinha, não anda de ônibus, não se afasta muito de casa. Muda seus hábitos, muda seu comportamento, ficando muito mais restrita e incapaz para o trabalho do que pessoas com doenças clínicas de maior gravidade quanto ao risco de morte, por exemplo.

Qual o tratamento?

A abordagem mais aceita atualmente é o acompanhamento psiquiátrico com medicamentos para os sintomas e acompanhamento psicoterápico.

Há ainda diversas outras terapias que podem contribuir muito para a melhora do paciente, como a acupuntura, musicoterapia, atividades físicas, massagens, técnicas de relaxamento.

Enfim, o principal é abordar o problema como um transtorno de ansiedade. Por isso, a forma como a pessoa recebe as demandas da vida deve ser revista. O indivíduo ansioso se mantém sobre pressão constante. Se cobra de forma regular uma atenção e eficiência que lhe impedem de relaxar e saborear o momento presente.

Podemos dizer de forma resumida que em momentos de repouso o corpo entende esse relaxamento como perigos e lhe dá um aporte de adrenalina como se o indivíduo estivesse em uma emergência. Como se estivesse em risco de vida.

Para que isso mude efetiva e definitivamente, estes níveis basais de adrenalina, de cobrança de eficiência e vigilância de desempenho precisam ser levados a um patamar saudável.

Assim, uma mudança de comportamento deve ser produzida. Uma mudança para mais qualidade de vida.
Gostaria de saber mais sobre a SÍNDROME DO PÂNICO? Deixe aqui suas dúvidas.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


Dia Mundial da Hepatite - 19 de Maio


A escolha da data: 19 de maio ou 28 de julho?

Ativistas que lutam para divulgar e alertar sobre as hepatites instituíram o dia 19 de maio como o DIA MUNDIAL DAS HEPATITES, onde ocorrem atividades em mais de 70 países, desde o ano 2000. Entretanto, a OMS (Organização Mundial de Saúde) mudou a data para 28 de julho, ou seja, não importa em que dia comemora-se o DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA AS HEPATITES VIRAIS, pois trata-se de um problema de saúde pública mundial e a necessidade de sensibilizar aos governos, a todas as partes e às populações para que adotem medidas de promoção da saúde, e de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença.

O Brasil é um dos países que adota a data de 19 de maio para alertar sobre as hepatites, segundo o calendário do Ministério da Saúde.

O que são hepatites virais?

A hepatite é a inflamação do fígado.  Pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B, C e D. Existe, ainda, o vírus E, mais frequente na África e na Ásia.

Segundo o Ministério da Saúde, sem ter ciência da doença, milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B e C e não percebem nenhum sintoma. Isso as leva a correr o risco das doenças evoluírem, tornarem-se crônicas e causem danos ao fígado (como a cirrose e o câncer). Portanto, as Hepatites B e C são as mais silenciosas e por isso, o exame de rotina da hepatite deve ser regular.

Os tipos de Hepatite:

HEPATITE A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (VHA) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus.

Geralmente, não apresenta sintomas e é de caráter benigno.
Caso surjam sintomas, ocorrem de 15 a 50 dias após a infecção: são enjoo, febre, dores abdominais, peles e olhos amarelados, urina escura e fezes claras, mas, se houver, os mais frequentes são: cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

O diagnóstico é realizado por exame de sangue, no qual se procura por anticorpos anti-HAV e é totalmente curado, através do tratamento adequado sugerido pelo médico. Em menos de 1% dos casos a HEPATITE A, causa insuficiência hepática aguda grave.

A Hepatite A tem como medidas de prevenção os cuidados com a higiene pessoal - como lavar as mãos após ir ao banheiro, ao preparar alimentos e antes das refeições, além beber água tratada, lavar e desinfetar alimentos, como frutas e verduras, antes de serem consumidos crus.

HEPATITE B

Causada pelo vírus HBV, a hepatite do tipo B é uma doença infecciosa. Com o vírus presente no sangue, no leite materno e no esperma, a hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível. Formas de transmissão:

- Relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada;
- Mãe infectada contamina o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação;
- Compartilhar material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings, por transfusão de sangue contaminado.

A hepatite B tem como medidas de prevenção a vacinação, que confere imunidade efetiva em até 95% dos indivíduos jovens que recebem corretamente as três doses necessárias; o uso de preservativos nas relações sexuais; o uso das normas adequadas de biossegurança para procedimentos cirúrgicos e odontológicos; o não compartilhamento de objetos de uso pessoal e dos materiais utilizados para uso de drogas injetáveis e inaladas (canudinho, cachimbo, seringas etc).

HEPATITE C

É causada pelo vírus C (VHC). O vírus C, assim como o vírus causador da hepatite B, está presente no sangue. Pode ser transmitida:

-Pela transfusão de sangue;
- Pelo compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas etc), para higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings;
- Durante a gravidez, quando a mãe infectada passa para o filho;
- Sexo sem preservativo com um parceiro (a) infectado (a), que é a forma mais rara de infecção por este tipo.

HEPATITE D

Também conhecida como Delta, é causada pelo vírus D (VHD). Esse vírus depende da presença do vírus do tipo B para infectar uma pessoa. E sua transmissão ocorre da mesma forma que a hepatite.

A tipo D pode não apresentar sintomas, nem sinais discretos da doença. Quando ocorrem, os mais frequentes são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. A gravidade da doença depende do momento da infecção pelo vírus D, que pode ocorrer ao mesmo tempo que a contaminação pelo vírus B ou atacar portadores de hepatite B crônica (quando a infecção persiste por mais de seis meses).

Infecção simultânea dos vírus D e B

Na maioria das vezes manifesta-se da mesma forma que a hepatite aguda B. Não há tratamento específico e a recomendação médica consiste em repouso, alimentação leve e proibição do consumo de bebidas alcoólicas por um ano.

Infecção pelo vírus D em portadores do vírus B

Nesse caso, o fígado pode sofrer danos severos, como cirrose ou até mesmo formas fulminantes de hepatite. Pelo caráter grave dessa forma de hepatite, o diagnóstico deve ser feito o mais rápido possível e o tratamento só pode ser indicado por médico especializado. É a principal causa de cirrose hepática em crianças e adultos jovens, na região amazônica do Brasil.

A HEPATITE E

Rara no Brasil e comum na Ásia e África, a hepatite do tipo E é causada pelo vírus VHE.

Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. Como as outras variações da doença, quase não apresenta sintomas e os mais frequentes são: cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Esses sinais costumam aparecer de 15 a 60 dias após a infecção.

O diagnóstico é realizado por exame de sangue, no qual se procura por anticorpos anti-HEV.

Na maioria dos casos, a doença não requer tratamento. É proibido o consumo de bebidas alcoólicas, recomendado repouso e dieta pobre em gorduras. A internação só é indicada em pacientes com quadro clínico mais grave, principalmente mulheres grávidas.

A VACINA

Atualmente, o Sistema Único de Saúde disponibiliza gratuitamente vacina contra a hepatite B em qualquer unidade de saúde e a imunização é realizada em 3 doses. Os requisitos para tomar a vacina são:

- Ter menos de 30 anos;
- Pertencer ao grupo de maior vulnerabilidade - gestantes,  trabalhadores da saúde, bombeiros, policiais, manicures, populações indígenas, doadores de sangue, gays, lésbicas, travestis e transexuais, profissionais do sexo, usuários de drogas, portadores de DST.

Como saber se já teve ou tem hepatite? Faça um exame de sangue ou doe sangue: a hepatite é testada nos doadores.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Declínio dos casos de dengue no país


De acordo com dados do Ministério Público, os casos de dengue no país caíram 44% em relação ao mesmo período em 2011. Até o quarto mês de 2012, foi registrada uma diminuição de 221.786 casos em comparação com o ano anterior. O resultado satisfatório deve-se a grande campanha informativa feita pelo governo, a fim de alertar a população para esse perigo antes da época de epidemia.

A dengue é causada por um vírus, e transmitida pelo mosquito Aedes aegypt. A doença se propaga principalmente nas estações do verão e da primavera. Ela pode ser observada de duas formas, a dengue convencional, que se caracteriza pela dor de cabeça, febre, mal estar e dores nas articulações, e a dengue hemorrágica, que além desses sintomas, causa hemorragias e pode acabar acarretando na morte do doente.

Os dados do MP também apontam para um outro fator positivo: o número de casos graves de dengue caiu 87%. Esse número é positivo, pois além do menor número de mortes, isso acarreta numa menor demanda por tratamentos de dengue dentro dos hospitais brasileiros. Assim, diminui-se as confusões e filas de espera, dando prioridade a outros casos mais graves e com mais urgência.

O projeto governamental no combate a dengue foi inovador. Pela primeira vez, os municípios que tivessem melhor resultado no combate ao mosquito, teriam maior número de recursos repassados. Só em 2011 foram repassados R$92,8 milhões de reais a 1.158 municípios. A continuação do projeto continua no segundo semestre deste ano, época em que a epidemia não se manifesta. Para o MP, o número baixo de chuvas no início do ano não é um dos fatores que causaram a diminuição, e que é fundamental a manutenção na diminuição no número de casos graves da doença.

Embora haja muita comemoração, seis estados brasileiros verificaram aumento nos casos: Tocantins, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia e Mato Grosso. É preciso aumentar as campanhas informativas para que haja o mesmo efeito que nos outros estados brasileiros. É necessário que cada um continue fazendo a sua parte para o que os casos de dengue continuem caindo.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Dia da Conscientização Sobre a Necessidade de Vacina contra HIV/AIDS


Todos já ouviram falar de quanto é letal o vírus da AIDS. A preocupação é geral. Governos e laboratórios privados investem montes de dinheiro com o objetivo de prevenir a doença. Mais de 25 milhões de pessoas já morreram desde a primeira aparição do vírus em 1981, na África, e isso é um dado alarmante para a saúde pública. A necessidade da busca por um soro que promova a imunidade desse vírus ainda é muito importante, embora um portador da AIDS possa levar uma vida praticamente normal com os tratamentos já existentes.

Para ressaltar a importância dessa luta, o dia 18 de Maio foi escolhido para representar anualmente, os progressos e resultados no combate à AIDS. O conceito para esse dia surgiu no dia 18 de maio de 1997, durante um discurso do ex-presidente americano Bill Clinton. A cerimônia aconteceu na Morgan State University, nos Estados Unidos, e tinha como objetivo a conscientização de um desenvolvimento para solução contra o vírus da HIV. A data é tão importante quanto ao dia 1º de dezembro, Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, e revolucionou os métodos de combate à doença, estipulando metas mais rígidas para a criação e implementação de soluções.

Desde então, o resultado dessa motivação teve um avanço no combate a AIDS, e agora a maioria dos portadores podem levar uma vida mais tranquila.

Atualmente, a forma mais eficaz é evitar o contágio através de métodos preventivos, como: o uso de preservativos, a não reutilização de material hospitalar e maior higiene pessoal.

O uso de coquetéis medicinais ajudam no dia-a-dia do soropositivo, mas não acaba com o problema. Os remédios mantêm o HIV em níveis baixos, para que não haja reações internas nem externas a partir dele. Dessa forma, o contaminado fica a mercê desses coquetéis, pois precisam tomá-los todos os dias. Outro fator não positivo é o fato desses medicamentos causarem uma série de efeitos colaterais, o que prejudica de diversas formas a vida do usuário.

Porém, apesar desses dois fatores negativos, os remédios possibilitam uma rotina praticamente igual a de um não soropositivo, daí o sucesso desses produtos.

A campanha brasileira contra a AIDS é exemplo internacional e já foi considerada a mais eficiente por diversas vezes. O governo dá auxílio total aos soropositivos, bancando o tratamento de forma integral. A campanha também engloba ações educativas como a distribuição de preservativos, palestras em escolas e universidades, eventos e tudo o que possa repercutir positivamente no público jovem. A AIDS é totalmente controlada no país e não há riscos de uma epidemia. Contudo, isso não significa que não haja a necessidade de continuar na busca por uma vacina que imunize a todos contra a HIV. Está aí a razão principal do 18 de maio, a estipulação de metas para combater este mal.


Fonte: 
Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


terça-feira, 15 de maio de 2012

Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares


ORIGEM DA DATA

O Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares é comemorado anualmente no dia 15 de maio e objetiva conscientizar autoridades sanitárias, diretores de hospitais e trabalhadores de saúde sobre a importância do controle das infecções hospitalares.

Este dia foi instituído pela Lei nº 11.723, de 23/6/2008 e, durante a semana, o Ministério da Saúde e os serviços de saúde, em especial os hospitais são autorizados a desenvolver campanhas de comunicação social e ações educativas com o objetivo de aumentar a consciência pública sobre o problema representado pelas infecções hospitalares e a necessidade de seu controle.

O QUE É INFECÇÃO HOSPITALAR

Infecção hospitalar é uma síndrome infecciosa adquirida dentro das Unidades de Saúde (durante uma internação ou um atendimento ambulatorial). Qualquer pessoa está sujeita a contrair uma infecção hospitalar, que está diretamente relacionada ao tempo de internação e procedimento a ser realizado.

Quando um vírus  bactéria, protozoário ou fungo penetra no ser humano, prolifera e os agentes infecciosos estão em todos os lugares, inclusive nos hospitais e postos de saúde. Nos hospitais, por realizarem cirurgias e tratamento de fraturas, com o ferimento aberto ou uma incisão é maior a possibilidade da penetração de microorganismos, causando a Infecção Hospitalar, que é caracterizada como uma infecção que surge após 72 horas que o paciente esteve (ou está) no ambiente hospitalar, tendo dado entrada sem a infecção adquirida.

Quando a infecção é percebida após a alta, é diagnosticada como infecção hospitalar se for diretamente relacionada com o procedimento realizado no hospital, com sintomas que são relacionados ao local onde foi efetuado o procedimento cirúrgico ou suturas, atendimento de emergência de fraturas, ambulatorial (cateterismo cardíaco, exames radiológicos com utilização de contraste, retirado de pequenas lesões de pele e retirado de nódulos de mama, entre outros). Logo, o paciente apresenta estado febril.

PORQUE OCORRE SE ESTAMOS EM UM LOCAL QUE CUIDA DA SAÚDE?

Geralmente as infecções hospitalares são causadas por falta de assepsia e não existe local onde mais encontramos microorganismos que os Hospitais, Postos de Saúde e Ambulatórios porque as pessoas vão até lá justamente em busca da cura. Por isso, a assepsia é fundamental, pois o meio ambiente, o material, o paciente e a equipe podem estar contaminados.

O maior risco de contrair uma infecção hospitalar está nos procedimentos cirúrgicos, já que as UTIs e Centros Cirúrgicos são locais onde há mais vulnerabilidade. Entretanto, as condições de saúde do paciente também são fatores de risco: idade, higiene, estresse psíquico e físico, cuidados com a alimentação, condições sanitárias de seu ambiente etc. podem levá-lo a estar com o organismo pré-disposto a adquirir uma infecção no ambiente hospitalar.

ASSEPSIA

A assepsia é o processo que são afastados os microorganismos patogênicos de um local ou objeto, um conjunto de meios para prevenir infecções, por exemplo:

- Lavar as mãos constantemente impede a transferência de microrganismos das mãos para o paciente assim como o uso de papel toalha;
- Esterilização do materiais usados em procedimentos e não colocar materiais no chão (comadres, bacias e afins);
- O profissional de saúde ter o cuidado de não tossir, espirrar ou falar sobre o material esterilizado e cuidar do asseio pessoal e também trocando de luvas e algumas peças de vestuário a cada procedimento (máscaras, aventais, pantufas);
- Troca constante de lençóis, fronhas, toalhas, aventais e demais tecidos que envolvem o paciente;
- Não sentar-se na cama do paciente é um procedimento importante para quem visita ou acompanha um enfermo num ambiente hospitalar e os funcionários devem estar atentos.

A prevenção das infecções hospitalares é responsabilidade dos hospitais, ambulatórios e postos de saúde que devem ter uma CCIH - Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), com a finalidade de diagnosticar casos de infecção hospitalar, padronizar as técnicas de assepsia, promover o treinamento de funcionários, controlar o antibiótico usado em pacientes que adquiriram a infecção.

O tratamento das infecções hospitalares é feito com uso de antibióticos injetáveis por um período que varia entre 14 e 30 dias.


Se possível, antes de submeter-se a uma cirurgia ou internar uma pessoa da família, visite o site http://www.helpsaude.com/ que pode indicar hospitais e clínicas.




Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

15 de maio - Dia do Assistente Social


ORIGEM DA DATA

No mês de maio comemora-se o dia do Assistente Social. A data tem origem em 15 de maio de 1891, quando o Papa Leão XIII publicou a Encíclica "Rerum Novarum" que apresentou ao mundo as diretrizes da Doutrina SOCIAL da Igreja. Esta foi a primeira Encíclica Social escrita por um Papa e dissertava sobre o posicionamento da Igreja no enfrentamento aos graves problemas sociais das sociedades européias.

Os assistentes sociais europeus da época ficaram completamente atônitos frente à revelação dos problemas sociais existentes, pois sua formação ainda era precária e passaram a usar os ensinamentos contidos na Encíclica Social como fundamento para o seu trabalho.

A ASSISTÊNCIA SOCIAL NA AMÉRICA

Esta profissão surgiu em 1898, em Nova Iorque, EUA. A ascensão da sociedade burguesa dominante (com o surgimento das classes sociais) necessitava de profissionais que assistissem a classe proletária como uma forma de exercer um certo controle sobre o proletariado.

Não existia uma metodologia ou teoria sobre a profissão. Na verdade, nem se sabia o que era realmente a profissão.

Verdadeiramente, o SERVIÇO SOCIAL surgiu da forma moderna em virtude da emergência das questões sociais, da desigualdade social, econômica e/ou cultural, problemas oriundos de uma sociedade capitalista amadurecida: Capital X Trabalho.

O ASSISTENTE SOCIAL NÃO É PATERNALISTA

O Bacharel em Serviço Social, uma profissão de curso superior que objetiva estudar as expressões das questões sociais. É preciso conhecer sociologia, psicologia, economia, ciências políticas, ética e antropologia.

Ao contrário da sua origem "controladora", O SERVIÇO SOCIAL MODERNO é uma profissão de caráter sócio-político, crítico e interventivo, que se associa ao instrumento científico multidisciplinar das Ciências Humanas e das Ciências Sociais para analisar e intervir nas "questões sociais" de forma qualificada, intervindo, atuando na área investigativa da sociedade através de pesquisa e análise da realidade social, atuando também na execução e avaliação das políticas sociais que defendem e ampliam os direitos humanos.

A missão da Assistência Social é o bem estar do ser humano, dando especial atenção às carências e ao fortalecimento daqueles que são vulneráveis, oprimidos e que vivem na pobreza. Uma característica histórica que define o serviço social é a preocupação da profissão no que diz respeito ao bem estar individual num contexto social, e ao bem estar da sociedade. É fundamental ter em atenção às forças ambientais que criam, contribuem e abordam os problemas da vida.

Os campos de adoção são amplos: hospitais, escolas, creches, clínicas, centros de convivência, administração pública, serviço judiciário, entre outros.

O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA DE SAÚDE

Segundo o Ministério, são algumas atribuições do serviço social na área de Saúde:

- Discutir com os pacientes e /ou responsáveis situações problemas;
- Acompanhamento social do tratamento da saúde;
- Estimular o doente a participar do seu tratamento de saúde;
- Discutir com os demais membros da equipe de saúde sobre a problemática do paciente, interpretendo a situação social do mesmo;
- Informar e discutir com os pacientes sobre seus direitos sociais, mobilizando-o ao exercício da cidadania (como adquirir medicamentos e equipamentos gratuitos, seguridade do INSS, entre outros);
- Elaborar relatórios sociais e pareceres sobre matérias especificas do Serviço Social;
- Participar de reuniões técnicas da equipe interdisciplinar da unidade; e
- Discutir com os familiares sobre a necessidade de apoio na recuperação e prevenção da saúde do paciente.

Os problemas emocionais decorrentes de uma enfermidade, afastamento de familiares, diagnóstico, entre outros, são motivos de angústia para o paciente.

O Assistente Social atua junto ao paciente e sua família, no sentido de amenizar as angústias e ajudar a encontrar soluções para problemas, enfrentamento de novas realidades pós- internação ou buscar meios para amenizar problemas sócio-econômicos e sociais.

Os familiares trazem para o profissional suas aflições, decepções etc. O Assistente Social adquire subsídios para mediar a relação paciente e família, a fim de evitar a rejeição familiar.

Não se impressione se encontrar um Assistente Social visitando lares de famílias que desejam adotar uma criança; como testemunha em casos judiciais de várias naturezas, ou ainda, se o encontrar em um presídio, conversando com um detento.

Ajudar a vencer os obstáculos da vida é o ofício do Assistente Social.




Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


segunda-feira, 14 de maio de 2012

Câncer de Testículo


O que é o câncer de testículo?

É uma forma de câncer que atinge os homens, e pode ser considerado raro, com incidência de 3 a 5 casos para cada 100 mil indivíduos. Entre os tumores malignos na população masculina, o câncer de testículo responde por 5% dos casos. Atinge homens com idade entre 15 a 50 anos, ou seja, em plena fase reprodutiva.

Na gestação, os testículos são desenvolvidos dentro do abdome, e durante o primeiro ano de vida, os testículos deverão descer para a bolsa escrotal. Existem homens que apresentam falhas nesse processo, e estes possuem maior chance de desenvolver o câncer de testículo.

É um câncer de baixa mortalidade, quando comparado com outros tipos que atingem o homem, como por exemplo o câncer de próstata. Sua maior incidência em pessoas jovens e sexualmente ativas requer atenção pois o câncer de testículo pode ser mascarado ou confundido com doenças que são sexualmente transmissíveis como orquiepididimites, que são inflamações dos testículos e epidídimos.

Quais são os sintomas do câncer de testículo?

Os mais comum entre os sintomas do câncer de testículo é o surgimento de um nódulo endurecido, indolor, com o tamanho similar a uma ervilha.

Entretanto, qualquer massa ou nódulo que seja notado deve-se se procurar um médico, principalmente o urologista. Pode ser apenas uma infecção, mas em caso de câncer quanto mais precoce for o diagnóstico maiores são as chances de cura.

Sintomas como:

- alterações no tamanho dos testículos, seja aumentando ou diminuindo,
- dor indefinida no adbome inferior, como dor nas costas ou no estômago,
- sensação de “peso” na bolsa escrotal,
- sangue ao urinar e
- sensibilidade aumentada nos mamilos também devem ser observados e notificados ao médico.

Quais são os fatores de risco? Existe prevenção?

Os principais fatores de risco para que se desenvolva o câncer de testículo são:

- o histórico de ocorrência da doença entre familiares,
- lesões ou traumas na região da bolsa escrotal e
- criptoquirdia.

Durante a infância, é importante que o pediatra examine a bolsa escrotal para verificar se a descida dos testículos para a bolsa ocorreu normalmente.

A principal forma de prevenção é fazer do auto-exame um hábito, devendo ser realizado com freqüência mensal. Atualmente, o câncer de testículo é considerado um dos mais curáveis entre os tipos de câncer, principalmente quando detectado nos estágios iniciais. Embora seja uma doença agressiva devido a sua rápida duplicação das células tumorais, é de fácil diagnóstico e excelente resposta aos quimioterápicos adotados hoje em dia.

 Como é feito o tratamento do câncer de testículo?

Inicialmente é realizado procedimento cirúrgico, através de pequena incisão no abdome para expor o testículo realizar-se a biópsia. O resultado é obtido durante a cirurgia. Sendo positivo para o câncer, o testículo é então retirado, sem que isso prejudique as funções sexuais e reprodutivas do paciente, desde que o outro testículo esteja saudável e normal, pois após a retirada, o remanescente irá produzir mais testosterona e esperma, compensando a ausência do que foi retirado. Será feita uma análise para se identificar se o câncer se espalhou para outros órgãos, o que vai determinar se o sequência do tratamento a ser adotado será por meio de nova cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou controle clínico da doença.



Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.