sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Ceia de Natal com Saúde? Sim!

Ceia de Natal = comilança, mas ela pode ser saudável, sabiam? O segredo está numa seleção inteligente dos pratos típicos. Mas o que não pode faltar na mesa? Peru, tender, chester, pernil, bacalhau, farofa, arroz, castanhas, amêndoas, frutas secas, panetone, rabanada, vinho, cerveja, espumante?

Como sempre a moderação é sempre bem-vinda, mas vamos às escolhas mais inteligentes: Entre as proteínas tradicionalmente consumidas no Natal, o melhor é ficar no peixe (seja ele bacalhau ou não) ou peru. Essas duas carnes são bem mais magras que o tender ou pernil e até mesmo que o chester.


As castanhas, amêndoas, avelãs, nozes são belisquetes obrigatórios e ontioxidantes poderosos, contendo o que os médicos chamam de 'gordura boa'. No entanto, quem não quiser engordar, deve consumí-las com moderação, pois são bastante calóricas.


Quanto aos carboidratos, farofa, arroz, batatas, o ideal é escolher apenas um. Componha seu prato com uma proteína magra, um tipo de carboidrato e uma saladinha.


Já os doces, aí é que complica. O ideal é evitar rabanadas, panetones, frutas secas, mas é difícil não? Aqui entra a moderação...


Se você e sua família têm o constume de consumir bebidas com álcool, o melhor seria fugir da cerveja, porque ela é normalmente consumida em grandes quantidades, o que significa muitas calorias. Os destilados também não são bons pois, apesar de consumidos em menores quantidades, são muito calóricos. O ideal é ficar no vinho e nos espumantes.

Contudo, não fiquem com grandes preocupações nutricionais nessa época do ano. O Natal é para se curtir a família, então preocupem-se muito apenas com a diversão! Feliz Natal pessoal!


Equipe HelpSaúde



DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Inovações para a Medicina Caseira

A medicina caseira era o reino da intuição e dos remédios naturais. Apesar de avanços significativos em aprendizado e tecnologia, as pessoas hoje estão desconectadas de seus corpos e dependem muito de profissionais médicos para cuidarem da saúde. 

Recentemente, três produtos da área de saúde foram lançados pela Scanadu, e eles ajudam as pessoas a ouvirem seus próprios corpos melhor. 

Tida como “a maior inovação da medicina caseira desde a invenção do termômetro,” essas ferramentas diagnósticas usam tecnologias móveis, de sensor e sociais para criar uma imagem em tempo real de sua saúde. 

O Scout é um sensor que ao ser encostado em sua têmpora, em menos de dez segundos, ele coleta dados sobre o pulso, batimentos cardíacos, atividade elétrica do coração, temperatura, variabilidade da frequência cardíaca e oxigenação sanguínea. Lançará nos Estados Unidos no final de 2013 e custará $150. 

A segunda ferramenta, Project ScanaFlo, analisa a urina e testa para complicações na gravidez, pré-eclâmpsia, diabetes gestacional, falência dos rins e infecções urinárias. O cartucho descartável será vendido em farmácias. 

Por último, há o Project ScanaFlu. Esse disco testa salivo através de um cartucho descartável que detecta Streptococcus A, Influenza A, B, Adenovírus e RSV. Descobrir doenças respiratórias e gripes logo no início geralmente levam a uma recuperação rápida. 

Todos os dados coletados através destes dispositivos são sincronizados com o aplicativo celular, que oferece um mural pessoal para monitorar sinais vitais e identificar padrões. Levando o “smartfone para a faculdade de medicina,” celulares tornam-se uma ferramenta poderosa para manter as pessoas afinadas com seus corpos. “As pessoas podem acessar informações sobre saúde e se conectarem umas com as outras, mas a peça que está faltando é que elas não conseguem obter informações sobre seus próprios corpos,” diz o fundador da Scanadu. “Colocando diagnósticos precisos ao alcance das mãos das pessoas, os leva a detectar uma condição precocemente.” 

Não sabemos quando essas inovações chegarão ao Brasil mas, quando chegarem, certamente mudarão a forma como as pessoas se cuidam e suas relações com seus médicos. 

Fonte: http://www.scanadu.com/