Pular para o conteúdo principal

Brasil - 30 milhões de fumantes


Segundo a Organização Mundial da Saúde, fumar é uma das principais causas de morte que poderia ser evitada. Infelizmente no Brasil, estima-se que cerca de 200 mil mortes por ano são decorrentes do tabagismo. Nós temos cerca de 30 milhões de fumantes, ao passo que no Planeta Terra encontramos 1,3 bilhões de pessoas que usam o tabaco.

Hoje, dia 16 de novembro, comemora-se o dia nacional do “Não Fumante”. Nesta data, é importante ressaltar as vantagens de ficarmos bem longe deste vício.

São mais de 50 doenças relacionadas ao consumo de cigarro. Entre elas estão: problemas cardíacos, câncer de pulmão, de boca e de faringe. Estatísticas revelam que os fumantes, comparados aos não fumantes, apresentam um maior risco de adoecer com câncer de pulmão, infarto, derrame cerebral, bronquite crônica e enfisema pulmonar.

Segundo uma pesquisa realizada em 20 países, o brasileiro é o que mais se arrepende de ter começado a fumar, com 91%. Entre os fumantes brasileiros do estudo internacional, 63% apóiam campanhas e leis contra o fumo e 82% relatam que o fumo já lhes causou algum problema de saúde.

Se você quiser parar de fumar, procure ajuda. Se o fumo está te trazendo problemas de saúde, procure ajuda. Veja aqui a lista de profissionais e estabelecimentos de saúde para ajudá-lo a abandonar o vício.

Comentários

  1. Olá, Renata. Sou cirurgião vascular e, junto com um grande amigo cardiologista, resolvemos criar um blog com uma linguagem simples e clara para nossos pacientes, dissertando sobre doenças comuns em nossas especialidades e assuntos relacionados. Desta forma, aceite este convite para conhecer nosso blog, www.cardiologiaecirurgiavascular.com. Gostaríamos de estabelecer parceria com vocês, cedendo espaço em nossa lista de parceiros, solicitando apenas o mesmo no seu blog! Obrigado e à disposição, Felipe - dr.felipescosta@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa