Pular para o conteúdo principal

O Futuro da Cirurgia Ocular?

Muitas pessoas têm um sentimento de nervoso relacionado a seus olhos, um dos nossos órgãos mais delicados que temos. Quem usa lente de contato sabe o sufoco que é colocar as lentes pela primeira vez. O simples ato de colocar o dedo no olho já o suficiente para deixar muitos ansiosos. Colocar colírio também não é tão fácil... Imagina então ter que fazer uma cirurgia oftalmológica onde os olhos dos pacientes são cortados e abertos?

Com isso em mente, pesquisadores do laboratório de robótica da ETH Zurique, criaram um micro-robô magneticamente guiado que é menor que alguns fios de cabelo. Ele pode ser inserido no olho e é controlado externamente pelo médico oftalmologista, sem cortes, de forma bem menos invasiva. Por ser tão pequeno, ele é posicionado através de uma fina agulha, causando bem menos inquietude e nervoso no paciente.

O Dr Guilherme Quinto, oftalmologista de Porto Alegre, RS, lembra: "Sempre que uma nova pesquisa surge, devemos avaliar com cuidado a sua possível utilização na prática médica. Se está em estudo, precisa no mínimos mais alguns anos para ser liberado o uso em pacientes. Após isso, é interessante avaliar se existe algum tipo de complicação a longo prazo com este tipo de procedimento. Não ficou claro no estudo qual seria a exata utilização do procedimento."

É claro que a ideia de se colocar um micro-robô com o auxílio de uma agulha é ainda um pouco inquietante, parece algo tirado de Matrix ou de alguma outra história de ficção científica. Mas a verdade é que, em testes com animais, o robô e seu controle se mostraram extremamente precisos, permitindo que até as cirurgias mais delicadas fossem feitas com maestria. Esse tipo de cirurgia menos invasiva viabiliza uma recuperação mais rápida do paciente e reduz o risco de complicações.

Parece tudo muito bom, mas a Dra Rose Mary Santim, oftalmologista de Manaus, AM, alerta para um fato importante: tecnologias assim implicam em custos... "A cirurgia oftalmológica é única, pois o cirurgião tem visualização direta e não invasiva das estruturas intra-oculares através da córnea transparente, associada a técnicas microscópicas, micro-incisões com instrumentação minimamente invasiva.  Como a cirurgia oftalmológica requer manipulação precisa dos instrumentais, esta modalidade pode melhorar o nível de precisão destas cirurgias. Embora  entusiasta de novas tecnologias, creio que a maior vantagem das cirurgias robóticas (acesso visual direto e manipulação micro-cirúrgica através de pequenas incisões) não é tão relevante para a cirurgia que já é praticada hoje com excelentes resultados, haja vista os custos implicados nesta tecnologia."

O Dr Daniel Wasilewski, oftalmologista de Curitiba, PR, ressalta a importância do que hoje já é avançado no campo da cirurgia ocular: "Atualmente, a cirurgia oftalmológica é uma das que envolvem maior nível de complexidade tecnológica na medicina. Isso traz segurança e precisão, já que estamos lidando com um órgão extremamente delicado. Porém, independente do nível de tecnologia envolvido em uma cirurgia ocular, por trás de toda máquina, deverá existir o bom senso, a ética, o conhecimento, a responsabilidade e a destreza do médico cirurgião.
Saindo um pouco do campo da imaginação e futuro remoto (como os robôs na oftalmologia), informo que a cirurgia ocular com maior nível de tecnologia já estará à disposição dos pacientes em várias cidades do país ainda este ano de 2013 para o tratamento da catarata. Com o uso do Femtosecond laser, a cirurgia de catarata com implante de lente intra-ocular ficará mais segura, reprodutível e eficaz. Com certeza esse é o maior avanço tecnológico na área da oftalmologia e que realmente poderemos fazer uso e termos real benefício."


O que acham dessa técnica? Lembrem de visitar um oftalmologista regularmente, para cuidar da saúde de seus olhos!




Fonte: Gizmodo


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa