Pular para o conteúdo principal

Câncer de Próstata

O que é o câncer de próstata?

É uma doença que só ocorre nos homens, consiste no desenvolvimento de um tumor na próstata, que é uma glândula do sistema reprodutor masculino. Quando o câncer ocorre, a próstata sofre uma mutação e passa produzir células de forma descontrolada. Essas células se espalham (metástase) para outras partes do corpo, principalmente os ossos e linfonodos. O paciente com câncer pode sentir dor, dificuldade ao urinar, dificuldade na ereção entre outros.

O câncer de próstata atinge principalmente homens acima dos 50 anos, e é o segundo tipo da doença mais comum entre os homens no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Se considerarmos os casos de todos os tipos de câncer em todo o mundo, o câncer de próstata é o sexto em número de ocorrências. Nos países desenvolvidos, o índice de ocorrências é 6 vezes maior que nos países em desenvolvimento.

Pode ser considerado uma doença da terceira idade, pois aproximadamente  75% dos casos em todo o mundo ocorrem após os 65 anos. No Brasil, o aumento no número de casos pode ser explicado pelo aumento na expectativa de vida do brasileiro, melhoria nos métodos diagnósticos e campanhas de informação e conscientização sobre a doença.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

Quando em sua forma inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas.
 No entanto, aos poucos, o paciente passa a apresentar:

•urinar em maior número de vezes durante a noite,
•dificuldade em iniciar e manter um jato contínuo de urina,
•apresenta traços de sangue na urina e
•sente dor durante o ato. 

Também pode interferir na função sexual, causando

•dificuldade em ter ereção ou
•dor durante a ejaculação.

Quando em estágio avançado, conforme a doença se espalha pelo corpo, podem surgir outros sintomas.

Dor nos ossos, principalmente nas vértebras, costelas ou região pélvica são os mais comuns quando o câncer chega nesses ossos.
Se chegar até a coluna, pode pressionar a medula espinhal, fazendo com que o paciente sinta fraqueza nos membros inferiores, incontinência urinária e fecal.

Como é feito o diagnóstico?

Quando existe a suspeita de câncer, é feito uma biópsia da próstata. Durante o procedimento, o médico urologista irá recolher amostras do tecido da próstata através do reto. Com um instrumento específico, agulhas especiais recolhem rapidamente as amostras. É um procedimento rotineiro, que não requer hospitalização.
Uma etapa muito importante no diagnóstico do câncer de próstata, quando instalado, é determinado em qual estágio a doença se encontra. Isso ajudará a definir o tratamento a ser adotado.

 O método mais usado é o sistema de 4 estágios, conhecido como sistema TNM (Tumor/linfoNodo/Metástases).

 Verifica-se:

1.o tamanho do tumor,
2.número de linfonodos existentes e
3.se ocorre a presença de alguma metástase.

Pelo sistema TNM, o câncer dos tipos T1 e T2 estão somente na próstata.
 Os tipos T3 e T4 já se espalharam pelo corpo. Para identificar evidências de metástase, o medico poderá usar exames como tomografia computadorizada, cintilografia ou ressonância magnética.
O patologista, ao analisar as amostras da próstata, irá procurar por indícios de câncer, e se encontrado, irá avaliar o grau do tumor. Essa graduação indica em qual velocidade o tumor se desenvolve.

Quais os tratamentos que existem?

O tratamento a ser adotado vai depender do estágio da doença. Pode se usar cirurgia ou radioterapia.
A remoção cirúrgica da próstata é comumente usada desde estágios iniciais da doença  até para casos em que não houve resposta à radioterapia.
Pode se usar também a terapia hormonal, que usa medicamentos ou cirurgia para bloquear a chegada do hormônio produzido na próstata, impedindo que chegue até as células do câncer de próstata. Esse hormônio é o que faz o câncer crescer e se espalhar pelo corpo. Ao bloquear esse hormônio, o câncer para de crescer ou pode até diminuir, entretanto não promove a cura da doença.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.



DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa