Pular para o conteúdo principal

A Papel da Fisioterapia no Câncer de Mama

O câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres, devido à sua alta freqüência e sobretudo pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a percepção da sexualidade e a própria imagem pessoal. Ele é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente.

No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres. Os sintomas do câncer de mama palpável são o nódulo ou tumor no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila.


Quanto ao tratamento, na maioria dos casos, é preciso fazer uma cirurgia para remoção do tumor, parte da mama ou a mama inteira, além de um ou mais linfonodos da região axilar. O tamanho e o tipo do tumor definem a técnica cirúrgica adotada,assim como o tratamento complementar,que pode ser radioterapia ou quimioterapia. Em qualquer conduta adotada, além de toda a carga emocional, as pacientes sofrem alterações físicas como dores, edema, limitação de movimentos do braço, alterações posturais, retração de pele e de cicatriz.

O que as pacientes de câncer de mama podem fazer para aliviar o desconforto?

Limitações e desconforto são processos normais após as cirurgias de câncer de mama. Para poder voltar a sua rotina de atividades domésticas, sociais e profissionais no menor tempo possível, é recomendado que pacientes sejam avaliadas e tratadas por um fisioterapeuta especializado.

A intervenção precoce da fisioterapia permite que a recuperação ou reabilitação física da paciente seja rápida e muitas vezes completa. Já nos primeiros dias após a cirurgia a paciente deve ser orientada a realizar pequenos movimentos com os braços, tronco, cabeça e pescoço, além de exercícios respiratórios e relaxamento.

Cuidados profiláticos com a pele e com a cicatriz é outro papel da fisioterapia oncológica. Estes cuidados em conjunto com a auto-massagem, estimulam a circulação linfática que foi alterada com a remoção de linfonodos na região operada.

É importante enfatizar que a fisioterapia promove a diminuição da dor, do desconforto e a recuperação dos movimentos. É também possível prevenir possíveis complicações com a cicatrização, nas aderências da pele, a rigidez tardia da articulação do ombro e também as dificuldades de circulação com seu conseqüente edema crônico, o linfedema.

Este texto foi escrito pela fisioterapeuta Regina Helena Cruz.

Se você é profissional de saúde e gostaria de colaborar com o nosso blog envie um email para atendimento@helpsaude.com

Comentários

  1. Olá , vai ter um evento em Campinas – SP, sobre o câncer de mama, vc poderia publicar no seu blog? Desde já agradeço!

    Women’s Fair – Lifestyle & Store
    Data e horário: 02/04, das 14h às 20h
    Local: Vert Eventos – R. Frei Salomão, 231 - Sousas
    Pontos de Vendas: Ventura Mall, AMZ Relações Públicas
    Parte da venda será revertida ao Hospital da Mulher – CAISM/Unicamp
    valor ingresso
    *R$15,00

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa