Pular para o conteúdo principal

Guia Help Saúde > Infantojuvenil > Guia do bebê - Hora do banho

Chegou a hora do banho! Esse momento tão gostoso pode se tornar estressante para os pais de primeira viagem, principalmente se tratando de recém-nascidos. Essa insegurança é algo compreensível, pois é uma experiência completamente nova e diferente que exige certas habilidades. Mas seguindo as dicas do Guia Help Saúde, com certeza esses medos irão ir embora e a hora do banho será a parte mais divertida do dia.



Dicas do Help Saúde para um banho tranqüilo com o seu bebê:

-Escolha um ambiente tranqüilo e sem correntes de ar para montar a banheira. O ideal é que seja no próprio quarto do bebê. Escolha um horário que tenha uma temperatura mais elevada como das 11h até as 15h.A banheira deve ficar na altura da cintura da mãe e a água não deve ultrapassar 15 cm de altura.

-Uma dica interessante também é dar banho antes da mamada para evitar que o bebê regurgite.

-Prepare o trocador que deve ficar perto da banheira. O trocador deve ser forrado com a toalha para enxugar o bebê logo em seguida do banho, xampu e sabonete neutros (ou aqueles feitos especialmente para bebês, pois não ardem os olhos), a fralda (separe duas para o caso de imprevistos) e as roupinhas que serão usadas (por ordem de colocação).

-Prepare também uma cestinha ao lado do trocador com os produtos mais usados: algodão, pomada contra assaduras, óleos perfumados, escovinha de cabelo.

-Antes de dar banho cheque se a água está quente ou fria demais usando o cotovelo ou pulso. Se preferir use um termômetro que deve acusar 36 °. Comece o banho com a criança ainda vestida usando um chumaço de algodão molhado em água morna e limpando o rostinho, olhinhos (do canto externo ou interno) e nariz. E depois seque delicadamente.

-Na hora de lavar a cabeça sustente o corpo do seu filho com o braço, segurando a nuca com uma das mãos. Chegue perto da banheira e com a outra mão molhe os cabelos dele devagar. Em seguida passe o xampu, massageia e enxágüe.

-No trocador seque os fios delicadamente e atrás das orelhas. Agora com o bebê sem roupa limpe suas partes íntimas com um chumaço de algodão molhado com água morna e sabonete depois descarte.

Agora que já foram limpas as partes que ficam mais sujas, chegou a hora que o bebê mais gosta: entrar na banheira. Leve seu filho até a banheira e mergulhe o seu corpinho até a água alcançar a altura da barriga. Segure-o com firmeza apoiando as costas dele no seu braço e se o bebê chorar o distraia cantando músicas tranqüilas ou deixando que ele aperte seu dedo. Comece limpando a parte da frente: barriguinha, bracinhos e perninhas. O corpo todo precisa ser lavado: do pescoço até os dedos do pé. Como os bebês mantêm as mãos fechadas, você deve abri-las para lavá-las.

Terminada a parte da frente, chega a hora mais temida pelos pais: a hora de lavar as costas. É um momento mais tenso por muitos pais terem medo de um acidente como deixar o filho escorregar ou se afogar. Um dica é apoiar o bebê no seu antebraço, deixando ele bem erguido sem riscos de acidentes e jogar a água por suas costas. Limpe com sabonete depois enxágüe bem.

Tire o bebê do banho, direto para a toalha e seque todas as parte do seu corpo com cuidado pois a pele do bebê ainda é muito sensível.

Não se esqueça de secar bem as dobrinhas para evitar as assaduras e para finalizar passe um creme hidratante (exclusivo para a pele do bebê) e faça massagens.

Links relacionados: Dicas para amamentação

Cuidados com a mama durante a amamentação

Cólicas

Procure por um obstetra em qualquer lugar do Brasil no Help Saúde.


Fonte: Editoria Help Saúde.

Comentários

  1. compre desse site http://www.mercadozets.com.br/ e gostei o site entrega rapido e com nota fiscal e garantia

    tem berço eletronicos celulares tv notebook computador acessorios para carros brinquedos artigos infantis e muito mais

    tem mais de 2000 produtos
    ... ...
    http://www.mercadozets.com.br/

    acessorios no link abaixo

    http://www.mercadozets.com.br/ListaProdutos.asp?idCategoria=110

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa