Pular para o conteúdo principal

Dia da Conscientização Sobre a Necessidade de Vacina contra HIV/AIDS


Todos já ouviram falar de quanto é letal o vírus da AIDS. A preocupação é geral. Governos e laboratórios privados investem montes de dinheiro com o objetivo de prevenir a doença. Mais de 25 milhões de pessoas já morreram desde a primeira aparição do vírus em 1981, na África, e isso é um dado alarmante para a saúde pública. A necessidade da busca por um soro que promova a imunidade desse vírus ainda é muito importante, embora um portador da AIDS possa levar uma vida praticamente normal com os tratamentos já existentes.

Para ressaltar a importância dessa luta, o dia 18 de Maio foi escolhido para representar anualmente, os progressos e resultados no combate à AIDS. O conceito para esse dia surgiu no dia 18 de maio de 1997, durante um discurso do ex-presidente americano Bill Clinton. A cerimônia aconteceu na Morgan State University, nos Estados Unidos, e tinha como objetivo a conscientização de um desenvolvimento para solução contra o vírus da HIV. A data é tão importante quanto ao dia 1º de dezembro, Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, e revolucionou os métodos de combate à doença, estipulando metas mais rígidas para a criação e implementação de soluções.

Desde então, o resultado dessa motivação teve um avanço no combate a AIDS, e agora a maioria dos portadores podem levar uma vida mais tranquila.

Atualmente, a forma mais eficaz é evitar o contágio através de métodos preventivos, como: o uso de preservativos, a não reutilização de material hospitalar e maior higiene pessoal.

O uso de coquetéis medicinais ajudam no dia-a-dia do soropositivo, mas não acaba com o problema. Os remédios mantêm o HIV em níveis baixos, para que não haja reações internas nem externas a partir dele. Dessa forma, o contaminado fica a mercê desses coquetéis, pois precisam tomá-los todos os dias. Outro fator não positivo é o fato desses medicamentos causarem uma série de efeitos colaterais, o que prejudica de diversas formas a vida do usuário.

Porém, apesar desses dois fatores negativos, os remédios possibilitam uma rotina praticamente igual a de um não soropositivo, daí o sucesso desses produtos.

A campanha brasileira contra a AIDS é exemplo internacional e já foi considerada a mais eficiente por diversas vezes. O governo dá auxílio total aos soropositivos, bancando o tratamento de forma integral. A campanha também engloba ações educativas como a distribuição de preservativos, palestras em escolas e universidades, eventos e tudo o que possa repercutir positivamente no público jovem. A AIDS é totalmente controlada no país e não há riscos de uma epidemia. Contudo, isso não significa que não haja a necessidade de continuar na busca por uma vacina que imunize a todos contra a HIV. Está aí a razão principal do 18 de maio, a estipulação de metas para combater este mal.


Fonte: 
Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER:

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do