Pular para o conteúdo principal

Tabagismo e Gestação


A gestação é um momento muito especial para a mulher. Planos, desejos e sonhos já vão sendo criados para o pequeno ser que virá ao mundo.

Inseguranças e questionamentos também surgem:
‘Será que o parto ocorrerá tranquilo?’,
‘Será que vai nascer com saúde?’,
‘Como será seu rostinho?’.

Enfim, toda mãe se preocupa com que o filho nasça bem e saudável. Estas e outras preocupações fazem da gestação o momento propício para repensar o hábito de fumar. Uma gestação sem cigarro traz benefícios em dobro, para a mãe e o bebê. Segundo pesquisas, as gestantes são o grupo da população que apresenta os melhores resultados e melhor relação custo-efetividade na cessação do tabagismo.

Benefícios para a mãe e o bebê

Hoje muitos sabem dos pontos negativos do uso de cigarro, porém poucos sabem que os benefícios de uma vida sem o cigarro são imensos.

1. Já nos primeiros 20 minutos sem fumar a frequência cardíaca se aproxima do normal,
2. Os níveis de monóxido de carbono voltam ao normal em 12 horas e
3. Em 5 dias a maior parte de nicotina já é eliminada pelo corpo.
4. No período de 2 semanas até 3 meses a circulação e a respiração melhoram, tornando a pessoa mais ativa e disposta.

Com a mãe livre do cigarro, aumentam as chances do bebê nascer com o peso normal. O pulmão da criança terá um desenvolvimento funcional sem alterações, reduzindo as chances de apresentar no futuro doenças respiratórias, como asma e bronquite, assim como reduz muito o risco de doenças cardíacas. Também o desenvolvimento neurológico, cognitivo e psico-motor serão mais saudáveis. Outro benefício para a mãe, é que ela perceberá uma melhora no paladar e no olfato. Também evitará passar nicotina pelo leite para criança durante a amamentação.

ATENÇÃO

Vale lembrar que pais fumantes ou outros que fumam e convivem no mesmo ambiente (casa e trabalho) que a gestante devem estar cientes dos riscos do tabagismo passivo, pois a fumaça do cigarro contém substâncias tóxicas que são absorvidas pela gestante e passam pelo sangue para o bebê.

Tratamento 

Algumas gestantes param de fumar espontaneamente assim que recebem a notícia da gravidez, motivadas a proteger o bebê. Entretanto, muitas permanecem fumando ou fracassam em suas tentativas de parar, por não se sentirem confiantes ou preparadas para isto. E há aquelas que aumentam o uso do cigarro, porque muitas vezes fumar reduz o estresse e, em algumas circunstâncias, a gestação pode ser um fator de estresse. Neste momento o aconselhamento e o suporte de um profissional de saúde especializado neste tratamento se tornam indispensáveis.

Sabe-se que intervenções no início da gestação com abordagens breves, claras e objetivas motivam a gestante a pensar sobre o hábito de fumar e são efetivas para o abandono do cigarro.

Há eficácia comprovada de uso medicações e TRN (terapia de reposição de nicotina) juntamente com tratamento psicoterápico na cessação do tabagismo. Nas gestantes, o uso de farmacoterapias deve ser avaliado pelo médico especializado caso a caso.

Atualmente, as abordagens psicoterápicas da Entrevista Motivacional e da Terapia Cognitivo Comportamental são as que demonstram maiores índices de sucesso no tratamento do tabagismo. O tratamento pode ser realizado em grupo ou individualmente, com tempo determinado e com o objetivo de fornecer informações e estratégias necessárias para lidar com os obstáculos encontrados pelas pessoas que querem parar de fumar.

Fortalecer a auto confiança e ajudar as gestantes em prol de uma vida sem cigarro, é a certeza de uma gravidez mais tranquila e  de um bebê com crescimento saudável.



Fonte: Dra. Alita Massafera, CRP: RJ29529, é Psicóloga cadastrada no HelpSaúde. Precisando de um psicólogo busque um perto de você em nosso site.


DISCLAIMER: Todo e qualquer conteúdo apresentado nas páginas do Blog do HelpSaúde tem caráter estritamente informativo e educacional, e de nenhuma maneira substitui as informações ou apreciações de especialistas das respectivas áreas de interesse aqui apresentadas. O conteúdo de posts escritos por prestadores de saúde cadastrados no HelpSaúde são de responsabilidade do autor, logo a HelpSaude Brazil SA, proprietária do Blog (blog.helpsaude.com) e do Site (www.helpsaude.com) se exime de qualquer encargo ou obrigação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER: