Pular para o conteúdo principal

Bulimia

DO CONTO DE FADAS AO PESADELO

A Princesa do Reino Unido, conhecida e popular em todo o mundo como "a Princesa dos Pobres”, Diana de Gales, falecida em 1997 em um acidente de carroem Paris, lutou contra um distúrbio alimentar e o admitiu publicamente, ementrevista à BBC, em 1992. Segundo ela, "Isso é como uma doença secreta." Diana sofria de BULIMIA desde 1981, ocasião em que se casou com o Príncipe Charles, filho da Rainha Elizabeth II e primeiro herdeiro da linha desucessão da Inglaterra.

Lady Di declarou publicamente a sua compulsão alimentar, dizendo ao mundo que sua estima sempre esteve baixa e ela não se sentia digna ou valiosa e, por isso, comia compulsivamente cerca de 5 vezes ao dia com o objetivo de alcançaruma situação de "conforto". Dia na achava-se gorda e pressionada pela posição que ocupava.

Com a declaração da Princesa, o Instituto de Psiquiatria Britânico registrou um aumento no número de pessoas que reportaram serem portadores da doença. O chamado "efeito Diana" chamou a atenção de todo o mundo para essasilenciosa e secreta doença. "O número de mulheres afetadas por desordens alimentares diminuiu por causa da Princesa Diana", afirmou a psiquiatra Janet Treasure, autora de livros sobre bulimia e distúrbios alimentares.

Na verdade, distúrbios alimentares afetam milhões de pessoas em todo o mundo. As pessoas que sofrem Bulimia se envergonham de seus problemas alimentares e procuram ocultar seus sintomas. Tratam-se de compulsões periódicas que ocorrem emsegredo ou, quando não é possível, recorrem à dissimulação ou planejamentoprévio.

E ENTÃO? O QUE É ABULIMIA?

É caracterizada por uma compulsão periódica que é definida pela ingestão, num período limitado de tempo, de uma quantidade de alimento definitivamente maior do que a maioria dospacientes consumiria em curto espaço de tempo. Sentindo-se culpado pelosataques de hiperfagia (comer muito), repugna-se com o inchaço do estômago eprocura formas para eliminar o excesso de alimento, tais como:
· Vômitos induzidos;
· Uso de laxantes;
· Jejum;
· Uso de diuréticos;
· Exercícios físicos em excesso.

A técnica compensatória mais utilizada para excluir o alimento ingerido é o vômito provocado, que é utilizado por 80 a 90% dospacientes. O vômito significa o alívio do desconforto físico em relação ao medode ganhar peso.

Para induzir o vômito, o paciente com bulimia introduz o dedo na garganta ou outros instrumentos que estimulam o reflexo do ato de vomitar (ex: escova de dentes). Geralmente os pacientes já tem suas formas de induzir o vômito e são capazes de provocá-lo a qualquer momento.

A COMPULSÃO PERIÓDICA

COMPULSÃOPERIÓDICA é um critério diagnóstico da BULIMIA. Estas compulsões persistem até que o doente se sinta repleto e desconfortável. O alimento consumido geralmente são os doces, sorvetes, bolos e um desejo intenso porcarboidratos.

Estas compulsões são provocadas não somente porfome ou sentimentos em relação ao peso (como se imagina), mas também porestados de humor caracterizado por ansiedade, depressão, estresse, inquietude,estados de disforia.
Interessante reassaltar essa característica dadoença que é desencadeada por sentimentos e não pelo “desejo intenso deemagrecer”, pois após a disforia, ocorre a falta de controle, a compulsão e aingestão, seguidas imediatamente de autocríticas e o humor deprimido que levamà necessidade de expelir o alimento de alguma forma.

CAUSAS

Teoricamente pouco se conhece sobre as causas da Bulimia. Aspectos socioculturais, psicológicos, familiares, neuroquímicos e genéticos podem estarenvolvidos na doença.

Um forte desencadeante é o desejo de atingir a magreza: um corpo magro quesignifica poder, beleza etc. Declararam sofrer de bulimia para atingir o corpoperfeito a atriz, modelo e cantora Lindsey Lohan e a cantora Britney Spears (que diz sofrer de bulimia desde os 16 anos).

A maioria das pessoas que sofrem de bulimia estão no seu peso normal. Estetranstorno alimentar ocorre, mas é incomum em pacientes obesos ou mórbidos. Eventos estressantes relacionados à sexualidade e formação da identidade são apontados como fatores desencadeantes da bulimia. Pesquisadores acreditam quealterações de diferentes neurotransmissores podem contribuir para o complexosintomático, e são esses os mesmos neurotransmissores envolvidos na depressãoemocional.

TIPOS DE DOENTES

Existem 2 tipos de pacientes com bulimia, especificados pela presença dosmétodos purgativos para "compensar" a compulsão periódica:

TIPO PURGATIVO - São os doentes que utilizam o método da indução aovômito, uso de laxantes, diuréticos ou enemas (que é introdução de água emedicamentos líquidos no organismo por via retal com a finalidade de fazer umalavagem intestinal) e

TIPO SEM PURGAÇÃO - Doentesque utilizam a abstinência (jejum) ou excesso de exercícios físicos.

SINTOMAS RELACIONADOS AO BULÍMICOS:

- depressão, baixa estima e insegurança;
- transtornos de humor como o Transtorno Distímicoe o Transtorno Depressivo Maior;
- ansiedade;
- medo de situações sociais;
- abuso ou dependência química;
- um ou mais transtornos de personalidade;
- anemiaprofunda;
- problemas cardíacos;
- queda dos dentes;
- amnorréia;
- problemas intestinais ou gástricos;
- substancial queda de potássio, sódio e cloreto noorganismo; ou
- uso de álcool ou outras drogas.

PERFIL DOS BULÍMICOS:

A partir de estudos epidemiológicos, concluiu-se que bulímico é, mais frequentemente, encontrado em países industrializado; é geralmente de etniabranca (o que não veta a ocorrência em outras etnias) e a proporção é de 9 mulheres para 1 homem com a doença. Geralmente, a bulimia começa no fim daadolescência ou no início da idade adulta, com picos entre 14 e 17 anos, após 1 espisódio de dieta.

O surgimento da doença também é associado aos acontecimentos emocionaisestressantes como o casamento, sair da casa dos pais, separações (incluindo asconjugais) e o início dos sintomas vão dos últimos anos da adolescência até os 40 anos com idade média de início por volta dos 20 anos. Coincide com o relato da Princesa Diana, cuja doença começou a ocorrer entre 19 e 20 anos.

A EVOLUÇÃO DA BULIMIA é variável. Há pacientes que se recuperam após 1 episódio isolado, outros, convivem com a doença de forma crônica por muitosanos. Existem evidências que os níveis de serotonina no organismo influenciam ocomportamento alimentar e taxa de mortalidade da Bulimia é de 1% dos pacientese as causas são geralmente inanição ou suicídio.

BULIMIA É UMA DOENÇA QUE PODE LEVAR AO SUICÍDIO

Ao perceber um parente com baixa estima, perfeccionismo, comportamentosimpulsivos, problemas para controlar o humor ou expressar a raiva e,principalmente, com episódios de compulsão alimentar, PRESTE MUITA ATENÇÃO! Os bulímicos possuem a tendência de nãoprocurar ajuda médica e não aceitam a idéia de estarem doentes.

ATENÇÃO

BULIMIA é uma doença de SAÚDE MENTAL e deve ser avaliada por um PSIQUIATRA,pois somente o médico especialista pode dizer qual o tratamento e medicamentosadequados, como também quais os demais profissionais de saúde devem acompanharo paciente. Sim, este é um transtorno que tem melhor prognóstico quandoabordado de forma multidisciplinar.




Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa