Pular para o conteúdo principal

Dia Mundial de Combate à Tuberculose

No dia 24 de março, o Ministério da Saúde instituiu a data como Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Através da Portaria nº 2.181/2001, é também realizada a Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose, na semana que inclui o dia 24 de março, com as atividades específicas desenvolvidas a partir da segunda-feira. Este ano, a Semana começou no domingo, dia 18 de março e terminou exatamente no sábado, dia 24, no Dia Mundial do Combate à Tuberculose.

A Tuberculose na História

Por conta de seus variados sintomas, a tuberculose não era identificada como uma única doença até a segunda década do século XIX, e não era chamada de tuberculose: chamada de "peste cinzenta", tísica pulmonar ou "doença do peito" - é uma das doenças infecciosas documentadas desde mais longa data e que continua a afligir a humanidade nos dias atuais.

É causada pelo Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como Bacilo de Koch. Estima-se que a bactéria causadora tenha evoluído há 40.000 anos, a partir de outras bactérias do gênero Mycobacterium.
Algumas formas da doença provavelmente eram conhecidas deste a Grécia antiga, talvez antes, considerando-se que a doença se originou a partir do primeiro gado domesticado (no qual também originou a varíola humana).

O bacilo causador da doença, Mycobacterium tuberculosis foi descrito em 24 de março de 1882 por Robert Koch. Ele recebeu em 1905 o Premio Nobel de medicina por sua descoberta. Koch não acreditava que as tuberculoses de naturezas bovina e humana fossem similares, o que impediu o reconhecimento do leite infectado como fonte da doença. Mais tarde, esta fonte foi eliminada graças à pasteurização.

Condições Sócio-Econômicas Inadequadas São as Principais Causas da Doença

A ocorrência da tuberculose é associada à forma como se organizam os processos de produção e de reprodução social, assim como à implementação de políticas de controle da doença. Os processos de produção e reprodução estão diretamente relacionados ao modo de viver e trabalhar do indivíduo, as condições socioeconômicas, como aglomeração de pessoas e moradias inadequadas e mal-ventiladas porque sua transmissão é feita de pessoa a pessoa.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisologia ocorrem 100 mil novos casos por ano no Brasil, o que o classifica no 6º lugar no ranking dos países com casos de tuberculose.
A ONU (Organização das Nações Unidas) advertiu que Brasil e em outros 21 países em desenvolvimento, a tuberculose é problema de saúde pública. Nesses países encontram-se 80% dos casos mundiais da doença. Segundo estimativas, cerca de um terço da população mundial está infectada com o Mycobacterium tuberculosis, com o risco de desenvolver a enfermidade.

Todos os anos são registrados por volta de 9 milhões de novos casos e quase 2 milhões de mortes. Pessoas idosas, minorias étnicas e imigrantes estrangeiros são os mais atingidos nos países desenvolvidos. Nos países em desenvolvimento, o predomínio é da população economicamente ativa (de 15 a 54 anos) e os homens adoecem duas vezes mais do que as mulheres.

No Brasil, estima-se que mais de 63 milhões de pessoas estão infectadas pelo bacilo da tuberculose. Por ano são notificados aproximadamente 71 mil casos novos e de 4,6 mil mortes em decorrência da doença.
Com o surgimento AIDS , em 1981, observa-se, tanto em países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento, um crescente número de casos notificados de tuberculose em pessoas infectadas pelo HIV. A associação dessas duas enfermidades constitui um sério problema de saúde pública, podendo levar ao aumento da mortalidade pela tuberculose em muitos países.

Na véspera do Dia Mundial da Tuberculose, a ONU apelou para os líderes mundiais que redobrem os esforços para diagnosticar e tratar a doença. Muitos países fizeram progressos, mas é preciso muito mais esforços.

O Homem é o Principal Transmissor

Em algumas regiões, o gado infectado pode também ser fonte de infecção. A fonte de infecção é o indivíduo com a forma pulmonar da doença, que elimina bacilos para o exterior. Estima-se que a pessoa que apresenta esse quadro pode infectar de 10 a 15 pessoas da sua comunidade num período de um ano.

A transmissão realizada de forma é direta, de pessoa a pessoa, principalmente através do ar, principalmente falando , espirrando e tossindo, o doente de tuberculose pulmonar lança no ar gotículas, contendo o bacilo, das quais as leves podem ficar suspensas no ar por diversas horas. Somente os núcleos secos das gotículas (Núcleo de Wells), com diâmetro de até 5µ e com 1 a 2 bacilos em suspensão, podem atingir os bronquíolos e alvéolos e aí iniciar a multiplicação.

Sintomas

•Febre;
•Calafrios;
•Suores noturnos;
•Perda de apetite e peso; e
•Cansaço.

Deve-se suspeitar de tuberculose quando uma doença respiratória persistente não estiver respondendo aos antibióticos regulares.

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser realizado através dos seguintes métodos:

-bacterioscópico;
-radiológico;
-prova tuberculínica;
-anátomo-patológico ;
-sorológico (não sendo, ainda, método aceito universalmente);
-bioquímico e de biologia molecular.

Baciloscopia

A baciloscopia é um exame realizado com o escarro do paciente suspeito de ser vítima de tuberculose, colhido em um potinho estéril. O exame deve ser feito pela manhã, com o paciente ainda em jejum e com boa higienização oral. É importante orientar o paciente a não cuspir, mas sim escarrar. Esse exame é feito gratuitamente através do SUS e pode ser solicitado por enfermeiros e médicos.

Radiografia do tórax

A tuberculose cria cavidades visíveis em radiografias, que é um método muito eficaz e usual para o diagnóstico precoce.

O Tratamento

A doença é curável em praticamente 100% dos casos novos, sensíveis aos medicamentos desde que tomados na posologia receitada pelo especialista.
A associação dos medicamentos adequados assegura a cura do paciente.

A tuberculose pulmonar é a forma mais frequente e generalizada da doença. Porém, o bacilo da tuberculose pode afetar também outras áreas do nosso organismo, como por exemplo:

-laringe;
-ossos e as articulações;
-a pele (lúpus vulgar);
-os intestinos;
-os rins; e
-o sistema nervoso.

MDR-TB

A tuberculose Multi-Drug-Resistant não responde aos medicamentos usados no tratamento convencional da doença e, se não for controlada a tempo, aumenta o risco de propagação, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) e o Fundo Global de Luta contra AIDS, Tuberculose e Malária.

HIV

Sério agravante foi a epidemia de AIDS pelo mundo, que permite aumenta em muitas vezes as chances de desenvolvimento de sérias complicações da tuberculose que foi a principal responsável pela morte de pessoas com AIDS no mundo nas últimas décadas com tratamentos cada vez mais eficazes para doenças imunes, o número de casos no mundo vêm caindo consideravelmente em todos os continentes.
O Brasil é, segundo dados de 2010 do Ministério da Saúde, o 19º país com maior número de casos da doença. Cerca de 73% dos novos casos são curados, 12% a menos do preconizado pela OMS.

SUSPEITAS? TOSSE CONTÍNUA? PROCURE UM MÉDICO

Em caso de suspeita, busque ajuda médica. Um Clínico Geral pode encaminhá-lo a um Pneumologista e o diagnóstico ser feito precocemente. Assim, o paciente infectado logo deixa de transmitir a doença. O tratamento, feito com antibióticos deve ser seguido à risca durante seis meses.


No Brasil, o tratamento da tuberculose é fornecido pelo Governo gratuitamente.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa