Pular para o conteúdo principal

Dia Mundial do Rim

A Origem da Data

O Dia Mundial do Rim foi instituído em 2006 pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN). A data ficou definida como a segunda quinta-feira de março, que em 2012 caiu no dia 08/03.

O evento ocorre desde 2003 para chamar a atenção da população para as Doenças Renais Crônicas (DRC) que atingiram números epidêmicos na última década.

10% DA POPULAÇÃO POSSUI DISFUNÇÃO RENAL
Segundo cálculo da ISN, uma em cada dez pessoas tem algum grau de disfunção renal em todo o mundo. Para chamar a atenção para o problema 50 países participam de atividades ligadas ao evento. No Brasil diversos estados organizam palestras e seminários abertos ao público.

Estimativas revelam que cerca de 2 milhões de brasileiros são portadores de DRC e aproximadamente 60% não sabem disso.

No mundo, cerca de 1 milhão e meio de pessoas sobrevivem graças a terapia de substituição renal (diálise ou transplante renal). Alarmante é que esses dados devem dobrar nos próximos 10 anos, o que acarretará em um custo global previsto para os tratamentos renais acima US$ 1 trilhão. A situação é cada dia mais preocupante.

O QUE VOCÊ PODE FAZER PELA SAÚDE DOS SEUS RINS?

As doenças renais mortais geralmente são silenciosas. Existem algumas maneiras de reduzir o risco de desenvolver doenças renais:

- Manter-se em forma e em atividade reduz sua pressão e, consequentemente, o risco de desenvolver uma doença renal crônica. Caminhar, andar de bicicleta ou correr.

- Controle sua glicose. Aproximadamente metade dos diabéticos desenvolve danos renais e por isso é fundamental que os portadores de diabetes façam regularmente exames para testar as funções dos rins.
Danos renais por diabetes podem ser reduzidos ou evitados se detectados precocemente.

- Fique de olho na pressão sanguínea.
Embora muitas pessoas saibam que a pressão alta pode causar Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto, poucas sabem que ela também é a causa mais comum de dano renal.

- A pressão normal é 120/80. Acima deste valor, você é considerado pré-hipertenso. Com a pressão em 140/90 ou mais alta, você deve conversar sobre os riscos disto com o médico e monitorar a pressão regularmente. Pressão Alta é especialmente danosa ao rim quando associada a outros fatores como o diabete, colesterol alto e doenças cardiovasculares.

- Alimente-se saudavelmente e mantenha seu peso sob controle. Isso ajuda a evitar o diabetes, as doenças cardíacas e outras condições que possam associar-se a Doença Renal Crônica. Evite frituras, reduza a ingestão de massas e principalmente o sal.

- O SAL DEVE SER REDUZIDO - A ingestão de sal recomendada é de 5-6 gramas por dia (em torno de uma colher de chá) – considerando não somente o que é ingerido, não apenas o sal adicionado na comida. Para reduzir o sal, tente limitar a quantidade de alimentos industrializados. É mais fácil controlar o sal de você preparar alimentos com ingredientes frescos.

- Não fume. Fumar prejudica seriamente o fluxo de sangue para os rins e, quando isso ocorre prejudica o fluxo natural do sangue por todo o seu organismo. Quando há menor circulação de sangue nos rins, eles não conseguem funcionar de forma adequada. Fumar também aumenta em 50% o risco de câncer renal.

- Não tome remédios por conta própria. Remédios comuns como anti-inflamatórios também são danosos aos rins se usados de forma inadequada e sem prescrição médica. Usados eventualmente não causam dano se o seu rim for saudável, mas se você tem dor crônica, como artrite ou dor nas costas, veja com seu medico outras maneiras de controlar sua dor sem colocar seus rins em risco.

FATORES DE RISCO

- Diabetes
- Hipertensão (pressão alta)
- Obesidade
- Observar e indagar se algum parente possui doença renal


Se estivar no grupo de risco, peça seu médico para indicar ou procure um médico NEFROLOGISTA.

Nefrologia é a especialidade médica que se ocupa do diagnóstico e tratamento clínico das doenças do sistema urinário, em especial o RIM.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER: