quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Osteoporose: "O Ladrão Silencioso"

Muitas pessoas desconhecem a natureza fisiológica dos ossos, pensando tratar-se de elementos estáticos, meramente estruturais, comparando-os às pilastras e vigas de uma construção. Mas os ossos são órgãos muito ativos biologicamente e passam no dia a dia por um processo chamado de remodelação, pelo qual os ossos se renovam através da absorção de osso antigo e produção de osso novo. Este processo, que deve manter-se balanceado, pode em alguns casos tender ao desequilíbrio, com predomínio de uma destas ações.
Na osteoporose, doença muito mais comum que se pensa, há um predomínio da absorção óssea, sem formação de novo osso que compense isto, levando ao enfraquecimento destes órgãos e em última análise, a um risco maior de fraturas. Ela recebeu o apelido de “ladrão silencioso” por causa de seu modo de roubar a resistência dos ossos, geralmente sem dar nenhum sintoma, até já estar muito avançada ao ponto de ocorrerem as fraturas, como por exemplo, de fêmur ou das vértebras da coluna.
As duas principais medidas para se evitar a temidas fraturas são prevenir a osteoporose com hábitos saudáveis e fazer o mais precoce possível seu diagnóstico para iniciar o tratamento adequado. O diagnóstico deve ser feito pelo médico, com base na história do paciente e em exames complementares, como a densitometria óssea.
Determinados fatores de risco para o aparecimento desta doença são reversíveis e por isso podem ser abordados, levando a prevenção, outros infelizmente não o são. A idade avançada e a influência genética são exemplos de situações irreversíveis contra as quais não temos como lidar. A diminuição dos hormônios, como o estrogênio no caso das mulheres após a menopausa, pode ser tratada, embora esta não seja uma indicação para terapia de reposição hormonal devido aos riscos envolvidos. O baixo consumo de Cálcio, a deficiência de Vitamina D, o uso de certas medicações como os corticóides, o hábito de fumar, o consumo em excesso de álcool e o sedentarismo podem ser citados como os fatores mais frequentes, dentre os que podem ser modificados.
Ingerir pelo menos três porções diárias de leite e derivados (desnatado também vale) e legumes verdes como o brócolis, praticar exercícios regularmente, preferencialmente com um pouco de exposição ao sol, cessar o tabagismo e reduzir a quantidade de álcool são medidas que quase todos sabem que farão bem ao seu coração. Agora sabem que o farão também aos seus ossos!


Fonte: Gustavo Gomes Resende. CRM: MG 37796

Reumatologista cadastrado no Help Saúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário