Pular para o conteúdo principal

Sífilis

O que é sífilis?

Doença infecciosa que é causada por uma espiroqueta chamada Treponema pallidum. Não tratada ela evolui lentamente em 3 estágios, cujas características são lesões de pele e mucosas. A sífilis também é conhecida como lues (palavra latina que significa praga).

Outros nomes comuns são cancro duro, avariose, doença-do-mundo, entre outros.

Como se contrai a doença?


A sífilis é uma doença sexualmente transmissível. Pode também ser contraída pelo feto durante a gestação. Está é uma forma muita rara de contágio.

Os sintomas variam de acordo com cada estágio da doença.

A sífilis primária se manifesta após o período de incubação que pode variar de 10 a 90 dias, mas a média é de 21 dias após o contágio. A pessoa permanece sem apresentar indícios da doença, até surgir o “cancro duro”, que é uma pequena ferida ou úlcera rígida e firme, que ocorre no ponto que foi exposto ao treponema, geralmente pênis, vagina, reto ou a boca. No homem é fácil de identificar já que uma lesão no pênis é facilmente visualizada, enquanto na mulher a lesão pode ser interna. A lesão permanece por 4 a 6 semanas e some espontaneamente, levando a crer que esta curada.

Em seguida, ocorre a sífilis secundária, que é caracterizada por erupções cutâneas que surgem simultaneamente no tronco e membros, no período de 6 a 8 semanas (podendo chegar a 6 meses) após o desaparecimento da primeira lesão. Podem surgir placas nas mucosas genitais e orais. O doente é extremamente contagioso nessa fase. Ocorrem sintomas como mal estar, dor de cabeça, febre, prurido.

A fase terciária da doença acontece um ano depois da infecção inicial, mas pode demorar até 10 anos para ocorrer. É quando surgem gomas sifitílicas: tumorações amolecidas na pele e nas mucosas, podendo ocorrer em qualquer parte do corpo, até nos ossos.

Podem ocorrer complicações neurológicas incluindo paralisia geral progressiva, resultando em mudanças de personalidade, mudanças emocionais, entre outros.

Como podemos evitar?

A principal forma de prevenção da doença é o uso de camisinha, já que a principal forma de contágio é no ato sexual. Obviamente, recomenda-se que uma vez infectado, deve se iniciar o tratamento imediatamente e não ter relações sexuais durante este período.

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER:

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa