Pular para o conteúdo principal

Cuidados com a Pele

A pele é um órgão, você sabia? Você pode até já saber, mas será que se lembra?

Como a pele nos “veste”, nos reveste, tendemos a só lembrar dela quando algo está errado. Além de proteger-nos ela fala muito sobre quem somos. Revela, ou disfarça, a nossa idade, mas também sobre a nossa saúde em geral. Se está ressecada ou excessivamente brilhante, pode indicar problemas de tireóide. Se está amarelada, problemas hepáticos ou excesso de alimentos como mamão ou cenoura. Enfim, devemos estar atentos à suas mudanças, mas, principalmente, precisamos aprender e nos habituar a cuidar da pele com carinho.

No verão, os cuidados devem ser redobrados.

Precisamos manter uma rotina de cuidados e ainda nos lembrarmos no meio da diversão de tomar algumas precauções para evitar um problema imediato e também danos futuros.

O Banho de sol

O hábito de “tostar”, de ficar com a pele dourada é relativamente recente na história da humanidade. Não estava presente antes do século XX. Hoje, muitos não sabem viver sem dourar a pele. Simplesmente não se reconhecem. O tom dourado se tornou sinal de saúde e há quem o busque até artificialmente no inverno.

Alguns cuidados especiais no verão:

1. Hidrate-se. Beba bastante líquidos, não apenas quando estiver com sede, mas, sempre que se lembrar. Tenha como meta 10 copos ao dia;

2. Não dispense nunca o uso do filtro solar( mínimo 30). Ele deve ser renovado a cada hora ou mais segundo a embalagem do produto. Não esqueça de usá-lo mesmo para ir ao shopping ou para o trabalho. Proteja também os lábios e as orelhas, estas sempre esquecidas;

3. Álcool não hidrata! As bebidas alcoólicas, em especial a cerveja, preferida do verão brasileiro, são diuréticas, elas estimulam a vontade de urinar, por isso facilitam a desidratação;

4. Evite permanecer com roupas úmidas, seja por suor ou pela praia ou piscina. Este hábito de secar ao sol favorece o desenvolvimento de fungos na pele.

5. Use roupas leves. Evite tecidos sintéticos.

6. Visite seu dermatologista regularmente e procure fazer uma revisão da sua pele com o mesmo cuidado que você revisa seu carro antes de sair de férias.

Assim, a nossa pele o primeiro órgão que expomos a riscos e o último de que lembramos.

Cuidando bem da nossa pele, estamos sempre mais bem dispostos e seguros.

Aproveite suas férias! Aproveite os dias quentes de verão. Mas, não se esqueça, sua pele é seu cartão de visitas!

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

  1. Verão chegando e o cuidado com a pele realmente tem que ser redobrado...
    O Programa Opinião Brasil vez uma edição de cuidados com o verão. Você pode assistí-lo através do link http://www.leiaja.com/multimidia/2012/opiniao-brasil-62-cuidados-com-o-verao

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa