Pular para o conteúdo principal

Cuidados com a Alimentação no Verão

Nessa época do ano, os problemas mais comuns são a desidratação, diarréia e ganho de peso, todos causados principalmente pela falta de cuidados com a alimentação.

Deve-se ingerir pequenas quantidades de alimento, várias vezes ao dia, para manter-se constantemente alimentado.

O café da manhã deve ser considerado como a principal refeição do dia, e não pode ser descuidado. No almoço e jantar, procure refeições leves e de digestão fácil, para garantir uma melhor disposição ao longo do dia.

Gorduras ou massas com molhos pesados devem ser evitados. Procure consumir muitas frutas, em qualquer hora do dia, e beba bastante líquidos, principalmente água e sucos, que repõem as vitaminas e sais minerais necessários ao organismo.

Bebidas gaseificadas e alcoólicas devem ser evitadas, pois favorecem a desidratação e levam à eliminação de sais minerais pela urina, embora dêem a sensação de terem matado a sede.

O cuidado com o preparo e conservação dos alimentos também deve ser motivo de atenção, principalmente vegetais e carnes. Devem ser mantidos bem refrigerados e em potes adequados. Também o preparo deve ser feito com bastante atenção à higiene dos produtos, lavando corretamente antes do preparo. Sempre que possível, evite consumir alimentos preparados na rua ou em ambientes aonde você desconfie da higiene ou modo de preparo dos alimentos servidos.

A falta de higiene no manejo e preparo dos alimentos, ou na conservação, pode gerar focos de contaminação, provocando verminoses e gastrenterites em quem consumi-los, gerando quadros de diarréia de diferentes intensidades.

O consumo inadequado de líquidos, aliado à perda provocada pela transpiração excessiva por causa da alta temperatura pode gerar um quadro de desidratação, especialmente em crianças, que têm maior possibilidade de ter essa complicação.

A diarréia e o vômito causados pela ingestão de alimentos contaminados ou estragados também pode levar à desidratação.

Como se proteger?

O ideal é que sejam consumidos no mínimo três litros de líquidos por dia. Beba água ou sucos sempre que lembrar, e não somente quando sentir sede. Dê preferência à água, sucos naturais e bebidas isotônicas, e evite sucos industrializados, por sua alta concentração de açúcar e conservantes. Evite também as bebidas alcoólicas e gaseificadas (já explicado acima).

Coma á vontade frutas, legumes e verduras. São de fácil digestão, não provocam sensação de “barriga estufada” e não prejudicam sua disposição para as atividades, além de proporcionar hidratação e vitaminas necessárias ao organismo. Saladas também são recomendadas, e deve-se evitar o consumo de alimentos com maionese, que é muito suscetível à contaminação por bactérias.

Carnes devem ser consumidas grelhadas ou assadas, e sempre muito bem passadas, com pouca gordura. Evite alimentos e petiscos gordurosos.

Sanduíches naturais são muito práticos e saborosos, mas não devem substituir uma boa refeição. Procurem associá-los a sucos ou vitaminas e um bom prato de salada. Pronto: aí está uma boa refeição! Devem ser preparados na hora em que serão consumidos. Então, abuse dos coolers, mas siga as orientações da embalagem para que os alimentos não se deteriorem e coloquem em risco a diversão!

Alimentos com betacaroteno ajudam a conseguir um belo bronzeado. Devem começar a ser consumidos 15 dias antes da data desejada e mantidos por todo o verão. Cenoura, abóbora, damasco, laranja, mamão, manga e pêssego são excelentes fontes de betacaroteno.

Fonte: Editoria HelpSaúde.

Veja outros artigos relacionados ao verão:

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER: