Pular para o conteúdo principal

A Hidratação no Verão

Com os dias mais quentes de verão, é normal que a temperatura do corpo também suba, e com isso aumente a transpiração, que é a eliminação de suor pelo corpo.

Entretanto, junto com o suor ocorre sempre alguma perda de água e sais minerais, substâncias vitais para o organismo. Assim, faz-se necessário um maior consumo de líquidos, para compensar essa perda.

Além da transpiração, eliminamos líquidos por outros meios. Urina, fezes, respiração e transpiração fazem com que sejam eliminados aproximadamente 2,5 litros de água por dia, e para repor essa quantidade, são necessários o consumo de no mínimo 8 copos de água todos os dias.

A água não é a única fonte de hidratação para o corpo, mas alguns detalhes devem ser observados. O consumo de sucos de frutas também é uma ótima forma de se reidratar, pois por serem ricos em vitaminas e minerais. Porém, como contém também o açúcar natural das frutas, a frutose e muitos ainda adicionam açúcar ou adoçante pode favorecer o aumento de peso. Então, devem ser consumidos sim, mas com moderação. Escolha sempre frutas mais ricas em líquido como melões, abacaxi, melancia, limões. Estes são menos calóricos. Assim como a água de coco.

Chás também são uma boa alternativa de hidratação, com baixa quantidade de calorias quando consumido sem açúcar. No entanto, alguns são ricos em cafeína. A não ser que tenha sido orientado por um médico ou especialista, devemos restringir o consumo de chá para 3 xícaras por dia, cada tipo de chá. Alguns chás são diuréticos. Procure um nutricionista para melhores orientações. Assim, você pode coordenar seu paladar e suas necessidades.

A água hidrata o organismo, ajuda na limpeza e desintoxicação. Além de todas essas vantagens, não possui calorias, sendo o único líquido que apresenta essas características.

Frutas e legumes também são importantes aliados na hidratação, além de ajudar na nutrição do organismo. Saladas de frutas ou legumes podem ser consumidas sempre que possível.

Refrigerantes, bebidas alcoólicas ou artificiais devem ser evitadas, pois embora sejam líquidos, os agentes químicos presentes em sua composição não são saudáveis para o organismo. E o consumo de líquidos deve ser feito constantemente durante o dia, e não somente quando sentir sede. A sensação de sede na verdade é um sinal que o corpo envia quando já está ficando desidratado, portanto não espere a sede para beber água.

Nas crianças, os cuidados devem ser redobrados. Não espere que elas peçam e sim ofereça constantemente sucos e líquidos, para que elas estejam sempre hidratadas. Com o calor, aumentam também os casos de intoxicação alimentar e desidratação, devido à perda de líquido pelo vômito e diarréia. É importante que nesses casos, seja dado à criança soro fisiológico ou soro caseiro, para auxiliar na re-hidratação, e lembrando que soro caseiro não é remédio, o médico deve ser procurado imediatamente.

Se a criança apresentar sintomas como boca seca, choro sem lágrimas, sonolência e moleza, junto dos sintomas clássicos da diarréia, ela pode estar em quadro de desidratação, principalmente quando em bebês de até 3 meses, que por sua menor resistência são naturalmente mais vulneráveis. Consulte o pediatra ainda nos primeiros sintomas, ou se a diarréia não apresentar melhora nos sintomas após o terceiro dia.

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER: