Pular para o conteúdo principal

Dia Mundial da Saúde

Instituído pela ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, OMS, a partir de 1950, o dia surgiu dois anos após a criação desta mesma instituição. Deste então, à comemoração deste dia sempre se associa um tema de atenção em saúde que será o foco de inúmeras atividades da OMS em parceria com os Ministérios da Saúde dos países associados para todo o ano. Da mesma forma, em cada país há parcerias dos diversos setores e instâncias de saúde pública com instituições privadas e a sociedade para a promoção daquele aspecto de saúde foco da comemoração em cada ano.

Esta é uma data para a reflexão sobre o que é a saúde; o que significa, de fato, ser saudável: não se trata simplesmente da ausência de doença. Segundo a OMS, o significado de Saúde é bem mais amplo: significa garantir um bem estar mental, físico e social.

Mas, em especial, esta data estimula a atitude, tanto individual quanto coletiva para promover a saúde.

Estarão ocorrendo nesta data, ao redor do mundo, inúmeras atividades gratuitas, tanto pela iniciativa pública quanto privada, para a promoção de cuidados e medidas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Visando a prevenção e até erradicação de doenças, mas principalmente, enfatizando a necessidade de se adquirir hábitos mais saudáveis por toda a vida.

Uma vez que o tema escolhido para este ano é “O envelhecimento saudável e a saúde das pessoas idosas”, disse a Sra. Mirta Roses, Diretora da ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE SAÚDE, a OPAS: ...”Influem no envelhecimento saudável fatores desde o nascimento e que podem, inclusive influenciar a descendência. É por isso que é essencial se adquirir (individualmente e nas políticas públicas) novos conceitos e enfoques no direito, no desenvolvimento e no envelhecimento que norteiem a prática da Saúde Pública, da Medicina atual e para o futuro.”

Assim, entender a saúde como um bem, um patrimônio que nos acompanha por todas as fases da vida propiciará uma maior compreensão das necessidades do ser humano para seja mais fácil viver bem após os 65 anos. Não basta oferecer cuidados e benefícios sociais a partir do momento em que o indivíduo atinge esta faixa etária. É necessário que as iniciativas de promoção de saúde comecem desde antes de seu nascimento, no cuidado com os pais e com o pré-natal e o parto. A seguir, os cuidados devem se manter na infância, no cuidado durante a vida escolar.

Assim, também ficou estabelecido na assembleia da OPAS em 04 de abril que este ano se cuide da alimentação das crianças. No Brasil, o Ministério da Saúde, em parceria com as escolas particulares do país, pretende promover a melhoria das condições nutricionais nas cantinas escolares e estimular hábitos alimentares mais saudáveis a fim de reduzir a obesidade infanto-juvenil.

Os cuidados de saúde devem ainda se estender pela vida adulta, vida sexual ativa e vida laborativa incluídas. Por isso, em diversas cidades do país, as Prefeituras em parceria com entidades privadas estarão promovendo atividades de esclarecimento quanto a Saúde da Mulher, prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis e sobre uso de álcool, cigarros e drogas ilícitas.

Afinal, há mais idosos hoje do que há 30 ou 40 anos atrás. Já é possível se chegar aos 70 anos, por exemplo, saudável, produtivo e plenamente integrado à vida familiar e da comunidade.

Procure saber quais as atividades estão sendo promovidas em sua cidade.

Especialidades relacionadas com o tema podem ser encontradas no site do HelpSaúde: Clínico geral, Geriatra, Ginecologista, Obstetra e Pediatra.


Fonte: Editoria HelpSaúde.

Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER:

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do