segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Experiência com toxina botulínica para fins neurológicos

A toxina botulínica (ou BxT) é uma substância utilizada no tratamento não somente de problemas de estética, como rugas e marcas de expressão, mas constitui-se instrumento importante no tratamento de várias desordens neurológicas, como distonias e contrações causadas por derrames (espaticidade).

Distonia é uma contração muscular involuntária. Ocorre sempre de forma padronizada, e podem apresentar-se como contrações mantidas de um membro, do pescoço ou dos músculos do rosto, ou abalos musculares sempre padronizados. A dor pode ser um acompanhante constante em alguns pacientes, e pode ser mais incapacitante que o movimento involuntário.

Espasticidade é a postura anormal, fixa, que um membro admite após um derrame cerebral ou lesão da medula espinhal.

As distonias podem acometer vários locais do corpo, como a região dos olhos (blefaroespasmo), a boca (distonia oro-lingual), a musculatura mastigatória (distonia oro-mandibular), o pescoço (distonia cervical), os membros ou mesmo o tronco.

Já a espasticidade geralmente afeta braços e/ou pernas.

Além destas duas enfermidades, a BxT também serve para:

1. Salivação excessiva, especialmente em pacientes acamados, imobilizados ou com doenças degenerativas crônicas
2. Sudorese excessiva
3. Bruxismo - o ato de apertar os dentes à noite, que pode levar a dor e perda dentária
4. Espasmo da face após paralisia facial ou não

Outras doenças, como bexiga neurogênica, também podem ser tratadas.

Fonte: Flávio Sekeff Sallem. CRM: SP 96498

Neurologista cadastrado no Help Saúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário