Pular para o conteúdo principal

Saúde da sua Casa - Cozinha

COZINHA

No dia a dia corrido, nem sempre temos tempo para cuidar da prevenção de problemas de saúde ou doenças. Assim, criamos para você um programa simples para garantir higiene, qualidade e bem estar em sua casa de forma barata e de fácil manutenção. Desta forma, esperamos que as famílias possam evitar vários tipos de problemas que começam em casa e que saibam a quem recorrer em caso de problemas.

LIMPEZA

O que é detergente e para que serve?

Detergente vem do latim detergere, que significa limpar. Existem diversos tipos de detergente, mas o mais comum é o sabão detergente, utilizado na cozinha para lavagem de louças, talheres e utensílios de cozinha, pois ele dissolve a gordura, facilitando a remoção e limpeza.

O que é sabão de côco e para que serve?

O sabão de côco pode ser usado como alvejante e amaciante de roupas.

O que é desinfetante? Cloro? Para que servem?

São substâncias capazes de eliminar microorganismos, como bactérias. Em casa, são utilizados para limpeza e higienização de ambientes. O cloro é utilizado principalmente para purificação da água e na limpeza de roupas.

Como higienizar panos de prato?

Lavar separados os panos usados para secar pratos, e os panos usados para secar as mãos. Lavar com sabão em pó e água sanitária. Pode ser usado algum desinfetante, para que os panos não fiquem com cheiro.

Como higienizar uma esponja de louça e quando trocar?

As esponjas devem ser trocadas no máximo a cada 15 dias. Para higienizar, lave-as com detergente anti-bactericida, e enxágüe bem em água corrente. Outra opção é deixar a esponja de molho por alguns minutos em uma solução contendo 1 colher de chá de água sanitária para cada 1l de água. Se tiver microondas, coloque a esponja em um prato com água, e deixe a no microondas por 2 minutos.

Como higienizar panos de chão e por quanto tempo duram?

Os panos devem ser trocados quando estiverem muito desgastados ou soltando fiapos. E o pano de chão não precisa necessariamente estar branco para estar limpo. Quinze a vinte minutos de molho em água sanitária diluída na água é suficiente para higienizá-lo. Desinfetante pode ser usado. Em seguida, lave normalmente com sabão em pó. O excesso de água sanitária destrói as fibras do tecido, fazendo com que ele rasgue prematuramente ou solte fiapos.

Como higienizar alimentos frescos:

A – Verduras, legumes e frutas:
Lave as frutas e vegetais, individualmente, enxaguando bastante, e removendo as impurezas e partes estragadas. Em seguida, coloque todos os itens em um recipiente limpo e contendo uma solução com 1 colher de sopa de água sanitária para cada 1l de água. Retire após 10minutos, seque-os e deixe na geladeira, acondicionados par apronto uso em gavetas ou caixas fechadas.
B – Carnes, frango e peixe:
Se a carne(bovina, suína ou de aves) ainda estiver em pedaços, com gorduras, sebos e cartilagens, pode ser lavada em água corrente, porém, se já estiver cortada em bifes, a lavagem não é recomendada, pois irá retirar parte dos nutrientes. O bife irá também absorver água, perdendo sabor.
Como guardar:

A – Pães e massas
Pães podem ser guardados por até 3 dias, desde que colocados em saco plástico fechado hermeticamente. Deve ficar em lugar fresco e arejado, e ao ser guardado, o pão deve estar frio. NO entanto, no congelador podem durar até 40 dias.
B – Carne, frango, peixe
Para conservar, prefira congelar após dividir em pequenas partes e separar em embalagens com quantidade suficiente para cada refeição.
C – Grãos, farinhas e enlatados
Grãos devem ser armazenados em potes hermeticamente fechados, em locais limpos, arejados e sem umidade. Não é necessária refrigeração para conservar cereais, grãos e farinhas. No caso dos enlatados, observar a validade, e se a lata não esta amassada, estufada ou com ferrugem.
D – Verduras, legumes e frutas
Frutas e legumes devem ser lavados e guardados na geladeira. Folhas devem ser guardadas em recipientes, mas o ideal é que sejam consumidas imediatamente.

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa