Pular para o conteúdo principal

Dia Nacional do Doador de Sangue - 25 de Novembro

Semana Nacional da Doação Voluntária de Sangue
25 de novembro é o Dia Nacional do Doador de Sangue.

Você é um doador?

Se for, não esqueça que de 21 a 25 de novembro de 2011 é realizada “A Semana Nacional do Doador Voluntário de Sangue” em todo o país e esta pode ser a sua oportunidade de realizar um ato de amor.

Na semana de 25 de novembro são realizadas anualmente campanhas e programas de incentivo à doação de sangue. Esta semana faz parte da estratégia do governo para o Brasil atingir a meta da Organização Mundial de Saúde (OMS) para um país manter os estoques regularizados.
Os principais serviços de coleta de sangue sempre realizam atividades para aumentar o número de doações. Portanto, a criação da Semana Nacional do Doador Voluntário de Sangue vem oficializar e ampliar uma prática já legitimada pela sociedade.

O que a OMS recomenda?

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a meta ideal é que de 3% a 5% da população doe sangue anualmente, para que seja mantido um estoque nacional abastecido. Atualmente o percentual de brasileiros doadores varia entre 1,76% a 1,78% todos os anos.

Que tal começar a doar?

Doar sangue é seguro e quem doa uma vez, não é obrigado a doar sempre. No entanto, é muito importante que pessoas saudáveis doem regularmente.

Quem pode doar? Quais as recomendações?

- Ter entre 16 e 67 anos (menores de 18 devem estar acompanhados dos pais ou portar autorização registrada em cartório);

• Apresentar documento oficial com foto (pode ser carteira de identidade, de habilitação, entre outros)

• Ter dormido pelo menos 6 horas na noite anterior à doação;
• Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 24 horas antes da doação;

• Gozar de boa saúde (avaliação médica no Hemocentro);

• Estar alimentado;

• Não estar em uso de medicamentos;
• Pesar acima de 50 quilos (descontar vestuário);

• Não ter colocado piercing ou feito tatuagem nos últimos doze meses;
• Não ter realizado endoscopia nos últimos doze meses;
• Evitar fumar 2 horas antes da doação.


Quem não pode doar?

• Quem foi diagnosticado com hepatite após os 10 anos de idade;
• Portadores de doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas etc ;

• Usuários de drogas;
• Pessoas que tiveram relação sexual de risco.


Algumas situações que impedem provisoriamente a doação de sangue

1. Febre - acima de 37°C

2. Gripe ou resfriado

3. Gravidez atual (90 dias após o parto normal e de 180 dias após a cesariana)
Amamentação (até 1 ano após o parto)
4. Uso de alguns medicamentos

5. Anemia

6. Cirurgias
7. Extração dentária 72 horas
8. Tatuagem: 01 ano sem doar
9. Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina

10. Transfusão de sangue: impedimento por 01 ano


O que ocorre após a doação?

Após a doação, recomenda-se evitar pelas próximas 12 horas atividades como pilotar aeronaves, conduzir veículos pesados, praticar esportes radicais ou de alta intensidade.

O doador recebe um lanche oferecido no posto de coleta e são passadas instruções e orientações. Seu sangue será analisado e posteriormente poderá receber os resultados. O sangue doado é separado em partes (hemácias, plaquetas, plasma) que podem beneficiar vários pacientes, salvando até 8 vidas em um simples gesto.

O que é feito com o sangue após a doação?

1 -Fracionamento: A bolsa de sangue total é centrifugada e separada em 03 componentes:
Concentrado de hemácias, Concentrado de plaquetas, Plasma
2- Exames laboratoriais: são realizados exames para determinação do Grupo sanguíneo e para detecção de doenças transmissíveis pelo sangue.
3- Liberação da bolsa - após a realização dos exames laboratoriais, a bolsa de sangue é liberada para transfusão.
4- Transfusão - o sangue é utilizado principalmente nas grandes emergências (acidentes de trânsito, por armas, hemorragias agudas etc), nas cirurgias e em pacientes com doenças oncológicas e hematológicas.

Não esqueça : Você pode doar sangue durante todo o ano. Salve vidas!

Fonte: Editoria HelpSaúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa