Pular para o conteúdo principal

Guia HelpSaúde > Urgência > Engasgos e Obstruções

É, de fato, que crianças pequenas, até 4 anos, “provem” os objetos enquanto os conhecem. Existe o risco também de introduzirem nos ouvidos e no nariz objetos pequenos que estejam ao alcance de suas mãos.

Para evitar maiores complicações, evite deixar fios à mostra, plásticos de embalagem, vidros, frascos de medicamentos e demais objetos pequenos ao alcance de crianças.

Em nenhuma hipótese tente em casa retirar objetos com pinças ou algo parecido. Busque um serviço de emergência pediátrica e tente manter a criança tranqüila.

Em geral, os objetos pequenos sem pontas ou que quebrem, são eliminados nas fezes. Mas, alguns oferecem maiores riscos como alfinetes, parafusos, pilhas, por poderem perfurar o trato gastrointestinal ou por poder liberar substâncias tóxicas.

Acidentes com engasgos e ingestão de objetos podem também ocorrer com idosos, pessoas com deficiência mental, alcoolistas em intoxicação e muito raramente, com indivíduos adultos sem qualquer problema clínico ou psiquiátrico.

Em caso de engasgo, quais medidas devem ser tomadas?

No caso de ingestão de corpo estranho ou alimento mesmo com engasgo, não force com os dedos ou alguma pinça tentando recuperar o objeto. ISSO PODE PIORAR A OBSTRUÇÂO.
Caso a pessoa engasgada consiga tossir, uma reação do corpo para tentar remover a obstrução, estimule-a a continuar tossindo. Caso não funcione, deve se aplicar

a Manobra de Heimlich:

Uma pessoa se posiciona atrás da vítima, e irá abraçá-la na altura do estômago.

Em seguida, deve fazer movimentos contínuos, apertando e empurrando para cima, continuamente, de forma a comprimir o abdômen contra os pulmões, para forçar a expulsão da obstrução através do retorno do objeto para a boca.

Caso não seja possível tossir, falar ou chorar, significa que há maior risco de sufocamento. A vítima deve ser levada imediatamente ao Serviço de Emergência mais próximo.

Por isso,tenha sempre à mão o endereço e telefone do serviço de emergência mais próximo de casa.

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER:

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa