segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Amamentação

Qual a importância para a mãe?

Além da importância na construção do laço afetivo mãe-filho, a amamentação beneficia a mãe em vários aspectos. Enquanto o bebê suga, o corpo da mãe é estimulado a produzir um hormônio chamado ocitonina que contrai o útero, diminuindo o sangramento e fazendo com retorne ao volume normal. Ajuda também a mãe perder peso e retornar à sua condição física prévia a gravidez.

Existem ainda estudos indicando que mulheres que amamentaram por mais tempo e com maior freqüência, tiveram menor risco de câncer de ovário e de mama.

E para o bebê?

Há inúmeras vantagens no desenvolvimento individual quando os bebês podem ser amamentados no período inicial da vida.

Amadurecimento psico-social - Crianças amamentadas tendem a mais tranqüilas e sociáveis durante a infância.
Amadurecimento do trato gastro intestinal - É importante facilitador na liberação do mecônio (as primeiras fezes do bebê). O que diminuiria os riscos de doenças da digestão no adulto;
Amadurecimento do sistema imunológico - O leite materno protege o bebê de infecções, além de possuir anticorpos, leucócitos, entre outros. Tudo isso reduz bastante o risco futuro de alergias e doenças auto-imunes;
Amadurecimento do sistema de mastigação e da fala - no ato de sugar, o bebê desenvolve a mandíbula, a futura dentição e músculos da face, contribuindo para entre outros benefícios, o bom desenvolvimento da fala.

Quais os cuidados?

Os cuidados começam na higiene dos seios: use apenas água filtrada, sem sabonete, para não perder a hidratação natural. O bico do peito deve ser muito bem seco (não vestir sutiã se estiver úmido e trocá-lo se houver vazamento).

Caso surjam feridas, use o próprio leite para higienizar e espere secar. O banho de sol é muito importante na preparação dos seios para amamentar. 10 a 15 minutos, todos os dias antes das 10h da manhã e após as 15h. O calor ajuda a resistência da pele. O bebê deve abocanhar toda a auréola; a mãe pode ajudá-lo, fazendo uma “tesoura” com os dedos.

Se houver necessidade de extrair o leite, dê preferência a usar as mãos, evite bombas elétricas ou manuais. Evite o uso de pomadas, e absorventes ou lencinhos. Eles tendem a umedecer a pele, o que agrava a sensibilidade, favorecendo o surgimento de feridas.

Quando não pode?

Mulheres com HIV, tuberculose ativa e hepatite B não devem amamentar. Dependentes de drogas ou álcool também não devem, assim como as que estiverem em tratamento radio ou quimioterápico. Há medicamentos cujo uso contra indica a amamentação e vice-versa. Mas mesmo que não esteja amamentando, pode ser importante que a produção de leite seja continuamente estimulada, com extração de leite utilizando bomba, para que ela possa retomar o aleitamento quando for possível.

Para todos estes casos, consulte seu ginecologista e o especialista da área em que estiver se tratando.


Fonte: Editoria HelpSaúde.
Está a procura de um Ginecologista? Encontre-o em 2 cliques no HelpSaúde.


Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário