Pular para o conteúdo principal

Sinusite

O que é sinusite?

A sinusite é uma doença inflamatória das vias respiratórias superiores, mais precisamente nos seios paranasais. Costuma ocorrer associada a um processo infeccioso causado por vírus, bactéria, porém reações alérgicas ou o contato com ar poluído nas vias nasais também pode desencadear uma crise de sinusite. No interior dos ossos do crânio e face, existem espaços preenchidos de ar e que se comunicam com a cavidade nasal, e esses espaços são os seios paranasais. São vários seios divididos pela face, em subgrupos de acordo com os ossos em se encontram.

São eles:

Seio frontal: situado posteriormente aos arcos superciliares, entre as duas tábuas do osso frontal que formam a parte rígida e dura da testa.

Seio maxilar: ocupa a maior parte do osso maxilar. São os maiores seios aéreos nasais, possuem forma piramidal e tem a base constituída pela parede lateral da cavidade nasal.

Seios etmoidais: são constituídos por pequenas células localizadas no corpo do osso etmóide.

Seios esfenoidais: localizam-se no osso esfenóide no centro do crânio.

Como a sinusite se manifesta?

A sinusite pode se apresentar em três diferentes formas:

Infecciosa: neste tipo, a sinusite caracteriza-se por dor na região dos seios da face, obstrução nasal, secreção com pus e febre.

Alérgica: o paciente sente dor nos ossos do rosto, pode apresentar febre e os sintomas comuns da alergia, coriza clara e constante, obstrução nasal e crises de espirro. Além disso, em alguns casos acompanhado de tosse freqüente que melhora a noite.

Traumática: a sinusite traumática é provocada quando o paciente é submetido a alterações de pressão, podendo ocorrer em viagens de avião ou durante mergulhos. Sua principal característica é dor maxilar e obstrução nasal de forma branda.

Além disso, de acordo com o tempo de duração, pode ser classificada como aguda, quando os sintomas melhoram em até 30 dias, sub-aguda quando tem duração de 1 a 3 meses, crônica quando sua duração é superior a 3 meses.

Quando ocorrem 3 ou mais episódios em um ano, sendo cada ocorrência duração de pelo menos 15 dias, é considerada aguda recorrente.

Sintomas comuns da sinusite?

A sinusite provoca dor de cabeça, obstrução nasal, febre, coriza e espirros. Quando deitado ou em posição curvada, o paciente pode sentir um aumento na dor. O paciente em geral sente o “rosto pesado”, sensação também de odor desagradável vindo do nariz ou boca.

Como é feito o diagnóstico da sinusite?

O diagnóstico na maioria das vezes é feito pelo médico apenas obtendo a história clínica detalhada do paciente, e com exames físicos minuciosos. O médico também pode solicitar, a seu critério, exames radiológicos dos seios da face ou seios paranasais, e quando for necessária uma melhor precisão, pode fazer uso da tomografia computadorizada.

Quais são as causas mais comuns da sinusite?

Os fatores mais corriqueiros que podem provocar sinusite são a gripe comum, alergia, desvio do septo nasal e condições climáticas não favoráveis. Rinovírus, adenovirus, vírus respiratório sincicial ou para-influenza são os maiores causadores de sinusite infecciosa, que pode ocorrer em várias cavidades paranasais ao mesmo tempo.

Existe alguma forma de prevenir a sinusite?

Para prevenção, é importante que as cavidades nasais estejam plenamente funcionais, para isso devem estar bem ventiladas e limpas, o que pode ser feito limpando o nariz com soro fisiológico ou solução salina (300ml de água filtrada e 2 colheres de chá rasas de sal marinho). Para a limpeza, deve se aspirar um pouco da solução pela narina até que chegue na boca. Deve se fazer este procedimento em cada narina, e repetir várias vezes durante o dia. A higiene do lar, mantendo a casa sempre limpa irá ajudar a prevenir crises alérgicas. Deve se beber muita água.

Quais são os fatores de risco da sinusite?

As principais causas que podem desencadear a sinusite consistem em desvio de septo, estar com freqüência em ambientes com aglomeração de pessoas, sistema imunológico debilitado, infecções nas vias respiratórias, tabagista ativo ou passivo, pouco consumo de água, poluição do ar, ambientes com poeira e variações climáticas bruscas.

Os especialistas em sinusite são os otorrinolaringologistas . Descubra os otorrinos na sua região.

Atenção: em caso e sinusites recorrentes, o seu otorrino poderá encaminhá-lo a um alergista ou a um homeopata.


Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Estados Unidos questionam o pânico da H1N1

Com toda a movimentação da mídia, dos governos, previsões catastróficas e vacinas compradas às pressas, os americanos e outras nações começam a questionar se todo o movimento mundial em volta da Gripe H1N1 não traria mais malefícios para a sociedade do que a própria epidemia. Notícias como "A Gripe Suína já matou 600 pessoas nos EUA e já corresponde a 97% das novas infecções" assustam qualquer um, mas tomam nova perspectiva quando vemos que 36.000 pessoas morrem anualmente para a "gripe comum" (gripe sazonal). Medidas bem intencionadas podem ser exageradas às vezes, como um excesso de escolas fechadas, e tendem a espalhar o pânico na sociedade, alimentando um medo que não corresponde à gravidade da situação. Não que devamos abstrair dos cuidados, mas é melhor para todos quando damos o devido peso às situações. Os estadunidenses já passaram por várias situações de pânico da população que no final não se converteram em tragédias, como o medo do antraz, do bug do

Os Perigos escondidos nos Alimentos: Peixe-espada

Sabiam que pode ser perigoso consumir certos peixes? Médicos alertam sobre os danos que podem ser causados por metais pesados, presentes em grandes quantidades em alguns peixes.  O alerta serve especialmente para mulheres que estão grávidas ou planejando ficar. O Dr. Philip Landrigan, pediatra da escola de medicina de Mount Sinai, diz que nesse período, evitar peixes com muito mercúrio é uma prioridade. O peixe-espada contém níveis elevados de mercúrio, um metal que pode danificar fetos em desenvolvimento e até causar ataques cardíacos em adultos. No entanto, sabemos da importância de se comer peixes regularmente, para se obter a dose diária de omega-3, um ácido graxo que diminui a quantidade de colesterol ruim no sangue (LDL) e aumenta a do colesterol bom (HDL).  A solução? Comam peixes que não contêm grandes quantidades dessas substâncias nocivas, como o salmão, atum e truta e façam rotineiramente um check-up preventivo . Equipe HelpSaúde Fonte: Rodale DISCLAIMER: