Pular para o conteúdo principal

Dia do Alcóolico Recuperado - 9 de Dezembro

“QUERO PORQUE POSSO!”

Com o intuito de reforçar a importância do tratamento adequado e de como é importante manter-se abstinente, foi escolhido o dia 9 de dezembro para se comemorar a recuperação da qualidade de vida dos alcoolistas que conseguiram iniciar e se manter em abstinência.

Hoje todos já sabem que o ALCOOLISMO não tem cura. Assim como o DIABETES e a HIPERTENSÃO ARTERIAL, o ALCOOLISMO é compreendido como uma doença crônica.

Por se tratar de uma dependência química, necessita de tratamento multidisciplinar: médico psiquiatra, psicólogo, assistente social, outros especialistas para tratar os problemas clínicos decorrentes do uso crônico do álcool (gastroenterologista, nutricionista, endocrinologista, entre outros que podem ser necessários) segundo o estado clínico de cada um.

Há um componente especial nesse tratamento ou recuperação que é a MÚTUA AJUDA.

Mais do que em qualquer outro problema crônico de saúde, o ALCOOLISMO dispõe de um histórico de cooperação mútua entre os que sofrem com este problema.

A criação dos Alcoólicos anônimos por uma iniciativa de Bill Wilson mudou a forma como se encara o tratamento do alcoolismo e está poeticamente bem retratado no filme “ÀS VEZES O AMOR NÂO È O BASTANTE” de 2010. Neste filme, vê-se também o sofrimento dos familiares e a criação dos grupos de familiares de alcoolistas.

Então, esta data é lembrada e comemorada, principalmente por quem venceu o vício, seus parentes e amigos próximos que de alguma forma participaram ou ajudaram na recuperação.

Mas, todos nós devemos também comemorar e refletir sobre este dia e a sua importância. Em especial, para que antes de precisar tratar, possamos lidar melhor com o álcool e prevenir os abusos mesmo dos que não são dependentes desta substância.

O alcoolismo como doença

No Brasil, o alcoolismo é um problema de Saúde Pública, tendo como conseqüências não só o prejuízo à saúde do alcoolista, como também com repercussões sociais.
O álcool é responsável pela maioria dos acidentes de trânsito no país e no mundo, em cerca de 65% a 70% das ocorrências de violência contra a mulher houve consumo prévio de álcool, e um número expressivo de acidentes de trabalho também tem relação com o consumo de bebidas alcoólicas.

Assim, o alcoolista não deve ser tratado com preconceitos ou julgamento, mas deve ser visto como alguém que possui uma doença, cujo bom manejo pela abstinência do consumo da bebida, embora exija cuidados pelo resto da vida pode ser entendido como sucesso no tratamento, assim como ocorre com a Hipertensão e o Diabetes.

O começo cada vez mais cedo no vício

Segundo o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, 34% dos adolescentes entre 12 e 18 anos já experimentaram pelo menos uma vez algum tipo de bebida alcoólica.
Estamos no final do ano. Nesta época de festas e no carnaval as famílias se reúnem à mesa para comemorar. Há confraternizações no trabalho, na escola, entre os amigos.

Nestes momentos especiais, está a maior incidência de início de uso de bebida alcoólica por adolescentes, mas também de crianças, em especial meninos, entre os 8 e 14 anos.

Vamos comemorar sim. Mas, sem esquecer que nossos filhos aprendem com o que fazemos.
Então, vamos procurar ter mais responsabilidade ao apresentar as bebidas alcoólicas à eles. Apenas um em cada 10 pessoas são alcoolistas, isso não pode ser evitado ainda, não há cura.
Mas, todos os demais podem ter problemas e causar problemas sérios a outras pessoas se não tiverem responsabilidade ao beber.

SE BEBER, NÃO DIRIJA.

DÊ BONS EXEMPLOS AOS SEUS FILHOS E BOAS FESTAS NESTE FIM DE ANO!

Fonte: Editoria HelpSaúde.
Quer fazer parte do nosso blog? Envie um artigo para artigos@helpsaude.com.

Comentários

  1. Que legal saber que já existe, mais uma data NOBRE para ser comemorada ! Aconselho TODOS os meus irmãos, amigos, parentes e pacientes que sigam comigo, com este brinde eterno ... é muito fácil... é só lembrar da frase genial que é ... " SÓ POR HOJE " !!!
    E cá entre nós ... a cervejinha bem gelada 0,0% de álcool é uma delícia e dá pra acompanhar qualquer balada, churrasco, passeios na praia, festas, encontros, etc ... Vamos lá que ainda dá tempo !!! 0,0 % de álcool , Já !!!
    VIVA O DIA 9 DE DEZEMBRO !!!
    VIVA MEU FÍGADO E O SEU TAMBÉM !!!
    Dr.Mattoso

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A riqueza do conhecimento compartilhado na prática médica moderna

Vamos discorrer sobre termos essenciais para a Gestão do Conhecimento (GC). Derivando definições da área de Informática, podemos afirmar que dado é sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. De forma semelhante, sons e imagens também são dados. A partir do momento em que os dados podem ser organizados de forma lógica e inteligível, podemos chamá-los de informação. Quando a informação pode ser aplicada a qualquer situação em que seja necessária uma tomada de decisão, nós temos o conhecimento. Em outras palavras, conhecimento é a informação útil ou aquela que carrega um propósito. O conhecimento médico sempre foi uma combinação entre arte e ciência, sendo tradicionalmente relegado a pesquisadores a busca pelos avanços e, aos médicos praticantes, a arte de aplicar o conhecimento e se relacionar com o paciente. Entretanto, em nosso tempo,

Mitos e verdades sobre a friagem e o golpe de ar

Leva o casaco! O inverno está chegando, e com ele alergias, gripes e outras doenças respiratórias. Essa estação do ano também trás a famigerada friagem, e as mães e avós ficam em polvorosa recomendando casaquinhos e agasalhos. Mas será que o tal golpe de ar, que ocorre quando saímos de um banho quente, quando abrimos a geladeira, quando bate um vento, e em vários outros momentos, realmente faz mal para saúde? É inegável que muitas pessoas associam friagem e golpes de ar à maior incidência de gripes. Afinal, no inverno, gripes e resfriados são sim mais comuns.  Diversos estudos já foram feitos, desde 1950, para avaliar essa correlação e nenhum desses jamais comprovou essa teoria. Eles indicam que a friagem e golpes de ar não têm influência sobre o desenvolvimento de tais doenças, que isso é uma crendice. Na verdade, gripes, resfriados e infecções respiratórias são doenças infecciosas, provocadas por micróbios que se alojam no aparelho respiratório e causam tosses, espirros, cor

Malformações Vasculares do Cérebro

1. Introdução As malformações vasculares cerebrais são anomalias na formação dos vasos sanguíneos do cérebro e que podem levar a acidentes vasculares ou epilepsia.  2. Classificação em tipos Os diversos tipos de malformações vasculares cerebrais apresentam diferentes quadros clinicos, ou seja, sintomas e sinais de sua existência, assim como características típicas em exames de imagens, como ressonância magnética cerebral. Devem, portanto, ser analisadas separadamente. A classificação mais usada na literature médica divide as malformações vasculares cerebrais em quatro tipos: • Malformações artério-venosas ou mais conhecidas como MAV. • As malformações cavernosas cerebrais ou cavernomas (ou, também chamados angiomas cavernosos). • As malformações venosas (ou angiomas venosos). • As telangiectasias. 2.1. Malformações artériovenosas cerebrais (MAVs) Embora não seja o tipo mais comum de malformação vascular do cérebro, pode manifestar-se em pacientes jovens, sendo causa